A nova moda deve olhar mais para as pessoas - TOPVIEW

A nova moda deve olhar mais para as pessoas

Diante do novo cenário, grifes fortalecem o laço com seus funcionários

Compartilhe

No início de março, logo que entramos em quarentena no Brasil, tínhamos questionamentos que até hoje não foram respondidos, continuamos com as mesmas dúvidas e, agora, com ainda mais. Talvez a única certeza diante desta pandemia é de que o mundo que conhecíamos não existe mais, nada será como antigamente. Os abraços serão mais valiosos, cada segundo de risada será eternizado, os cuidados com a higiene já estarão mais rigorosos e o mercado, ressinificado. Assim esperamos, afinal, um momento tão sensibilizado como este, só pode nos levar a um recomeço — e o mundo da moda não fica de fora.

Mesmo anteriormente ao período de isolamento social no mundo, a moda já vinha se transformando e aderindo um posicionamento mais humano: ela não se trata mais só sobre roupas, mas sobre as pessoas e principalmente aquelas que se encontram na base de tudo, na cadeia de produção. Segundo a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (ABIT), o Brasil possui 1,5 milhões de pessoas trabalhando neste setor, onde 75% são mulheres. Se somarmos os funcionários informais, esse número pode chegar a 8 milhões de trabalhadores.

Ao mesmo tempo em que temos uma situação muito difícil para a comunicação das marcas, afinal, incentivar o consumo frente a uma crise sanitária global é um tanto quanto delicado, por outro lado, existem milhões de funcionários desempregados — nos mais diversos setores — devido à situação econômica enfrentada pelo break mundial. Umas das marcas que se mobilizou diante desse cenário social foi a Mixed, que encontrou uma forma de manter seus funcionários sem que saíssem prejudicados.

De acordo com diretora financeira da Mixed Curitiba, os funcionários que ganhavam salários fixos pela medida provisória foram afastados, mas, além do teto máximo cedido pelo governo, a empresa está completando o valor do salário para que ninguém tenha qualquer tipo de redução. Por outro lado, os vendedores não foram afastados, assim, o incentivo à comissão de cada um vem das ações delivery e descontos que a marca concede aos clientes que utilizam, no site, o código do vendedor que lhe atendeu. “Estamos trabalhando muito as mídias digitais, posts diários no Instagram e mandando sacolas personalizadas para as clientes, de acordo com o perfil de cada uma”, conta a diretora sobre a nova forma de posicionamento da Mixed no mercado.

A nova coleção de Dia das Mães da grife está com envio de catálogo e vídeos disponível via Whatsapp. “Por sermos uma marca consolidada e de clientela fiel, trabalhamos sempre com atendimento exclusivo, entendendo o estilo de cada cliente”, finaliza Juliana.

Este conteúdo é produzido por TVBC

In this article

Join the Conversation