Bungee Workout, o exercício para ficar fitness “por um fio”

A técnica que viralizou na internet chega a Curitiba unindo treinamento pesado à diversão

1459 0

Após alguns minutos de alongamento, as alunas vestem suas cadeirinhas de alpinismo e prendem-se a elásticos pendurados no teto da academia. Assim começam as aulas de Bungee Workout na Bungee Curitiba, no Alto da Glória.

No exercício – que viralizou, recentemente, na internet e foi criado em 2015, na Tailândia – os alunos fazem movimentos elaborados, semelhantes a uma dança, enquanto ficam presos a elásticos de bungee jumping. “Muita gente vem na empolgação, após ver os vídeos na internet, porém, é um exercício bem denso e cansativo”, conta Antonio Fadel, professor da Bungee Curitiba, que viu na modalidade uma forma de oferecer um exercício mais divertido e atrativo para quem não é muito fã da academia tradicional.

O tipo de aula depende da forma como o elástico é preso ao corpo: quando é ligado às costas, as aulas são mais focadas em saltos e exercícios mais agitados; quando é preso ao abdômen, porém, os movimentos são mais específicos para a parte central do corpo. Independentemente de onde o elástico é preso, conforme a aula progride, os exercícios aumentam cada vez mais de intensidade e, ao final, não há quem não esteja banhado em suor. Segundo os cálculos do professor, em uma única aula gasta-se de 380 a 520 calorias.

Por isso, Fadel afirma que o Bungee Workout é voltado sobretudo a quem quer emagrecer, não fortalecer a musculatura. Pela modalidade exigir bastante movimento e trabalho de salto, tampouco é recomendada para gestantes ou para quem sofre de labirintite ou hérnia de disco; porém, como os elásticos fazem uma força contrária à da gravidade e o piso da sala de aula é acolchoado, é ideal para quem não pode fazer exercícios com muito impacto (como quem tem problemas nos joelhos).

*Matéria publicada originalmente na edição 207 da revista TOPVIEW. 

Neste Artigo


Converse com a Gente