Artigo: Dia da Saúde Ocular e as recomendações para prevenir distúrbios da visão - TOPVIEW

Artigo: Dia da Saúde Ocular e as recomendações para prevenir distúrbios da visão

Confira o texto de Arthur Rubens Cunha Schaefer, médico cooperado da Unimed Curitiba, especialista em oftalmologia e atual presidente da Associação Paranaense de Oftalmologia

Compartilhe

À primeira vista, pode parecer exagerado marcar na agenda um Dia da Saúde Ocular. No entanto, quando observamos com atenção, é fácil perceber que campanhas de conscientização são ainda bastante necessárias – principalmente quando o objetivo é promover uma rotina saudável de exames preventivos, divulgar os principais cuidados com a visão e conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce. Cuidar-se agora pode evitar doenças e complicações futuras.

Neste sentido, podemos partir de uma análise do cenário brasileiro, onde são contabilizadas cerca de 50 milhões de pessoas que sofrem com diferentes distúrbios visuais. Estima-se que um total de 60% dos casos poderia ser evitado com diagnóstico precoce e tratamento. Quando ampliamos o foco, descobrimos que existe no mundo uma população de mais de 300 milhões de pessoas com deficiência visual, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Ainda assim, uma grande parcela dos casos poderia ser evitada, curada ou amenizada.

Porém, para isso acontecer, é fundamental a realização de exames preventivos. Afinal, doenças como o glaucoma podem apresentar sintomas perceptíveis apenas em estágios avançados, quando a perda da visão atinge um ponto normalmente irreversível. Portanto, um especialista pode identificar os menores sinais e oferecer um diagnóstico precoce, garantindo o tratamento que pode salvar a visão do paciente. É por isso que o dia 10 de julho foi escolhido para marcar a data da saúde ocular no calendário. Quando percebemos a importância desse olhar para os números, descobrimos que é indispensável alertar a população sobre a necessidade de consultas e exames.

Atitudes simples ajudam a garantir a saúde ocular. A primeira delas é incluir no calendário ao menos uma visita ao oftalmologista por ano. Para algumas pessoas, pode ser necessária mais de uma consulta anual; para outras, apenas uma a cada dois anos é suficiente – mas isso depende de cada caso. Quem pode indicar a frequência correta para você é o seu médico. Além disso, é preciso ficar atento à rotina e preservar a vista, principalmente aqueles que trabalham em condições que exigem muito dos olhos. Por exemplo, quem passa bastante tempo em frente ao computador. Neste caso, uma recomendação é fazer pequenas pausas de 10 minutos a cada 40 trabalhados. Entretanto, não vale cair de cara no smartphone durante o intervalo, combinado? O importante é deixar a vista descansar, relaxar um pouco. A sua saúde agradece por estes pequenos gestos.

Lembre-se que o cuidado com a visão deve começar já na infância e manter-se ao longo da vida. Logo depois do nascimento, o bebê precisa ser submetido ao “teste do olhinho”, um exame simples que pode diagnosticar doenças complexas, como retinopatia e catarata, além identificar complicações, como infecções e traumas oftalmológicos. O acompanhamento médico de crianças pode garantir o tratamento precoce de enfermidades como hipermetropia e miopia, sendo que a frequência de idas ao consultório deve ser estabelecida caso a caso. É importante manter esta rotina de visita ao médico oftalmologista durante a adolescência e a vida adulta, com especial atenção ao período a partir dos 40 anos. Nesta fase, podem surgir determinados sintomas, então o acompanhamento precisa ser intensificado.

Diabéticos têm grande probabilidade de desenvolver patologias nos olhos. Estima-se que, depois de 20 anos com diabetes, cerca de 90% dos pacientes do tipo 1 e 60% do tipo 2 são afetados por Retinopatia Diabética (RD), segundo levantamento da Sociedade Brasileira de Diabetes. Assim, tão logo a pessoa é diagnosticada com qualquer tipo, um dos primeiros passos deve ser a visita ao oftalmologista.

Resumindo, o cuidado com a saúde de seus olhos deve ser um hábito que começa na infância e mantido até a fase adulta. Vale ressaltar que, de acordo com estimativas, em torno de 60 milhões de pessoas são afetadas por distúrbios da visão causados pelo uso excessivo de computadores, número que aumenta a cada ano. Então, coloque na agenda sua visita ao médico oftalmologista – o único habilitado para quaisquer tratamentos – e se lembre de sempre reservar alguns minutos do seu dia para fechar os olhos, respirar fundo e relaxar.

Cuidar de você é um compromisso de hoje e de todos os outros dias.

*Escrito por Arthur Rubens Cunha Schaefer, médico cooperado da Unimed Curitiba, especialista em oftalmologia e atual presidente da Associação Paranaense de Oftalmologia (APO)

In this article

Join the Conversation