Sabia que há mais mulheres fluentes em inglês do que homens no mundo? - TOPVIEW

Sabia que há mais mulheres fluentes em inglês do que homens no mundo?

Os índices entre os gêneros têm se igualado a cada ano, segundo estudo da EF Education First

0
Compartilhe
Mulheres fluentes em ingles

De acordo com a nona edição do EF EPI, estudo global da multinacional de educação sueca EF Education First, tem mais mulheres fluentes em inglês do que homens no mundo a diferença entre a proficiência de homens e mulheres no inglês – idioma oficial de cooperações internacionais – tem diminuído consideravelmente. Apesar de as mulheres ainda terem os melhores índices desde o primeiro levantamento, os números têm se aproximado e, no mundo todo, 53,2% delas são proeficientes na língua versus 53% dos homens.

Girl power: mulheres fluentes em inglês

 A pesquisa mostra que países em que os gêneros têm uma relação mais igualitária econômica, educacional e politicamente estão melhor colocados no ranking, já que o acesso ao conhecimento tende a ser mais democrático. Ao passo em que vale reconhecer que, nas muitas regiões em que as mulheres têm jornada dupla de trabalho, há mais barreiras em fazer imersões internacionais, além de diferenças salariais e desequilíbrios estruturais nítidos, os índices confirmam o alto desempenho delas no aprendizado da língua mostrando o quanto é preciso investir na educação profissional, especialmente para que as mulheres ocupem mais cargos de liderança.

Segundo o estudo, os gerentes são os trabalhadores com mais alto índice de proficiência no inglês. Nos escritórios da EF Education First em todo o o mundo, por exemplo, 65% dos funcionários são mulheres, a maioria em cargos de gestão, inclusive no Brasil.

Por aqui, o ranking apontou que 49,9% das mulheres e 53,2% dos homens têm conhecimento proficiente no idioma. Na América Latina e no Oriente Médio, o sexo masculino também supera o feminino em habilidades médias de se comunicar em inglês por pequena margem. Na Europa, Ásia e África, o gap entre os gêneros é inferior a 1% com vantagem das mulheres.

Resultados globais

No primeiro escalão da pesquisa, onde o nível de proficiência é muito alto, ficaram 12 países europeus, Singapura e África do Sul. Os três primeiros colocados foram Holanda, Suécia e Noruega. 

A importância da proficiência em inglês

Ter proficiência em inglês já é um pré requisito em um mundo globalizado, fundamental para profissionais de praticamente todos os setores. Além disso, aprender um novo idioma, seja de forma online ou por meio de uma experiência internacional, pode proporcionar habilidades desejadas no mercado profissional, como inteligência emocional, empatia e habilidades comportamentais (soft skills), em especial quando o assunto são as profissões do futuro.

In this article


Join the Conversation