A importância da imagem pessoal

A importância da imagem pessoal

por Camila Gino Em um mundo cada vez mais visual, em que discursos se tornam enxutos e ícones dizem tanto, áreas voltadas à apresentação social – que vão...

2410 0
Compartilhe

por Camila Gino

Em um mundo cada vez mais visual, em que discursos se tornam enxutos e ícones dizem tanto, áreas voltadas à apresentação social – que vão de amplas consultorias envolvendo desde postura e etiqueta até design de imagem e personal styling – se mostram uma tendência crescente.  Claro que esse trabalho pode começar a qualquer época, mas por que não no início do ano, quando já nos dispomos a mudar e investir mais em nossos planos e carreira? A TOP VIEW foi saber mais sobre esta tendência. Conversamos com as consultoras de imagem Gisele Busmayer e Claudia Piantini e com suas clientes – ambas indicaram profissionais de coaching, área de desenvolvimento profissional e pessoal que também cresce notadamente nos mercados local e global – para as entrevistas. Também falamos com o consultor em marketing pessoal Adriano Barbosa, que aqui fala da importância do personal branding e do trabalho de apresentação para alavancar a carreira. Confira, e lembre-se de caprichar (sempre) na postura e no visual.

EM BUSCA DO SEU MELHOR “EU”

Quem diria que o encontro casual no salão de beleza com a analista em comportamento de imagem Claudia Piantini seria tão produtivo! A coach Adriana Ferrareto estava de fato em busca de um especialista para trabalhar sua apresentação pessoal, e então aconteceu, por acaso, o encontro com Claudia. “Busquei o trabalho de desenvolvimento em imagem pessoal porque aprecio o autoconhecimento, e já havia trabalhado muitos aspectos. Mas faltava descobrir e valorizar minhas potencialidades”, explica Adriana, que já atua como coach há 11 anos, recém-lançou o livro Sob o Signo da Sombra: O Super-herói Profissional (Editora Almenara, 2014) em parceria com a também coach Jo Pavezi, e apresenta o programa de rádio Marca Pessoal, na Lumen FM. O trabalho, iniciado há 18 meses, rendeu bons frutos. “Mais segura, passei a valorizar os elementos positivos do meu físico. Percebi que não precisava me esconder, apesar de estar fofinha”, revela. “Pedi à Claudia para me ajudar a traduzir uma imagem real de quem eu sou sem desvalorizar nem superpotencializar.” Identificar os pontos fortes do profissional e transmiti-los ao mercado é  justamente a proposta de Claudia Piantini. “É um trabalho de dentro para fora”, enfatiza ela. Com formação em moda, comportamento e imagem pessoal com profissionais de referência mundial – como Philip Hallawell (visagismo), Celine Dubos (colorimetria e maquiagem) e Lia Riguet e Ilana Berenholc (consultoria de imagem) –, foi uma das pioneiras neste campo em Curitiba.

IMAGEM

Ela explica que seu trabalho abrange desde a estética até aspectos de comportamento, postura pessoal e profissional, etiqueta, organização e estilo de vida. Tanto que foi buscar embasamento em questões motivacionais e antropológicas. Está se especializando em Antropologia Cultural pela PUCPR. “Imagem não é o que você fala, mas o que o outro entende de você”, salienta. “Então, é importante aproveitar tudo o que a pessoa tem de positivo e neutralizar aquilo que pode vir a ser negativo.” Neste trabalho, a pessoa tem que ser verdadeira para transmitir uma imagem coerente. Isso inclui até a linguagem do site e a decoração da casa e do escritório. “Tudo isso diz coisas sobre você”, explica Claudia. “No caso da Adriana, fizemos uma consultoria que abrangeu todos os aspectos. No salão onde nos conhecemos, as pessoas lembram como ela mudou. Mas ela não mudou, ela é assim”, comenta. “Quando a pessoa vê a Adriana, já sabe quem ela é antes mesmo de ela falar. Seu conteúdo se reflete na sua imagem.”

VOCÊ É SEU MELHOR PRODUTO Vender bem a si mesmo pode abrir todas as portas. E este é o escopo do marketing pessoal, ou personal branding. “Trata-se da comunicação do que você tem de melhor”, define Adriano Barbosa, diretor da Ponto Pessoal, agência pioneira neste campo no país, atuando desde 2006. Barbosa é supervisor do curso de Empreendedorismo e professor de Marketing Pessoal no Centro Europeu, além de supervisor colaborador do curso de Mercado de Luxo do Instituto Superior de Administração e Economia (Isae) em parceria com o Institut Supérieur du Commerce (ISC Paris Business School). Aqui ele revela os caminhos para um bom plano de marketing pessoal.

TOP VIEW – Como o plano de carreira se relaciona com o de imagem pessoal?  ADRIANO BARBOSA – Ele contempla todo o conteúdo que o profissional pode ter: histórico de vida, resultados, as pessoas que conhece e as empresas por que passou e onde está, além dos passos que virão. O plano de imagem pessoal é uma etapa importante, pois é a comunicação daquilo que o indivíduo quer que seja reconhecido. Isso compreende redes sociais, postura pessoal e profissional e aparência física e comportamental. Esse trabalho trata, antes de tudo, da autoconfiança.

TV – Como desenvolver um plano de marketing pessoal?

AB – Sempre trabalho dois pilares. A pessoa que quer se vender no mercado deve se preocupar com a carreira, que abrange o conteúdo do profissional; e a imagem, que compreende a forma como as pessoas vão observar seu comportamento.

TV – O que é a Pirâmide da Marca Pessoal?

AB – É um formato desenvolvido por mim para a identificação do nosso diferencial no mercado a partir do resgate de todo nosso histórico profissional. A base da Pirâmide é constituída pela formação, especializações, experiências, projetos, características ou competências. A Pirâmide por completo é única para cada indivíduo e permite que o profissional reconheça seus passos até o momento, sabendo se valorizar diante dos demais.

TV – Sua metodologia aplica os P’s do marketing também à promoção pessoal: quais são os 6P´s do marketing pessoal?

AB – Produto – a própria pessoa; Praça – onde ela atua; Promoção – como ela se comunica; Preço – quanto ela vale; Pessoas – com quem ela se comunica; Posicionamento – aonde ela quer chegar. As respostas a estes P’s situam o profissional em relação ao mercado em que ele faz parte, trazendo informações importantes para suas estratégias de venda pessoal.

TV – E quais são as cinco etapas decisivas do marketing pessoal?

AB – Autoconhecimento para que o profissional tenha claro seu objetivo. Pesquisas – estudar o mercado é fundamental para a venda pessoal. Networking, porque melhores oportunidades estão nas mãos de poucas pessoas, por isso o relacionamento deve ser uma prioridade. Promoção, que abrange de redes sociais a cartões de visitas e toda forma que o profissional utiliza para se comunicar. Por fim, resultados, etapa decisiva para observar se o indivíduo está no caminho certo.   

MAIS SOBRE MARKETING PESSOAL

Modalidade que vem ascendendo como foco de preocupação e necessidade profissional, o personal branding já conta com mais opções de aprofundamento e pesquisa no Brasil. Entre elas: Revista Digital Ponto Pessoal www.pontopessoal.com.br/revista/numeros Livro Marketing Pessoal – Dez etapas para o sucesso! Autor: Sady Bordin Editora: Best Seller Preço médio: R$ 25,00 www.record.com.br

A BELEZA DA HARMONIA

O closet não precisa ser entulhado e nem é preciso gastar rios de dinheiro para ter uma apresentação adequada. “Muito pelo contrário, quanto melhor a pessoa se conhece e os seus potenciais, menos ela vai errar e, com isso, vai comprar menos e ter mais resultados”, observa a designer de imagem Gisele Busmayer. Ela também atua como designer de interiores e conta que alguns clientes acabam fazendo trabalhos coordenados, com dicas de etiqueta e comportamento, também nas redes sociais. “São áreas relacionadas. A apresentação pessoal vai muito além da aparência física”, explica. Gisele atua na área de design de imagem há três anos. Além de Curitiba, atende clientes em Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro, onde há demandas expressivas nesta área. Ela informa que o motivador número um da procura é o modo de vestir. “Quando chegam, os clientes querem aprender a se vestir melhor, combinar peças, valorizar o corpo, e então percebem que o trabalho envolve muito mais que isso.” Para ela é importante identificar a personalidade do cliente para que o exterior traduza quem esta pessoa é. Depois vem o trabalho com vestuário, visagismo, colorismo [a cartela de cores adequada para cada pessoa] e outros aspectos que o cliente demandar. “Para mim, é muito importante que ele ganhe independência, saia daqui conhecendo melhor a si e a seus pontos fortes. Um bom trabalho de imagem permite que o cliente saia sabendo comprar sozinho e atinja a harmonia.” Ao final, ela monta um lookbook para cada cliente.

A coach Karina Reis (à direita) contou com a assessoria da designer de imagem Gisele Busmayer: sobriedade temperada com jovialidade
A coach Karina Reis (à direita) contou com a assessoria da designer de imagem Gisele Busmayer: sobriedade temperada com jovialidade

JOVIALIDADE

Ex-gerente financeira, atuando há quatro anos como coach, Karina Reis, 34, buscou a consultoria de imagem para complementar sua apresentação profissional. “Tenho uma experiência de vida e profissional muito grande, maior do que minha idade indica. Então, queria que isso ficasse evidente já no primeiro contato”, explica. “Gostaria de realçar a seriedade no visual, mas mantendo a jovialidade.” Ela passou por corte de cabelo e consultoria em cor e vestuário. “Foram adequações de apresentação que deram ótimos resultados. Aprendi, por exemplo, a manter o visual sério, mas incorporando cores no visual e fugindo do preto. Isso transmite minha personalidade com traços de criatividade e ousadia, características importantes para o coach”, avalia, garantindo que, além de atrair mais olhares, percebe que sua  credibilidade profissional foi reafirmada pelo visual.



Join the Conversation