TOP Talk apresenta Gustavo Francesconi - TOPVIEW

TOP Talk apresenta Gustavo Francesconi

Representado pela Boiler Galeria, ele é um dos artistas visuais mais promissores da cena local e, nesta entrevista, fala sobre preferências, hábitos e goiaba

1810 0

Ele nasceu na vizinha Joinville e, por lá, teve seu primeiro contato com a arte, aos 15 anos, quando estou Design de Produto pela UNISOCIESC. Mas foi em Curitiba que Gustavo Francesconi consolidou seu nome entre os artistas criativos, originais e que revigoram o cenário local atual.

É representado pela Boiler Galeria e tem seu próprio estúdio, o APOC, onde coloca em prática o conhecimento e a expertise adquiridos nos cursos de Design Gráfico (pela PUC-PR) e Ilustração Aplicada (pela IDEP ‘Escola Superior d’Imatge i Disseny’ de Barcelona). Seus trabalhos são reconhecidos por explorar essencialmente cores, formas e vibrações cromáticas.

Agora, chegou a vez de conhecer outras facetas desse artista visual.

TOP Talk convida Gustavo Francesconi 

Restaurante ou bar favorito: Missê Mariá, tem amor na comida, e Kiko’s Bar, pra tomar cerveja.

Em 2018 eu vou: buscar caminhos que me tornem uma pessoa melhor.

A última série ou filme que devorou: revi La Planete Sauvage [animação de René Laloux] estes dias e fui impactado novamente com a estética do filme.

Um hábito de beleza: cortar o cabelo regularmente.

 

📷 @vantees

Uma publicação compartilhada por Gustavo Francesconi (@apocstudio) em

Um pertence favorito: meu sistema de som.

Uma vez por semana eu: pratico yoga.

Uma referência de estilo: Grace Jones.

 

@naorepare

Uma publicação compartilhada por Gustavo Francesconi (@apocstudio) em

Qual a sua ideia de felicidade: me sinto feliz agora, minha vida esta ótima.

Não pode faltar na dispensa: água de coco e pipoca.

Ninguém imagina, mas: não lembro da minha cara sem barba.

Destino favorito: lugares com natureza abundante.

Tem gasto muito com: lazer, impressão, material de arte…

Um sabor que te traz lembranças: goiaba, me lembra quando era criança e passava o verão em Barra Velha.

O melhor de Curitiba: minha casa e amigos.

Levaria na bagagem de mão: fones de ouvido.

Sua música do momento: tenho escutado sets de world music no Sound Cloud e músicos como Mulatu Astatke.

O livro que quer ler: História da Feiura, do Humberto Eco, ganhei e não consegui ler ainda.

Neste Artigo

Converse com a Gente