E-commerce curitibano conta com tecnologia estadunidense para autenticar seus produtos de luxo - TOPVIEW

E-commerce curitibano conta com tecnologia estadunidense para autenticar seus produtos de luxo

A loja Dona Karda, especializada no mercado de second-hand, utiliza aplicativo para complementar o processo de autenticação dos produtos vendidos

105 0
Compartilhe

O mercado de luxo no Brasil, além de ser forte em lojas físicas por todo o país, é comum em marketplaces e e-commerces de second-hand. Contudo, quem não tem conhecimento efetivo sobre os produtos, como as características de uma bolsa da Chanel ou um sapato da Gucci, por exemplo, pode passar pela experiência inconveniente de comprar um produto falsificado.

Em Curitiba, a loja Dona Karda, que revende itens de luxo em segunda mão, trouxe uma ferramenta estadunidense que ajuda na autenticação de itens e maior segurança para os clientes que compram no local. “No início nós aceitávamos apenas produtos de pessoas conhecidas e com procedência comprovada. Com a evolução do trabalho e aumento de demanda, vimos a necessidade de abrir e ampliar a recepção de produtos. Apesar de todo o conhecimento e experiência, fui procurar alguma ferramenta que pudesse chancelar o nosso processo de autenticação”, conta a fundadora do e-commerce Ana Maria Kardacheuski.

Foi assim que Ana começou a utilizar o aplicativo Entrupy: uma tecnologia que usa inteligência artificial para autenticar produtos de luxo. “Quando nós contratamos a empresa, eles nos enviaram um Ipod Touch com o aplicativo instalado e um dock com uma lente que aumenta as fotos tiradas pelo Ipod em 260 vezes. Uma bolsa Chanel, por exemplo, pode ter até 500 pontos de dados que são colhidos durante o processo de autenticação e esses pontos são comparados com o banco de dados da Entrupy para validar o produto”, explica a fundadora da marca.

Para autenticar uma bolsa pelo aplicativo, por exemplo, o processo é fácil. Basta acessar o aplicativo do iPod e seguir o passo a passo dado pelo programa, que muda de marca para marca por conta das especificidades de cada uma. Segundo Ana, são solicitados detalhes dos itens, como fotos do código, fotos ampliadas do couro, canvas ou tecido externo, do tecido interno, fotos detalhadas da logo letra a letra e, em alguns casos, fotos de logo nas ferragens.

“Essas imagens são enviadas para o banco de dados da Entrupy via internet e, em muitos casos, o resultado. Para alguns modelos é necessária uma análise mais profunda mas o processo leva menos de 20 minutos”.

Imagem do couro de uma bolsa Chanel ampliada em até 260 vezes (Foto: Divulgação)

Mesmo com profissionais especialistas na área, alguns itens falsificados podem passar despercebidos a olho nu. Com a ferramenta, Ana conta que a precisão é assegurada em 99.1% e, com toda essa assertividade, a fundadora conta que somente marcas específicas são avaliadas pela empresa. “Hoje podem ser autenticadas bolsas da Balenciaga, Bottega Veneta, Burberry, Cèline, Chanel, Chloé, Coach, Dior, Fendi, Goyard, Gucci, Hermès, Louis Vuitton, Prada e Saint Laurent.”

In this article

Join the Conversation