Restaurante curitibano adota diretrizes rígidas para fornecimento de alimentos - TOPVIEW

RESPONSABILIDADE: Restaurante curitibano adota diretrizes rígidas para fornecimento de alimentos

A capital paranaense foi escolhida para receber uma unidade Jamie’s Italian antes mesmo de grandes centros, como o Rio de Janeiro

310 0
Compartilhe

Famílias que vão a restaurantes podem nem imaginar, mas há uma grande preocupação com a qualidade dos alimentos oferecidos nos pratos. Em Curitiba, o Jamie’s Italian, por exemplo, preza por reeducar as pessoas a valorizarem os processos e boas práticas necessárias para garantir que um alimento de qualidade chegue à mesa.

Para ser fornecedor do restaurante, por exemplo, é preciso atender aos parâmetros estabelecidos pelo grupo do chef britânico, Jamie Oliver, que tem diretrizes criteriosas especialmente para produtos de origem animal.

Na unidade de Curitiba, esse processo é ainda mais claro: com o cinturão verde da cidade facilitando o fornecimento de hortifruti e sendo o único restaurante da rede com toda a cadeia rastreada. A capital paranaense foi escolhida para receber uma unidade Jamie’s Italian antes mesmo de grandes centros, como o Rio de Janeiro.

“Para os animais, por exemplo, nossa iniciativa é baseada em estudos comprovados de como o tratamento antes do abate impacta na qualidade dos alimentos”, diz Cristiano Chiaramonti, sócio proprietário do Jamie’s Italian Curitiba, localizado no Shopping Pátio Batel.

Segundo o proprietário, as galinhas criadas em granja possuem nível de stress altíssimo, adoecem com frequência e não têm qualidade de vida. “As que utilizamos são criadas no estilo ‘free range’, livres, e fornecidas pela Korin Label Rouge, de São Paulo”, informa.

(Foto: Divulgação)

Após três anos de montagem e quase dois de operação, a unidade aposta na força da marca do Jamie Oliver para promover a filosofia de alimentos com origem responsável.

Todos os ingredientes usados apresentam um selo de certificação que comprova as boas práticas, e precisam ter origem rastreável. É o caso do Certified Humane Brasil, critério que demonstra as exigências atendidas por mais de 4 mil fazendas em todo o mundo.

Custos

Ainda que os benefícios para a saúde humana e sustentabilidade do planeta sejam muitos, possuir um selo de certificação para todos os alimentos aumenta os custos para a cadeia produtiva. “O porco criado na floresta tem um custo 300% acima se comparado ao porco convencional, fornecido para a maioria dos restaurantes. Nossa esperança é que atitudes como as nossas, de repercussão mundial, comecem a ganhar o reconhecimento das pessoas para garantir um futuro melhor”, ressalta Lisandro Lauretti, sócio da rede Jamie’s Italian no Brasil, acrescentando que parte desses custos são absorvidos pelo Grupo Jamie Oliver.

In this article

Join the Conversation