Décor, câmera e ação: cinema é tema da Mostra Artefacto Curitiba 2018 - TOPVIEW

Décor, câmera e ação: cinema é tema da Mostra Artefacto Curitiba 2018

Do lúdico ao moderno, veja as releituras surpreendentes do universo cinematográfico para a arquitetura e decoração

384 0
Compartilhe

A relação do cinema com o décor pauta a Mostra Artefacto Curitiba 2018, que, neste ano, reuniu 28 profissionais. Eles foram responsáveis por criar 20 ambientes inspirados em filmes – de clássicos do cinema mundial a novíssimos títulos – a partir de peças da nova coleção da Artefacto. O resultado vai do lúdico ao moderno, com releituras surpreendentes do universo cinematográfico, que você confere a seguir.

Deslumbrante itália, por Jayme Bernardo e Glei Tomazi

Obras de Carlos Eduardo Zimmermann e bases das mesas em dourado chamam a atenção no ambiente predominantemente branco de Jayme Bernardo e Glei Tomazi, inspirado no sul da Itália.

Jayme Bernardo e Glei Tomazi se inspiraram em O Carteiro e o Poeta, na cultura local e nas paisagens deslumbrantes do sul da Itália para projetar um living confortável e moderno. Acabamentos claros, mas com diferentes texturas, deram o tom do ambiente, que tem como diferencial a integração com o paisagismo através de grandes janelas para o jardim. Entre as obras de arte, destaque para quadros de Carlos Eduardo Zimmermann e, entre as peças da Artefacto, o sofá Maddox, que possibilita uma composição criativa com seus diversos módulos disponíveis.

O diabo veste high design, por Margit Soares

Obras de arte e mobiliário cheio de design marcam o projeto de Margit Soares, com destaque para o módulo Kubrick.

Margit Soares ousou criar um ambiente para uma das personagens mais difíceis de agradar do cinema recente: Miranda Pristley, de O Diabo Veste Prada. Cinza e blush foram as cores eleitas pela engenheira civil para criar o ambiente de trabalho da personagem. No mobiliário Artefacto, destaque para a chaise long Indiana e a incrível mesa de jantar Lake, que, no projeto, ganha status de local de trabalho.

Espiritualidade e leveza, por Eliza Schuchovski

Sofá Lian, mesas componíveis Trevi, poltrona Greek, cama Brasília, poltrona Library, cadeira Evelin, mesa Moon, poltrona Rigel e chaise Phili são os principais móveis da Artefacto no ambiente.

Ogosto pela vida e a espiritualidade presentes em Comer, Rezar e Amar inspiraram a arquiteta Eliza Schuchovski nesta criação. As cores verde, conhaque e alguns tons de cinza predominam na composição e elementos paramétricos estão presentes e prometem ser tendência para o futuro. Forte impacto visual é uma característica do ambiente, em que se destacam a mesa Moon, a poltrona Rigel e a chaise Phili.

Simetria contemporânea, por André Bertoluci

A simetria é uma das marcas do ambiente. Entre as peças da Artefacto, destaque para a cabeceira Piet, o criado Constantin e a poltrona Giorgio.

Não foi filme, mas um cineasta que inspirou André Bertoluci a criar um living impactante: o universo do norte-americano Wes Anderson, de Os Excêntricos Tenembaums, dá origem a um living simétrico, contemporâneo e emoldurado por painéis de madeira e mármore branco. Nas cores, marcam presença escalas de cinza, preto e ameixa. Entre as obras de arte, destaque para o quadro Portait de Basquiat, de Bernard Pras.

Sob o sol da toscana, por Angela Chinaso e Andrea Santos

Destaques no mobiliário: as mesas Berriz, com tampo em madeira ripado e pé metálico na cor acqua/céladon, e as poltronas Castalla e Petrer, com tramas que remetem ao feito à mão.

Esse é o filme (e a região) que servem de base para a área externa da arquiteta Angela Chinasso e da paisagista Andrea Santos. Sob a pérgola, há espécies coloridas e aromáticas e um verde céladon que dá o tom ao ambiente e ao mobiliário, remetendo, ainda, ao verde das folhas de lavandas e oliveiras. No mobiliário, destaque para o sofá Aisa, com tramas que remetem a uma cestaria de vime e módulos componíveis que servem de suporte para as bacias de terracota com plantas.

Empoderamento feminino, por Samara Barbosa

A coluna de jantar Indian, o sofá Cage II e a cadeira Sammy com braço estofado são os grandes destaques no ambiente entre as peças da nova coleção.

Mais do que escândalos políticos ou o valor da imprensa discutidos em The Post, Samara Barbosa ressaltou a questão do empoderamento feminino que o filme aborda em seu ambiente, oferecendo-o a uma mulher imponente, dona de um dos maiores jornais do mundo. O grande living é predominantemente branco, clean e contemporâneo. O piso de mármore Branco Paraná Calacata Ouro é também usado na parede e o mobiliário ganha diferentes texturas.

Homem dos sonhos, por Suelen Parizotto

Todas as paredes são revestidas em MDF areia e uma delas com vegetação natural. A cômoda Ray e os sofás Phili e More III destacam-se no projeto.

A mais jovem profissional desta edição da Mostra Artefacto Curitiba escolheu Sex And The City como inspiração – mas surpreende ao eleger Mr. Big como seu protagonista. Trata-se de um living voltado a um homem culto e bem-sucedido, apreciador de obras de arte. A arquiteta utiliza cores inéditas e lançamentos da marca no mobiliário, como o marrom-cacau e o azul-noite. Já a boiserie em aço dá o tom contemporâneo ao ambiente e a lareira feita em mármore Gris Armani traz sofisticação a ele.

Entre dois tempos, por Viviane Loyola

O contraste entre clássico e moderno caracteriza o trabalho da arquiteta neste projeto. Destaque para o sofá Solo.

A passagem do tempo que marca o filme Meia Noite em Paris, de Woody Allen, permeia o trabalho de Viviane Loyola em um quarto e sala de jantar que mistura o clássico – com um painel de mármore travertino e em tecidos nobres – e o contemporâneo – explícito no mobiliário solto e na marcenaria com linhas retas. Entre as peças de destaque do ambiente, estão o sofá Solo, a imponente poltrona Brasília e a mesa de centro Halston com tampo de mármore Marrom Imperial.

Transparência moderna, por Jocymara Nicolau e Andrea Posonski

O sofá Etoy é um dos destaques do projeto, bem como a composição de mesas transparentes ao centro do ambiente.

Amodernidade de Dubai, uma das locações do filme Missão Impossível: Protocolo Fantasma, é a marca da proposta de Jocymara Nicolau e Andrea Posonski para este loft clean, em tons de cinza, fendi e branco, com transparência e minimalismo.

Gourmet funcional e passional, por Juliana Meda

As poltronas Qoph, a chaise long Bellaggio e os módulos Molise estão entre os destaques do mobiliário.

Como no filme Como Água Para Chocolate, Juliana Meda trouxe paixão e intensidade para seu espaço gourmet. Valorizando a iluminação natural, Juliana utiliza um mobiliário confortável e aconchegante. O destaque, contudo, fica no diálogo que ele estabelece com a elegante bancada em mármore.

Nobreza que aquece, por Jacqueline Zeni e Bianca Yumi

À direita, detalhe da malha metalizada que paira sobre o living. À esquerda, os sofás capitonados Memory, com linhas curvas, recobertos em veludo italiano grafite e que acentuam a atmosfera clássica.

James Bond é a grande referência de Jacqueline Zeni e Bianca Yumi para um living imponente e cosmopolita. O veludo, o couro e os metalizados aquecem o ambiente e enfatizam o ar de mistério do personagem, junto à instalação que paira sobre o living – uma malha metalizada que produz sombras.

Atmosfera dramática, por Elaine Zanon e Claudia Machado

A estante Tournai confere movimento ao ambiente, que tem base em mármore branco, bege e cinza, combinada com tons mais fechados de camurça no papel de parede.

Um painel em aço inox dourado, com partes da estrutura cortada a laser e pintura e acabamento manuais, traduz a atmosfera dramática e com apelo visual que Elaine Zanon e Claudia Machado buscaram a partir do clássico Casablanca. E é assim que os visitantes são surpreendidos, para então encontrar a base em mármore branco, bege e cinza, combinada com tons mais fechados de camurça no papel de parede e nos tecidos da roupa de cama. Um Marrocos contemporâneo.

Exalando poder, por Daniele Viesser Valente

Destaque para as prateleiras retroiluminadas em laca metalizada e para a parede ripada cinza, que acomoda todo o sofá. Na área do jantar, as cadeiras Flicker dão conforto e assinatura para a mesa.

Do mármore nas paredes e nas mesas de centro ao uso do couro e da camurça, o ambiente de Daniele Viesser Valente remete ao poder. Essa também é a relação com o filme escolhido, Invasão de Privacidade. Mas, sobretudo, trata-se de um ambiente contemporâneo e minimalista dividido em sala de estar e jantar e home office. Destaque para as prateleiras retroiluminadas em laca metalizada e para a parede ripada cinza, que acomoda todo o sofá em um desenho exclusivo: a chaise long Plein é usada de maneira diferenciada para compor com o sofá em L.

Intensa e frágil, por Gisele Busmayer e Carolina Reis

Acima, a cama Nouveau no tom blue ice. Ao lado, o sofá Illi, com suas curvas femininas, a poltrona Julliete e a mesa componível Bayer.

A dualidade da personagem de Marilyn Monroe, retratada no filme Sete Dias Com Marilyn, foi materializada por Gisele Busmayer e Carolina Reis neste quarto com home office e sala de TV. A cama na cor azul, por exemplo, representa a serenidade que a personagem buscava. Já as obras de arte imprimem a sensualidade e a delicadeza de Marilyn. Destaque para a cama Nouveau no tom blue ice, que dá um ar fresco ao ambiente.

Pesquisa histórica, por Cymara e Camila Ebrahim Largura e Jacy Ebrahim

O lustre de rocha vulcânica que está no hotel Ritz, em Paris, onde Coco Chanel residiu por muitos anos, é uma das referências das arquitetas.

Uma forte pesquisa história sobre a personagem, sua época e trajetória foi feita pelo trio Cymara e Camila Ebrahim Largura e Jacy Ebrahim. Elas homenagearam ninguém menos do que a designer de moda icônica Coco Chanel, por meio do filme Coco Antes de Chanel, e criaram um living onde ela receberia seus amigos íntimos, remetendo a tecidos que a designer usava, detalhes que marcavam seus desfiles e itens que caracterizaram seu morar.

Sonhos lúdicos, por Javier Godino

O sofá Milano, a mesa lateral Ginza, o banco Pure e a inusitada instalação de molduras Boyer são os destaques do mobiliário neste ambiente minimalista.

Uma recente viagem ao Japão e o cinema de Akira Kurosawa inspiraram Javier Godino a compor seu ambiente, um dos mais “instagramáveis” da Mostra Artefacto 2018. De forte impacto visual, o ambiente tem arte de André Coelho e árvore suspensa desenvolvida por Tina Gabriel – e diversos tsurus.

Realeza clássica, por Caroline Andrusko

A Mesa Halston, pela composição do metal com o mármore, traz sofisticação ao ambiente.

Um loft clássico, refinado e muito harmônico foi o que buscou a arquiteta Caroline Andrusko ao homenagear Grace Kelly, a partir do filme Grace de Mônaco. A personalidade de Grace está impressa na naturalidade dos materiais e nas tramas delicadas. Tonalidades quentes e obras de arte ressaltam o requinte da monarquia em um contexto atual, também com muito verde.

Arquitetura preservada, por Priscilla Müller

Cerâmicas da Oda Design complementam o ambiente, marcado pelo uso inteligente da iluminação natural e pela composição de mesa de centro em diferentes materiais.

Priscilla Müller já viveu em Barcelona, na Espanha, e é essa cidade que ela homenageia na Mostra Artefacto Curitiba 2018, por meio do filme Vicky Cristina Barcelona, de Woody Allen. Barcelona é uma cidade que valoriza sua arquitetura e, por isso, Priscilla valorizou características próprias do ambiente, buscando o conforto visual, a amplitude e a harmonia de cores neutras – destacadas na madeira natural clara e no acabamento em couro, metais e linho. No mobiliário, destaque para a mesa Carlo e a cadeira Vic, assinada por Jader Almeida exclusivamente para a marca.

Bonequinha de luxo, por Anna Letycia Loyola

O ambiente é pontuado por referências à Tiffany’s – e cheio de obras de arte, digno de uma Holly Golightly contemporânea.

Audrey Hepburn, a Bonequinha de Luxo, chegou ao topo. No ambiente de Anna Letycia Loyola, a icônica personagem de Truman Capote ascendeu e vive em um loft cheio de referências de arte em todas as paredes, em que estão tecidos nobres e mobiliário com estilo marcante. Destaque para a cadeira Mies, com recorte elegante e formas retas, e o banco Hara, feito em aço carbono e assento em fibra de buriti.

Modern desert, por Ana Letícia Virmond

O sofá Renzo confere um ar sofisticado e contemporâneo ao ambiente.

Cores e sensações do deserto, a partir de materiais e texturas, estão presentes no projeto de Ana Letícia Virmond, inspirado em Lawrence da Arábia. A arquiteta consegue transportar para os dias de hoje o ambiente que remete a um passado próximo, mas com traços modernos.

*Matéria publicada originalmente por Redação TOPVIEW, fotos por Marco Antônio e Salvador Cordaro, na edição 215 da revista TOPVIEW. 

In this article

Join the Conversation