#FamíliasEmCasa - TOPVIEW

#FamíliasEmCasa

Websérie traz dicas para enfrentar as maiores dificuldades apontadas pelas famílias durante o isolamento

Compartilhe

Há semanas em distanciamento social, muitas famílias já sentem os efeitos do convívio neste novo cotidiano. As mais vulneráveis tentam administrar as dificuldades financeiras e a ausência ou desafios de acesso às aulas de seus filhos. As que tem melhores condições contam os dias para levar os filhos para a escola, atividades complementares e retomar as suas rotinas de trabalho e lazer. Semana após semana, algumas dificuldades de adaptação das famílias em permanecer 100% do seu tempo juntas, dentro de casa, tendem a se agravar se algumas rotinas não forem reajustadas.

O Centro Marista de Defesa da Infância lançou no Youtube a Websérie #FamíliasEmCasa, com vídeos rápidos que vão ajudar pais, mães e cuidadores a administrar melhor esse tempo de novas rotinas, experiências e sentimentos, como medo, tristeza e irritação.

“Os temas de cada capítulo foram abordados por parceiros externos e internos do Centro de Defesa, todos voluntários, com uma linguagem simples e acessível a todos os públicos”, explica Vinícius Gallon, um dos idealizadores do projeto.

Os capítulos, que já podem ser assistidos no Youtube, tratam de temas sobre o direito de brincar, comunicação não violenta, reorganização da rotina familiar, inclusão, prevenção de acidentes domésticos, prevenção à violência contra meninos e meninas, segurança na internet e alimentação saudável.

Confira a sinopse de cada capítulo:
Do tédio à criação: a importância do brincar no isolamento
Brincar é um exercício fundamental para o equilíbrio emocional, para o desenvolvimento de habilidades corporais e mesmo para a aprendizagem de regras de convivência. Neste vídeo, o professor Nélio Sprea (Parabolé Educação e Cultura) fala sobre a relevância das experiências lúdicas e deixa dicas práticas de como potencializar o brincar  a partir do protagonismo da criança. Segundo ele, durante o período de isolamento, é importante dar oportunidade ao tédio e qualificar as brincadeiras, para que sejam também simbólicas.

Comunicação e Acolhida: cuidar das relações durante o isolamento
Neste vídeo, o psicanalista Rogério Silva (Pacto) nos explica como evitar os possíveis atritos durante o período de permanência em casa por meio de um modo de agir não violento. Prestar atenção nas emoções, acolher os efeitos deste momento sobre cada um de nós e transformar as reclamações em pedidos pode mudar positivamente a dinâmica da convivência familiar. Para Rogério, este é um momento extraordinário, que requer paciência e cuidado.

Envolvimento e respeito na reorganização da rotina familiar
Respeito, paciência e sinceridade. Neste vídeo, a assistente social Raimunda Barbosa (Grupo Marista), traz uma conversa sobre como garantir que a convivência em tempos de isolamento seja benéfica. Para ela, a forma como a rotina familiar irá funcionar depende do envolvimento de todos, com distribuição de atividades que cada um possa dar conta e participação das crianças e adolescentes na tomada de decisão sobre a rotina e os acordos da casa. Comunicar as necessidades são as palavras-chave.

Habilidades socioemocionais como caminho para a inclusão
Dificuldades de atenção, concentração e memória. Acompanhar crianças e adolescentes em relação aos seus compromissos a partir da reorganização da rotina familiar é uma necessidade contínua. Contudo, neste período de isolamento algumas crianças podem precisar de um apoio mais dedicado da família. A psicóloga Regiane Ruivo (Grupo Marista) deixa propostas de como respeitar e acolher as diferenças por meio da colaboração, cooperação, cuidado com o próximo e empatia.

Prevenção de acidentes domésticos com crianças e adolescentes
Acidentes domésticos se tornaram um problema frequente entre crianças e adolescentes durante o isolamento. Quedas, fraturas, ingestão de corpo estranho e queimaduras são ocorrências que podem acontecer durante este período. O pediatra Eduardo Gubert (Hospital Pequeno Príncipe) apresenta dicas de como tornar a casa um ambiente mais seguro possível em meio à intensa rotina familiar durante a pandemia.

Protegendo crianças e adolescentes da violência durante o isolamento
Um dos efeitos percebidos durante o isolamento é o aumento de casos de violência contra crianças e adolescentes. Não somente a agressão física, mas também a violência psicológica ou emocional, a negligência, a exploração do trabalho infantil e a exploração sexual. Neste vídeo, o psicólogo Pedro Carneiro (Grupo Marista) deixa algumas orientações de como prevenir estas situações. Cuidar da própria saúde mental, conversar com a rede de apoio e ajudar as crianças a entenderem o que estão sentindo são exemplos que podem contribuir com a prevenção da violência. E se houver evidências de uma situação de violência, denuncie!

Cuidados com a alimentação durante o período de isolamento
A alimentação saudável deve ser uma constante na nossa vida, mas o período de quarentena pode acabar facilitando o consumo de alimentos ultraprocessados, que não fazem bem para o nosso corpo. Pensando nos desafios de se alimentar de forma adequada durante, o nutricionista do Conselho Regional de Nutricionistas, Alexsandro Wosniak deixa dicas importantes que incluem: inserir alimentos in natura na rotina familiar, comer três a quatro frutas por dia, estimular as crianças e adolescentes a participar da produção da refeição, entre
outras. Confira!

A tecnologia na vida de crianças e adolescentes: segurança e acompanhamento familiar
É inegável dizer que a tecnologia traz benefícios no nosso cotidiano, aproximando e facilitando o contato entre as pessoas em um período de isolamento. Como utilizar com segurança e qualidade todos os benefícios que os dispositivos nos oferecem? Neste vídeo, Caroline Ferreira, pedagoga e Gerente de Tecnologia do Grupo Marista deixa dicas de como criar regras saudáveis para o uso dos equipamentos, estabelecer regras de segurança e aproveitando as opções de controle parental que os programas oferecem. Também explica como prevenir e encaminhar situações de violência que podem acontecer online.

Dica da Semana

A Editora Biruta está promovendo o Concurso Cultural “Meu personagem ganha vida”. O desenho com o personagem mais legal e biruta de todos vai ganhar um boneco personalizado pela Bololofos. Isso mesmo, o personagem da imaginação vai ganhar vida. Para participar, é preciso ter menos de 18 anos. A criação deve ser enviada por e-mail [contato@editorabiruta.com.br] até 12h do dia 10/07/20. O nome do concurso, Meu personagem ganha vida, deve constar no título do e-mail. O ganhador será anunciado no dia 14.

Sobre a colunista

Eu sou a Danielle Sommer, jornalista, autora de livros infantis e mãe do David, 7 anos, e da Amanda, 5 anos. Aqui vamos conversar um pouquinho sobre esse universo corrido e apaixonante que entramos quando somos promovidos a mães e pais! Ah! O conteúdo é liberado também para avós, tios, dindos e quem mais quiser trocar dicas conosco. Aqui você vai ler roteiros, desabafos e entrevistas. Quer falar comigo danisommer@gmail.com. Aproveite para curtir no Facebook e no Instagram.

Danielle Sommer.
In this article

Join the Conversation