SELF

Estudantes paranaenses se destacam em competição internacional para futuro sustentável

Alunos de Cascavel participam de projeto global com mais de 700 escolas e conquistam 26.º lugar no ranking geral

Alunos da 1.ª série do Ensino Médio do Colégio Passo Certo, de Cascavel, participaram do Project Green Challenge (em português, Desafio Verde). A competição internacional mobilizou mais de 4.800 estudantes de ensino médio, universitários e de pós-graduação de 776 instituições de ensino de 49 países que, durante 30 dias, realizaram desafios sustentáveis. O colégio ficou na 26.º colocação na competição – a única instituição brasileira no ranking das 40 primeiras colocadas. 

Segundo o professor de Língua Inglesa da disciplina Global Perspectives, Joni Márcio Dorneles Fontella, é a primeira vez que o colégio participa e a boa colocação se deve ao empenho e entusiasmo dos alunos. “A nossa excelente pontuação é motivo de orgulho e pode ser atribuída ao fato dos grupos terem se engajado e realizado todos os desafios propostos no projeto. Assim como a iniciativa, também queremos que nossos alunos se preocupem, pensem e discutam sobre problemas globais”, destaca.

O objetivo do projeto é tratar de temáticas de relevância global como clima, água, desperdício de alimentos, entre outras. A cada dia foi lançado um tema diferente e, em cada um, foram repassados três desafios que deveriam ser cumpridos e comprovados por fotos, relatos ou vídeos publicados nas redes sociais ou na plataforma do projeto. Os estudantes foram incentivados a pensar em possíveis soluções para problemas relacionados aos temas apresentados.

O Colégio Passo Certo participou em equipes de quatro alunos. Uma delas, a Greengos, formada pelos estudantes cascavelenses Ana Júlia Baldissera da Silva, Artur Sarolli Dacome, Desirée Cristina Alves Epifanio e Pedro Bianconi Forcelini, foi destaque e ficou em 30.º lugar no ranking de grupos. Para Ana Júlia, a experiência foi muito diferente e, literalmente, um desafio. “No começo, tivemos muita dificuldade em conciliar as tarefas da escola com as atividades do projeto, mas fomos pegando o jeito ao longo do tempo. No final, ficamos muito felizes com os resultados e aprendizados. Durante as pesquisas sobre os temas, pude perceber e observar, na prática, a importância de preservar o meio ambiente, além de concluir que cada pequena ação e mudança de hábito impactam e ajudam a salvar nosso planeta”, comenta.

Entre tantos desafios, o que mais marcou a estudante foi a parte dos oceanos, pois, segundo ela, aprendeu sobre diversos fenômenos que ocorrem nesses ambientes em decorrência das ações dos seres humanos, as quais alteram o equilíbrio natural dos ecossistemas terrestres. Outra tarefa era contactar uma equipe participante desconhecida. O grupo de Ana Júlia foi longe para cumprir o desafio. Utilizando o Instagram, localizaram uma equipe de Nova Iorque e conseguiram fazer uma reunião virtual. “Essa foi uma atividade que se destacou, pois tivemos a oportunidade de trocar muitas ideias e descobrir outras realidades, além, é claro, de exercitar nosso inglês conversando com estudantes de outro país”, conta.

Grupo durante um dos desafios em reunião virtual com equipe de Nova Iorque (Foto: divulgação)

O desafio tirou o aluno Artur Dacome da rotina e o ajudou a se conscientizar ainda mais em relação à conservação do meio ambiente. “O mais interessante foi aprender coisas novas todos os dias. Hoje, o aprendizado me ajuda nas aulas de redação, de biologia, pois quando se toca no assunto, sei falar muito mais, e entender melhor”. Para ele, a grande lição foi a dedicação, já que, a partir do momento que se comprometeu a participar do desafio, decidiu dar o seu melhor. “Foi bom e é melhor trabalhar em grupo porque fica mais fácil, além de um contribuir com o conhecimento do outro. Trocamos muita informação. Esse trabalho realmente mudou a minha vida. Foi apenas um mês de atividades, mas sempre quis mudar minha relação com o meio ambiente e esse projeto me tornou uma pessoa melhor em relação a isso”, finaliza.

Deixe um comentário