Depilação íntima no verão: é mesmo necessária? - TOPVIEW

Depilação íntima no verão: é mesmo necessária?

Especialista tira principais dúvidas sobre o tema

Compartilhe

Depilação é sempre um assunto que dá o que falar; afinal, existem defensoras ferrenhas da técnica e mulheres que não fazem questão de se depilarNo verão, época do ano em que o corpo fica mais aparente, principalmente nas praias e piscinas com o uso dos biquínis e maiôs, pode surgir a dúvida: depilação íntima é mesmo necessária?

Ao contrário do que muita gente pensa, a remoção dos pelos não significa mais higiene ou limpeza. Na verdade, a depilação total oferece alguns riscos para a saúde íntima da mulherÉ o que conta Mariana Betioli, obstetriz e fundadora da Inciclo, marca pioneira de coletores menstruais no Brasil. 

Para ela, a remoção total dos pelos pode deixar a região íntima mais exposta e propensa a infecções. “Os pelos não estão ali à toa; eles existem por diversos motivos, especialmente na vulva, local super sensível do corpo”, explica. 

“Os pelos funcionam como uma barreira natural para reduzir o atrito com roupas, por exemplo, e funcionam como uma barreira contra fungos e bactérias. Eles também controlam a umidade da região, diminuindo as chances de infecção, e ainda regulam a temperatura, resfriando a pele e deixando a vulva mais fresca e arejada”, revela Mariana. “Por isso, manter os pelos é uma escolha saudável e, sim, higiênica.”

A obstetriz ressalta que os pelos naturais não devem ser motivos de vergonha. “O pelo é natural e não representa algo sujo, como fizeram a mulher acreditar por muito tempo. Atualmente, essa decisão de depilar ou não é uma questão de preferência”, destaca. “Se prefere natural, não se sinta coagida a depilar só por conta de opiniões alheias. Você precisa escolher o que faz mais sentido para você”, defende a profissional. 

Assim como roupas e cabelos, os pelos também refletem as tendências do momento. Para quem acha que a depilação íntima sempre foi moda, basta voltar nos anos 60 e lembrar que o movimento hippie valorizava os pelos do corpo. 

“Ultimamente, os pelos naturais também têm ganhado novas adeptas, especialmente entre as mulheres, como símbolo de empoderamento feminino e liberdade”, lembra Mariana. “No fim das contas, a decisão precisa estar nas mãos de cada uma.” 

Como faço a higiene íntima mantendo os pelos naturais?

Não é preciso nenhum cuidado extra, apenas os que normalmente se deve tomar para a higiene nessa parte do corpo, como salienta Mariana. “A indicação é lavar apenas a região externa, chamada vulva, trocar absorventes descartáveis por coletor ou disco menstrual e dormir sem calcinha.”

Durante o período menstrual, esses cuidados precisam ser redobrados, já que a região não pode ficar muito abafada. No mercado, hoje existem alternativas acessíveis, como o coletor menstrual e as calcinhas absorventes, para manter a vagina livre de infecções. 

“Além disso, o coletor e o disco menstrual são ótimas opções para quem se incomoda, de alguma forma, com o contato entre os pelos e o sangue da menstruação. Eles são de uso interno feitos de silicone, super confortáveis e duram por anos.”

Depilação saudável: é possível?

De acordo com a obstetriz Mariana, sim. Mesmo que os pelos sejam uma proteção natural do corpo para a região íntima e sejam importantes para manter a saúde da mulher, se ela tiver hábitos de higiene saudáveis, pode não ter problemas com a prática da depilação.

“Uma dica é evitar a depilação dos lábios externos, que são a porta de entrada da vagina”, orienta a obstetriz. Mesmo assim, caso a depilação não seja bem feita, pode deixar pequenos cortes e ferimentos na pele, abrindo espaço para infecção. “É essencial fazer a depilação com muita atenção e em um lugar seguro, com profissionais de confiança, para garantir a saúde íntima”, acrescenta. 

In this article

Join the Conversation