Bootcamp: intensidade máxima - e nós testamos!

Bootcamp: intensidade máxima – e nós testamos!

Testamos a nova modalidade de treinamento físico em Curitiba que promete queimar até mil calorias em uma aula

366 0
Compartilhe

A promessa não poderia ser mais clara: o melhor treino do mundo. Assim é divulgado o bootcamp, modalidade baseada em “tiros” na esteira e na Metodologia HIIT (Treinamento Intervalado de Alta Intensidade) – novidade na cidade. Participei de uma aula experimental oferecida pela Beats Camp, academia inaugurada neste ano no Fresh Live Market, no Batel. Inicialmente, a modalidade pode até assustar. Principalmente pelas aulas serem divulgadas como a “união de técnicas inspiradas na preparação física do exército dos EUA”. Mas até quem (como eu) concorda com o provérbio espanhol “descansar es salud” e foge das academias acaba se interessando pela energia da aula, que intercala exercícios funcionais com cardios. Ali, o conjunto iluminação, música e equipe (semelhante a uma balada) faz sua motivação chegar ao nível máximo e a adrenalina aumenta junto aos batimentos cardíacos nos tiros de corrida na esteira. Usando halteres e o peso do corpo nas flexões de braço, abdominais e agachamentos, a modalidade trabalha a musculatura “com séries de exercícios dinâmicos e alto gasto calórico”.

(Foto: Divulgação)

Segundo Michelle Suardi, diretora executiva da Beats Camp, é o revezamento no treino o diferencial: “O treinamento intercalado é o que dá resultado. Como a aula é de alta intensidade, o aluno continua perdendo calorias mesmo depois do exercício, podendo chegar até mil calorias”, explica. Maurício Cervenka, sócio da Rise Bootcamp, academia inaugurada em fevereiro deste ano, também destaca a alta perda calórica e que não há restrição para começar o exercício. “A modalidade é muito inclusiva. Se a pessoa estiver liberada clinicamente para praticar atividades, conseguimos adequar o treino ideal, mesmo com as limitações dela”, explica Cervenka. Até quem já pratica musculação regularmente, segundo a personal trainer Renata de Lima, pode fazer o bootcamp “como um complemento para a parte de exercícios aeróbicos”. A sequência é forte, os professores exigem o máximo dos alunos e não há descanso. Terminei meus 50 minutos de atividade pingando de suor! O corpo todo trabalha e você consegue senti-lo plenamente em atividade. Em outras palavras, queima mesmo!

*Matéria publicada originalmente na edição 215 da revista TOPVIEW.

Neste Artigo

Converse com a Gente