Destination wedding: um sonho adiado - TOPVIEW

Destination wedding: um sonho adiado

A indústria que movimenta bilhões de dólares por ano enfrenta uma pausa por conta da pandemia

Compartilhe

O casamento é um dos momentos mais marcantes na vida de um casal. Decidir se a cerimônia será no campo ou na praia ou em uma igreja ou um salão fechado é um dos desafios dessa fase. Diante disso, muitos casais optam por celebrar a união fora de sua cidade natal ou até mesmo fora do país de origem, o que é chamado de destination wedding. Geralmente, a localização escolhida é paradisíaca.

De acordo com o site estadunidense Brides, especializado em dados sobre casamentos, acontecem 340.000 cerimônias nesse formato por ano. Com isso, a indústria do destination wedding movimenta US$ 16 bilhões ao ano. Em 2020, por conta da Covid-19, essa categoria sofreu um revés e teve de dar uma pausa.

A cerimonialista Ana Toniolo – responsável pela celebração da união da influencer italiana Chiara Ferragni com o cantor Fedez – aponta que,  muito além da insegurança com as viagens, o adiamento dos destination weddings durante a pandemia têm motivação econômica: “Nossos clientes adiaram o casamento não só por conta da insegurança do momento, mas também pelo fato de que o câmbio atual está muito alto. Você pega o orçamento inteiro, multiplica por esse novo câmbio e tem uma grande alteração, sem dúvidas”, diz.

O processo de adiamento da cerimônia para outra data e outro local funciona em dois passos, segundo Toniolo. O primeiro é avisar todos os convidados que o casamento não acontecerá em 2020 e o segundo é definir a nova data com os noivos e com os fornecedores que já foram contratados.

Para a especialista, não há só desvantagens no adiamento do destination wedding. “Se for olhar pelo lado positivo, os noivos vão ganhar mais tempo para viver essa parte tão bonita do casamento: a preparação”, opina.

Experiência antes da pausa
A advogada Carmem Leticia da Maia Silva casou-se em um destination wedding em Cancún, no México, em 2017. De acordo com ela, foi a melhor decisão que ela e o marido poderiam ter tomado financeiramente. Sobre a cerimônia, Carmem só tem recordações boas: “o mais legal de ter um casamento fora é que não é só uma noite. Nós tivemos uma semana [juntos], então, todos os dias, você está naquele clima bom, com todo mundo ali lhe desejando coisas boas, feliz com você. É uma coisa inesquecível”, afirma.

*Matéria originalmente publicada na edição #238 da revista TOPVIEW.

In this article

Join the Conversation