Saiba quando o peso da balança é tudo o que você precisa saber (ou não)

A BALANÇA MENTE? Conheça diferentes métodos de medição corpórea

Quando o objetivo do paciente é o emagrecimento, a preocupação com o peso em si não deve ser a coisa mais importante do processo

343 0
Compartilhe
Foto: Shutterstock

Por Bianca Smolarek

Massa magra, massa gorda, massa muscular, gordura visceral, nível de hidratação, retenção de líquidos gerada por enfermidade ou período pré-menstrual. Todos esses são indicadores corporais não mensurados quando você sobe em um balança tradicional. O que não significa necessariamente que a simples medição na balança seja incorreta ou insuficiente. Tudo depende do seu objetivo.

“Existem pelo menos seis métodos, amplamente aceitos cientificamente, de medição corpórea. A escolha depende da perspectiva de avaliação”, explica Laiza Tabisz, endocrinologista do Plunes Centro Médico. Segundo ela, cada método apresenta um conjunto distinto de informações e, por isso, na prática clínica, é comum os profissionais combinarem dois ou mais métodos diferentes para embasar um diagnóstico. 

“Embora nem todo mundo que monitora o peso esteja passando por algum tipo de tratamento de saúde, hoje em dia é comum as pessoas desejarem, espontaneamente, conhecer esse quadro detalhado sobre a composição corporal. Para isso, é importante procurar um profissional capaz de aferir cada detalhe com mais precisão”, diz a especialista em nutrição clínica, Aline Patschiki.

Quando a balança é suficiente

A balança é a ferramenta ideal para quem busca apenas monitorar seu peso corporal total, a fim de manter a forma. Para isso, o mais viável é escolher a balança de uma mesma farmácia ou ter uma balança doméstica e usar sempre a mesma, semanal ou quinzenalmente. 

Aline frisa que, quando o objetivo do paciente é o emagrecimento, a preocupação com o peso em si não deve ser a coisa mais importante do processo. “Esse é apenas um parâmetro. Mais importante é focar na alimentação correta sem se prender tanto aos números, mas sim às mudanças que ele vai perceber no seu corpo e na sua vida.” Monitorar o peso de forma excessiva pode, inclusive, impactar o psicológico de forma desfavorável.

Outros métodos de medição corpórea

Subir na balança não é o suficiente para quem precisa conhecer sua composição corporal de forma mais detalhada, especialmente para fins de tratamentos médicos ou nutricionais. Nesses casos, os métodos mais utilizados por profissionais para realizar a medição corpórea são:

  1.  Medição de pregas cutâneas  É feita com o uso do adipômetro, equipamento que “belisca” alguns pontos do corpo e, a partir de uma equação, estima a massa gorda e a massa magra. É muito comum na nutrição esportiva, usado inclusive em academias;
  2.  Bioimpedância Consiste na aplicação de uma corrente elétrica de baixa amplitude ao longo do corpo. De acordo com os dados de resistência e de armazenamento dessa corrente, o software do equipamento interpreta a gordura corporal total, massa muscular, gordura visceral, entre outros;
  3.  Ultrassom Já existem aparelhos de ultrassom que medem a profundidade da camada de gordura subcutânea. A composição corporal é calculada a partir daí, por meio de um aplicativo que utiliza fórmulas semelhantes à equação usada na medição por adipômetros. 

*Coluna publicada originalmente na edição 219 da revista TOPVIEW.

Neste Artigo

Converse com a Gente