A todos os homens que não são mais os mesmos - TOPVIEW

A todos os homens que não são mais os mesmos

O que a história atribuiu aos homens e mulheres? Não é só um algoritmo ou cromossomo que a separa a brutalidade da vulnerabilidade

547 0
Compartilhe

Não é só um algoritmo ou um cromossomo que separa a brutalidade da vulnerabilidade. A raiz da ideia de que homens não choram é bem anterior ao icônico choro de Don Vito Corleone pela morte de um de seus filhos em O poderoso chefão. [Eu não lembro a última vez que eu chorei.]

O choro é livre, mas historicamente atribuído às mulheres. Em uma educação cristã, é claro que é o choro de Maria com o filho morto no colo que virou um dos motivos artísticos mais recorrentes na história da arte: Pietá, que nas mãos de Michelangelo ficou um xuxu.

Piedade, aliás, sempre foi um sentimento maternal, feminino, generoso. Foi aos homens contudo que ficou reservada a guerra, o trabalho e o corte da grama, mas as florzinhas são todas nossas. [Eu nunca recebi flores.] E a gente fica toda emocionada com elas, ou não.

Confira a coluna de Julie Fank da última edição

Até lembrar que também recebe menos porque a tributação de produtos com versões femininas e masculinas iguais é mais alta nos produtos feitos para mulheres. [Eu sempre achei que o consumismo era o que atrapalhava uma mulher de poupar mais dinheiro.]

Não bastasse isso, tivemos todos mais chefes homens já que sempre foi mais confiável dar uma empresa na mão do homem da família. [Eu sempre me vi dirigindo uma empresa.] Mulheres têm chance de engravidar e abandonar o barco antes, é o que fomos ensinados a pensar – ainda que sejam muito mais resistentes à dor.

E o que dizer da TPM? [Nunca olharam pra mim no trabalho como se eu tivesse tomando uma decisão emocional.] Aliás, quando se digita no Google “uma mulher é proibida de…”, logo as sugestões começam. Diferente de quando se digita “um homem é pr…” e, em vez de “proibido”, aparece “preso por…” [Eu não tenho tanto medo de voltar sozinho para casa de madrugada.]

ESTILO TOPVIEW: Assista ao Ted Talk A call to men

E os homens nem mesmo precisam pensar em que roupa estarão vestindo quando receberem visitas porque nada do que eles vestem está em pauta. Porém, se um homem se vestir muito bem, é porque uma mulher fez isso por ele.

Até ontem.

Já faz tempo que as roupas masculinas e os cosméticos para eles viraram um bom negócio. Mas e por debaixo da roupa? [Nunca precisei voltar pra casa pra trocar de roupa ou colocar um sutiã para fazer alguma coisa.]

Sutiã é um troço esquisito, né? Namoro adolescente também. E tudo o que começa a se desenhar nessa fase: quantas garotas você conheceu que tinham o sonho de se tornar pilotas de Fórmula 1? [Meu pai nunca precisou colocar meus irmãos para me vigiarem quando eu comecei a namorar.]

E é justamente quando a gente completa 18 anos que a carteira de motorista vira objeto de desejo – e quase sempre só para os meninos. [Amo dirigir.] Cozinhar, ao contrário, é tarefa básica de toda mulher que sai de casa para casar. [Não sei cozinhar um arroz com feijão.]

Alguém ainda precisa ou quer de fato essa desculpa para não explorar o mundo lá fora?

Sabe essas frases todas? A gente queria pra gente. É para falá-las em voz alta como se fossem de todo mundo que a gente precisa dos homens ao nosso lado.

Não é só um algoritmo ou um cromossomo que separa a brutalidade da vulnerabilidade. Mas sim a capacidade de recriar o que está ao nosso redor.

O mundo não é mais o mesmo. E ainda bem que a gente também não. Você é?

*Matéria publicada originalmente na edição 225 especial Homens.

Leia mais:
Casamento: um abismo que a gente quer pular

In this article


Join the Conversation