A responsável pelo comercial mais elogiado do Super Bowl 2019 - TOPVIEW

A responsável pelo comercial mais elogiado do Super Bowl 2019

A genialidade da simplicidade do comercial Eat like Andy, produzido pelo Burger King para o Super Bowl – e uma grande mulher por trás dele

516 0
Compartilhe

O comercial mais assistido e elogiado no Super Bowl 2019 foi uma cena gravada em 1982, na qual Andy Warhol come paciente e silenciosamente um hambúrguer do Burger King por quase 60 segundos. Fernando Machado, o Chief Marketing Officer da marca, descreveu o filme como “o assassino silencioso no barulhento Super Bowl”. Não é por menos. Os comerciais do Super Bowl, conhecido por ser o minuto mais caro da propaganda mundial, via de regra, são grandes produções que contam com celebridades, efeitos especiais e, claro, barulho. O comercial do Burger King é o oposto de tudo isso: é puro silêncio e simplicidade. A ideia chega a ser irritante de tão inteligente. Assinado pela DAVID Miami, empresa do grupo fundado por David Ogilvy, Eat Like Andy é a mais fiel representação da máxima de outro grande publicitário, Maurice Saatchi, da Saatchi & Saatchi, que pregava que a publicidade deveria buscar sempre uma “brutal simplicity of taught”. Ser brutalmente simples é, e nunca vai deixar de ser, sedutor.

“Ser brutalmente simples é, e nunca vai deixar de ser, sedutor.”

Escrevi tudo isso nestas primeiras linhas e escolhi Eat like Andy como o tema da coluna do mês para, na realidade, fazer uma homenagem. A edição de março da TOPVIEW homenageia as mulheres e, dentro de todo esse contexto do comercial do BK, estava lá, dentro do war room do SB, Flávia Guetter, minha melhor amiga desde o colégio. Como marqueteira do Burger King, ela é responsável pelas estratégias digitais dessa campanha. Enquanto assistia ao comercial, fiquei pensando: ela saiu daqui de Curitiba, da carteira do Colégio Santa Maria, para se tornar a mulher corresponsável pela campanha mais bem-sucedida do ano, no mundo todo, aos 29 anos. Isso mostra a força da mulher, a falta de limites de aonde podemos chegar e o quão pequeno e simples este gigante mundo é.

Neste Artigo

Converse com a Gente