Embaixadora de boas ações: Luciana Almeida, setembro de 2018 - TOPVIEW

Embaixadora de boas ações: Luciana Almeida, setembro de 2018

A ONG Médicos de Rua presta serviços para a população em situação de rua e em 3 ações já realizou mais de 2.000 mil atendimentos

723 0
Compartilhe

Profissionais para o bem!

A ONG Médicos de Rua busca prestar atendimento multidisciplinar para pessoas em situação de rua, fornecendo assistência médica, odontológica, jurídica, entre outras. Em Curitiba, o projeto teve início em janeiro de 2018, com a primeira ação em junho. “Quando soube do Projeto Médicos de Rua, fiquei curiosa. Fui vê-lo, entender como funcionava e quem estava na organização. Quase não acreditei no que vi: fiquei surpresa com a quantidade de profissionais atendendo a população de rua”, explica Luciana.

O que começou com um grupo de médicos conta hoje com a participação de enfermeiros, dentistas, fisioterapeutas, farmacêuticos, biomédicos, psicólogos e assistentes sociais. Logo depois, passaram a integrar a ação advogados, cabeleireiros e esteticistas. Além desses atendimentos, os voluntários também oferecem café da manhã às pessoas em situação de rua. Hoje, o movimento conta ainda com veterinários, já que as pessoas em situação de rua geralmente têm animais domésticos.

Os atendimentos acontecem em forma de “esteira”. Primeiro, os pacientes passam pelas triagens. Essa etapa é realizada por alunos de medicina, acompanhados por médicos, para determinação do diagnóstico e da conduta. Em seguida, ocorrem as estações terapêuticas, que envolvem procedimentos como glicemia capilar, testes, farmácia e curativos. Após o exame clínico, iniciam-se os demais cuidados, como saúde bucal, mental e orientação jurídica. 

Como você pode ajudar

Os médicos Emilly Santos e Ricardo Sirigatti.

Aqui em Curitiba (a ONG também existe em São Paulo), o projeto é coordenado pelo Dr. Ricardo Sirigatti e pela Dra. Emilly Santos. Segundo Ricardo, toda ajuda é bem-vinda: o importante é estar disposto a doar um pouco do seu tempo para ajudar. Para o projeto existir, a ONG precisa de pessoas que possam atuar como auxiliares durante o atendimento, servindo comida e colaborando com a logística.

Hoje, Luciana participa divulgando as doações, pois a ONG precisa delas para atender a população. É possível doar itens básicos, como produtos de higiene, roupas e calçados, ou materiais de uso permanente, como mesas e cadeiras. Parcerias que ajudam no atendimento dos pacientes “pós-praça” também são importantes, pois auxiliam na reinserção social.

Por vezes o atendimento prestado não é médico, mas sim humano. “Às vezes, um abraço e dois minutos de conversa já são o suficiente”, explica Ricardo. “Participei como voluntária na última ação, o que me motivou a trazer o tema para a revista. O projeto é lindo, vale a pena ajudar”, incentiva Luciana. A próxima ação acontecerá no dia 30/9. Mais informações no facebook.com/medicosderua.cwb.

Ricardo ao lado de uma das acadêmicas que participam do projeto.
Na 1ª ação, a ONG realizou mais de 300 atendimentos sociais e clínicos. Esse número duplicou na 2ª ação e triplicou na 3ª. Ao todo, a equipe já realizou mais de dois mil atendimentos.

Pontos de coleta

Hugo Lange: Laboratório LANAC Central: Rua Itupava, 998. Entrega no Almoxarifado, a/c Matheus.
Centro: Clínica Clip, Praça Rui Barbosa, 571.
Pinheirinho: Maxifarma, Rua Nicola Pellanda, 1.286, a/c Ricardo.
Bigorrilho: R. Desembargador Otavio do Amaral, 1.091, Ap. 206, a/c Ana Paula.
Acadêmico de Medicina UP (CAZA), a/c Beatriz.
Acadêmicos de Medicina PUCPR (CAMMA), caixa de doações, a/c Dani Vendramini ou Amanda Zanlorenzi.

*Matéria publicada originalmente na edição 215 da revista TOPVIEW. 

In this article

Join the Conversation