Bibliotecarte: projeto ressignifica bibliotecas solidárias em três estados brasileiros - TOPVIEW

Bibliotecarte: projeto ressignifica bibliotecas solidárias em três estados brasileiros

São 50 mil pessoas beneficiadas direta e indiretamente com encontros com autores, ilustradores, rodas de leitura e contação de histórias

Compartilhe

Resignificar bibliotecas comunitárias como espaços multiculturais de fomento a leitura por meio de práticas culturais de difusão, divulgação, ampliação e diversificação do acervo bibliográfico e digital. Essa é a proposta do Bibliotecarte, projeto realizado por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, executado pela Montenegro Produções Culturais, com patrocínio da Volvo do Brasil, Teckma Group, Impextraco e Frameport.

Aprovado no segmento de Humanidades, o projeto beneficiará bibliotecas comunitárias mantidas pelo Marista Escolas Sociais, nos estados do Paraná, Santa Catarina e São Paulo, localizadas em 8 escolas sociais de educação básica que atendem crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social nas cidades de São Paulo, Curitiba, Florianópolis, Ribeirão Preto, Ponta Grossa e Criciúma/SC.

De acordo com Carla Tosatto, Coordenadora de Projetos Educacionais da Diretoria Executiva de Educação Básica do Grupo Marista, esse é um projeto voltado à qualificação dos espaços, acervos e práticas desenvolvidas nas bibliotecas, um lugar vital para a escola – o seu coração. “É ali que pulsa a vida da escola e um mundo de leituras, informações, conhecimentos e culturas se abre para nossos estudantes, famílias, educadores”, descreve. 

“A biblioteca precisa de um acervo de qualidade, bem como de espaços adequados e que sejam um convite ao encontro com a leitura na sua riqueza e diversidade.  Esse projeto ajudará na qualificação ainda maior dos nossos acervos, espaços e mediações, apoiando os projetos e as ações voltadas à formação do leitor, dentre elas: ter um acervo marcado pela bibliodiversidade e o desenvolvimento de práticas de mediação ricas e significativas que instiguem o prazer, o desejo e a necessidade de mergulhar nas culturas do escrito”.

Além do patrocínio realizado pela iniciativa privada, o projeto contou com mais de R$ 115.000,00 em doações de centenas de pessoas físicas, que reverteram parte do seu Imposto de Renda para contribuir com os objetivos do Bibliotecarte. “Poucos sabem que qualquer pessoa que faça a declaração pelo formulário completo do Imposto de Renda podem financiar projetos culturais, usando parte do seu imposto de renda que já será pago de qualquer forma.  O mecanismo é simples e o contribuinte pode destinar até 6% do imposto de renda, tenha imposto pagar ou a restituir. Depois esse valor é deduzido ou restituído ao contribuinte”, explica Carolina Montenegro, gestora da Montenegro Produções Culturais.

Em função da pandemia do novo coronavírus, o projeto teve seu escopo de execução alterado, prorrogando as ações presenciais para 2021 e priorizando nesse semestre as iniciativas que garantem a aquisição de livros e acervo tecnológico para as bibliotecas.

In this article

Join the Conversation