Pés no chão: conheça Sarah Chofakian e Tatiana Loureiro

Pés no chão: conheça Sarah Chofakian e Tatiana Loureiro, as designers da vez no mundo dos sapatos!

Sarah Chofakian e Tatiana Loureiro mostram que têm mais em comum que o amor pelos sapatos

Compartilhe

LINDA SEM SALTO

Tatiana Loureiro

Não foi fácil convencer as mulheres de que elas podem ser atraentes e elegantes sem usar salto. Mas hoje, Tatiana Loureiro pode comemorar essa conquista. Dona de uma das primeiras marcas de sapatos flat do país, ela confessa que se assustou no início, quando lhe disseram que ninguém sairia de casa para comprar uma sapatilha. “Mas não adiantava criar algo que eu não fosse usar”, justifica. Ainda assim, ela não propõe que as mulheres abandonem o salto, mas que incorporem a sapatilha cada vez mais no comportamento de uso. “Em uma festa, ninguém vai lembrar se você estava de salto ou flat, porém, todos vão se lembrar do seu rosto. Se estiver confortável e segura, essa impressão é que vai marcar”, destaca.

A shoe designer sempre gostou do processo produtivo de um calçado e não hesitou (mesmo formada e exercendo a Psicologia) em entrar de cabeça no curso de fabricação de sapatos. Quando surgiu a oportunidade de comprar uma fábrica, ela enxergou o início da marca com que tanto sonhava. “Eu vi uma lacuna no mercado. Faltava uma loja de flat que inspirasse desejo, com tantas opções quanto os sapatos de salto”, ressalta.

Apostar nesse nicho deu tão certo que, menos de um ano depois de abrir a primeira loja (em 2011), ela foi convidada a inaugurar uma unidade no Shopping Iguatemi, em São Paulo. “Algumas clientes admitem que, do mercado nacional, minha marca é uma das poucas que elas consomem”, conta. Seu estilo romântico e atemporal recebe a cada temporada influências da moda, um “perfume do que está acontecendo”, como ela gosta de definir.

Porém, a designer foge de modismos marcantes, que surgem com a mesma rapidez com que desaparecem. “A pessoa que compra um sapato da Tatiana Loureiro busca algo que dure mais que uma temporada”, acrescenta, até porque o diferencial da marca está em criar peças exclusivas, que justifiquem o investimento.

No total, a shoe designer lança quatro novas linhas por ano e, entre tantas opções já criadas, não consegue eleger uma preferida, “são como filhos, amo todos”, compara. Abrir ou não uma loja lá fora ainda não é uma preocupação. Sem pressa, Tatiana caminha cada vez mais para um seleto grupo de empreendedores que contribui com o crescimento do mercado de luxo nacional. E com os dois pés bem no chão.

A rasteira Turquesas faz parte da coleção de verão Wild Summer.
A rasteira Turquesas faz parte da coleção de verão Wild Summer.

Selvagem

Como o próprio nome sugere, a coleção Wild Summer traz peças inspiradas no mundo selvagem, com muitas referências animais e cores vindas da nossa bandeira, como verde, amarelo e azul. Como sempre, a folha de louro – marca registrada da grife, inspirada no sobrenome da designer – aparece nos microssaltos das sapatilhas. Muitas pedras, couro, pelica e recortes geométricos se combinam em uma coleção que exala brasilidade e conforto.

SEMPRE CONCEITUAIS

Sarah Chofakian

Cleiby Trevisan
Quatro anos após abrir a primeira loja, Sarah já havia conquistado um fã-clube de peso. Foto: Cleiby Trevisan

Descendente de armênios, filha de comerciante e de uma artista plástica, Sarah Chofakian confessa: a relação com os sapatos sempre foi algo previsível. Afinal, nasceu e cresceu em meio ao varejo e sempre teve o desejo de trabalhar com sapataria. Mas ao optar por uma faculdade, escolheu Psicologia e exerceu a profissão por anos. Porém, quando retornou de uma viagem à Europa, trouxe de volta também o desejo de menina de desenhar sapatos. “Constatei que o Brasil ainda estava muito cru na moda. Era pouco desenvolvido, principalmente no setor de calçados”, lembra. Há 18 anos, abriu uma loja pequena para vender suas criações e, dois anos depois, São Paulo inteira conhecia Sarah Chofakian. Em quatro anos, foi convidada a abrir uma loja no Shopping Iguatemi e, desde então, seus sapatos conquistaram um fã-clube de peso, composto por personalidades como a modelo e apresentadora Isabella Fiorentino.

Da primeira coleção, ela preserva o mesmo estilo, um calçado “nem fechado nem aberto, que você não sabe se chama de sandália ou sapato, mas é cheio de tiras, recortes, sobreposições” e, claro, o já tradicional salto grosso de cinco centímetros e meio. Sarah acredita na teoria de que cada criação é influenciada também pela nossa realidade – o chamado inconsciente coletivo. “As tendências acompanham nossa realidade. Meus sapatos têm saído muito coloridos e alegres. Acho que é reflexo dessa fase em que vivemos. De um Brasil tropical e super em alta”, explica.

Suas concepções partem sempre de uma ideia ligada à arte. A partir daí, são lapidadas por outras inspirações e conceitos, até chegar ao gosto da designer – processo que, segundo ela, costuma durar várias tentativas. Conceituais, os sapatos são completamente produzidos à mão e cada etapa é acompanhada de perto por ela. Por isso, Sarah lança apenas duas coleções por ano (com aproximadamente 80 modelos em cada) mais uma linha extra, cujas criações são feitas em parceria com algum estilista ou artista. Segundo a shoe designer, as curitibanas possuem um estilo mais clássico e tradicional, muito semelhante ao das italianas, e vão encontrar em seus sapatos o conforto necessário para acompanhar a rotina agitada da capital.

Prestes a se tornar avó, ela se considera em um período mais maduro, tanto pessoal como profissionalmente (este é o 5º ano que a designer exporta seus produtos) e planeja fortalecer ainda mais a marca fora do país, em Milão, Paris, Tóquio e Nova York. “Esse é o momento de pensar em qualidade e apostar em um produto exclusivo e diferenciado”, recomenda – com a maturidade e o prestígio que a consagraram como um dos principais nomes do design de sapatos nacional.

De cada coleção, Sarah elege seus preferidos. Da atual, ela escolheu o Tissot.
De cada coleção, Sarah elege seus preferidos. Da atual, ela escolheu o Tissot.

Impressionista

Arte e moda, para Sarah Chofakian, sempre andaram juntas. Fã de todas as expressões artísticas, ela enxergou no impressionismo a inspiração para a coleção Primavera-Verão 2014. Do movimento artístico que surgiu na pintura francesa do século 19, ela extraiu as cores, combinações e a delicadeza, transformando-as em traços femininos e sempre atuais. Na nova linha, ela traz nuances quentes como tangerina, tomate, coral e framboesa, além das combinações clássicas de preto e branco, marinho e off white.

In this article

Join the Conversation