SELF

Não leve seu celular pra cama (só hoje)

"Espero que durma tão bem quanto eu. Esses são meus novos luxos"

Após uma semana de muito trabalho, na noite de sexta-feira passada deixei meu telefone celular carregando e decidi “esquecê-lo” por volta as 21h. Quando acordei no sábado contei para a minha esposa que tinha dormido uma excelente noite de sono. Como passei por um ano muito difícil, com a morte do meu pai e esse isolamento social por quase 1 ano e meio, a qualidade do meu sono foi bastante reduzida. Mais tarde percebi que não ter usado o telefone celular algumas horas antes de dormir tinha feito minha noite de sono infinitamente melhor.

Não quero concluir aqui que “a partir de hoje vou reduzir drasticamente o meu uso de tecnologia”. Seria um baita papo furado. Somente quero que este texto sirva para lembrar-me de prestar mais atenção à realidade. O mundo analógico está acontecendo e todos estamos muito viciados ou, no mínimo, acostumados a ver a realidade ser entregue por aplicativos e dados.

No sábado decidi continuar a “experiência” de não usar tanto meu telefone celular e fui almoçar com minha filha de 8 anos. Mais tarde ela disse à minha esposa: “Foi ótimo almoçar com o papai, estava com saudade dele.” Detalhe: nós almoçamos juntos quase todos os dias, mas ela estava sozinha. Nós estávamos sozinhos. Separados por dados.

Minha empresa é 100% dependente de tecnologia e dados. Sem isso não somos capazes de ter um dia de faturamento. Operamos completamente digitais e remotos desde 2018, não temos impressoras desde então.  Fui eleito LinkedIn Top Voice, sou apresentador de um podcast gravado na nuvem e tenho 2 salas semanais num aplicativo de broadcasting, ou seja, eu praticamente moro na Internet e reafirmo que tecnologia é algo maravilhoso, mas precisamos prestar atenção quando e em que extensão ela deve estar presente em nossas vidas.

Se puder, tente hoje desligar seu celular uma hora mais cedo, não assista TV ou não ligue seu computador. Leia um livro de papel, cozinhe, prepare uma receita ou até ligue para alguém por voz – como antigamente. Espero que durma tão bem quanto eu. Esses são meus novos luxos.

Sobre o colunista

Diego Godoy é headhunter e sócio da RecrutamentoFacil.com. Trabalhou em empresas multinacionais do segmento de serviços profissionais como PwC, Michael Page e Walt Disney Company. Também é fundador do Projeto Um Por Cento, reconhecido como iniciativa oficial pelo ACNUR e que trabalha na recolocação de refugiados no mercado de trabalho do Brasil. Foi eleito pelo LinkedIn um dos “Top Voices” em 2021.

Diego Godoy (Foto: acervo pessoal)

Deixe um comentário