No alto da quarta idade - TOPVIEW

No alto da quarta idade

A atriz profissional e modelo Etty Nandes vive a plenitude dos 75 anos com muita disposição e novos projetos

0
Compartilhe

Lá por volta de 1940, os pais de Etty Nandes a levaram para assistir uma peça de teatro. Ela ficou encantada com os personagens no palco e decidiu que queria ser atriz. Seu pai alertou que a profissão não dava dinheiro, então ela sentenciou que trabalharia com jornalismo. E o fez. Pelo menos até tomar coragem, aos 50 anos, de voltar para a universidade para o curso de artes cênicas.

Hoje Etty, 75, é atriz profissional e modelo, ofício que começou aos 64 anos. Quando tento falar sobre idade, ela deixa claro o quanto o tópico é irrelevante em seu cotidiano. A rotina prova: corre 4km por dia, faz musculação, yoga, hidroginástica, natação, além de nadar. Já pulou até de paraquedas.

“Sempre pensei que ia ficar velha. Espero chegar aos 100, meu projeto é viver bastante. Sempre faço coisas novas, projetos de leitura, de viagem. Não tenho dificuldade nenhuma de mudar”, conta.

“Nunca me perguntei quantos anos eu tinha, mas, sim, quantos tinha vivido, quantos livros tinha lido.
Tenho mais realizações do que idade.”

Este ano promete ser intenso também. A atriz está participando de um filme, participará de dois espetáculos de teatro – um deles será sua primeira vez cantando, um superdesafio que adora. Na entrevista abaixo, compartilha seus ensinamentos e experiências.

Você mudou de carreira aos 50 anos. Como foi esse processo?
A transição foi tranquila, porque eu não tinha dúvidas sobre uma segunda atividade. Não parei de trabalhar, só mudei de profissão. Eu me preparei desde sempre para envelhecer com atividades físicas e alimentação saudável.

Sua carreira de modelo começou aos 64 anos.Você vê mais abertura do mercado para as belezas maduras hoje?
Socialmente uma mulher de cabelos brancos é aceita. Vendemos e consumimos os melhores produtos, viagens e espetáculos de qualidade. Temos o gosto mais requintado, mais apurado.

O que mais aprecia em seus 75 anos?
Aos 75 anos é ter a liberdade de ir e vir. E perceber que minha filha, Cili Nandes, está seguindo meus passos e decisões.

Como é sua rotina?
Acordo entre 4h30 e 5h, faço uma meditação de 40 a 60 minutos, como uma fruta e saio para caminhar 4km, todos os dias. Ao voltar, tomo o café da manhã (com ovos, que eu adoro, para repor as energias), e aí começo o dia. Faço outras atividades físicas durante a semana também, como nado, yoga, musculação e hidroginástica.

Qual conselho daria para você mesma aos 25 anos?
Eu diria: “não se preocupe menina, isso também vai passar. Espere. E não tome nenhuma decisão quando estiver muito triste ou muito alegre.”

Qual a experiência mais impactante que já viveu?
Fazer um espacate (abertura total no chão) perfeito e saltar de paraquedas.

Qual foi o melhor ensinamento que aprendeu com o envelhecimento?
Aprendi três coisas em especial: que tudo é transitório, como influencio as pessoas com minha vida e que preciso da certeza da espiritualidade.

*Matéria originalmente publicada na edição #232 da revista TOPVIEW.

In this article


Join the Conversation