Cirurgia plástica vs obesidade - TOPVIEW

Cirurgia plástica vs obesidade

Qual o papel da cirurgia plástica no tratamento da obesidade?

Compartilhe

A adolescente volta a sorrir e os seus pais respiram mais tranquilos agora que o sobrepeso foi superado com alimentação saudável e os bons hábitos alcançados com a prática de exercícios físicos associados ao esporte, afinal vencer o campeonato de tênis foi o ápice do trabalho de um treinador comprometido e o envolvimento de toda a família. Foram alguns anos de muita dedicação para controlar essa forte tendência que já trouxe várias complicações de saúde para diversos membros da família.

LEIA TAMBÉM: Uma moda para se acreditar

A obesidade é uma doença crônica e como tal a sua prevenção deve ser iniciada logo na infância, onde os hábitos familiares e a hereditariedade se manifestam na alteração de peso e na forma do corpo. A tendência ao isolamento e a pressão sofrida pelo bullying perpetuam um círculo vicioso de baixa autoestima e compulsão alimentar. O resultado é a transformação dessa situação, a obesidade, em um problema grave de saúde pública a nível mundial. Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) eEdxistem atualmente cerca de 700 milhões de obesos e a projeção a nível mundial para 2025 será de 2.3 bilhões de adultos com sobrepeso. Estudos apontam que no Brasil 52% da população tem excesso de peso, 20% são obesos e aproximadamente 4% são considerados portadores de obesidade severa. Este universo de pessoas apresenta associações com as chamadas doenças metabólicas que incluem o diabetes, hipertensão arterial e dislipidemia. Por se tratar de uma situação de saúde complexa múltiplos tratamentos são empregados nos casos de obesidade severa, incluindo procedimentos endoscópicos que limitam a capacidade gástrica, e por fim as cirurgias bariátricas que reduzem o tamanho do estômago ou desviam o trânsito do alimento.

A cirurgia plástica trata o contorno corporal e facial e por consequência é a especialidade médica habilitada para auxiliar na melhora estética e funcional através de tratamentos cirúrgicos e não-cirúrgicos. A técnica de resfriamento seletivo das células de gordura chamado Coolsculpting pode ser considerada no tratamento de áreas de acúmulo de gordura após a perda de peso em pessoas de diversas faixas etárias, tanto para homens quanto para mulheres. A lipoaspiração, procedimento cirúrgico de indicação e execução exclusiva do cirurgião plás-tico, tem por objetivo reduzir o número de células de gordura nas regiões indicadas promovendo uma melhora da qualidade do contorno corporal.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica possui normas de respeito e segurança ao paciente, que são levados em consideração na realização deste ato médico, o qual possui um risco potencial ao paciente quando executado fora destes critérios amplamente estudados pela ciência médica. Os pacientes que sofreram grandes perdas ponderais ou até mesmo que obtiveram estas perdas após a realização de cirurgias bariátricas poderão se beneficiar de cirurgias no contorno corporal que incluem a abdominoplastia, mamoplastia e outras técnicas conforme a avaliação individual. A cirurgia plástica pode ser utilizada para atingir uma melhora da autoimagem e autoestima de todos aqueles que passam por uma transformação facial e corporal no curso do tratamento da obesidade.

*Capinha originalmente publicada na edição #234 da revista TOPVIEW.

In this article

Join the Conversation