Esporte: os melhores parques em Curitiba para correr

Run, darling, run! Os 4 melhores parques para correr em CWB

Segurança, paisagem e nível de dificuldade do percurso são alguns dos critérios mais importantes para os praticantes do esporte

530 0
Compartilhe
Parque Tingui.

Por Bianca Smolarek

Curitiba é famosa pela quantidade e beleza de seus parques públicos, que só pela Linha Turismo recebem mais de 40 mil visitantes por mês, em média. Para além do turismo, os parques da capital também são cada vez mais conhecidos por seus diferenciais para quem pratica esportes, como caminhadas e corridas.Segundo o Ibope, o atletismo é a prática esportiva preferida pelos brasileiros. Em 2011, já eram mais de 6 milhões de adeptos pelo país e esse número só cresce. Por isso, a TOPVIEW conversou com um grupo de corredores de rua – entre iniciantes e maratonistas experientes – e listou os cinco melhores parques para se correr em Curitiba. 

 

São Lourenço 

Parque São Lourenço.
Parque São Lourenço.

Tem 1,4 km de pista e é o preferido de quem treina subida, por ter trechos íngremes e que simulam corrida de montanha. O estacionamento fica fora do parque, mas lá dentro tem banheiro livre e uma bica de água ao lado da pista. A instalação de um posto da Guarda Municipal no local garante maior sensação de segurança, mas ainda assim há quem prefira só correr por lá durante o dia. Outro motivo é a paisagem. “Nos dias de inverno, o relevo e a vegetação dão um ar europeu ao parque, que fica em um fundo de vale a menos de 3 km do Bosque do Papa, outra joia, separados por uma pista plana e pouco concorrida”, conta o empresário Rodrigo Werneck.
Parque São Lourenço: R. José Brusamolin, s/n, São Lourenço. Aberto 24h.

 

Barigui

Parque Barigui.
Parque Barigui.

Famoso pelo percurso longo e plano, o parque oferece duas opções de quilometragem: 3,3 km e 5,2 km. Tem três estacionamentos amplos e as chances de achar uma vaga são sempre grandes. Oferece dois bebedouros e três banheiros (sendo um pago), mas, para alguns corredores, esses são serviços que poderiam ser ampliados em quantidade e qualidade. A segurança é considerada boa durante o dia, até pelo movimento do parque, mas a maioria não recomenda ir sozinho à noite, especialmente no trajeto maior ou nas trilhas dentro da mata. O ponto alto? A paisagem. Treinar pela manhã, quando o sol nasce e reflete no lago, ou durante o pôr do sol, é uma experiência única.
Parque Barigui: Av. Cândido Hartmann, s/n, Bigorrilho. Aberto 24h.

 

Tingui 

Parque Tingui.
Parque Tingui.

Com 5 km de pista, é famoso por possibilitar treinos com pouca repetição de cenários. Tem várias opções de estacionamento e, em setembro, a Prefeitura deu início à implantação de 226 postes. Isso amplia a infraestrutura para corridas noturnas, especialmente para quem curte subidas, trilhas e mata fechada. Os caminhos mais arborizados também atraem corredores nos dias mais quentes.
Parque Tingui: Av. Fredolin Wolf, 1.870, Pilarzinho. Aberto 24h.

 

Jardim Botânico 

Jardim Botânico.
Jardim Botânico.

Está entre os que oferecem maior variedade de percursos A volta tem 1,8 km, mas a quilometragem pode variar de acordo com as escolhas de trajeto. Com muitas subidas e descidas, é ideal para treinos de maior dificuldade. A infraestrutura inclui bebedouros e banheiro e a segurança é considerada boa, pois o parque é cercado. “Adoro a paisagem! Tem bastante diversidade e áreas verdes. Pela manhã, há bastante umidade”, relata o gerente de produto Luís Augusto de Paula.
Jardim Botânico: R. Engo. Ostoja Roguski, s/n, Jardim Botânico. Das 6h às 20h.

Neste Artigo

Converse com a Gente