Autoconfiança e autoestima abaladas na quarentena: o que fazer para reverter o quadro? - TOPVIEW

Autoconfiança e autoestima abaladas na quarentena: o que fazer para reverter o quadro?

Rafael Cobra, ex-atleta e produtor de conteúdo digital, solução está em olhar para dentro

185 0
Compartilhe

A humanidade vive um momento sem precedentes na história. Com o isolamento social, reunir várias atividades em um único ambiente virou o “novo normal”. Tarefas domésticas, home office, homeschooling, cuidar dos filhos, exercício físico e lazer, não são nada fáceis de conciliar, além da convivência 24 horas com os outros residentes. Para muitos, manter a calma, estima e confiança no meio disso tudo pode ser difícil. Mas o que fazer então para melhorar?

Segundo Rafael Cobra, ex atleta e produtor de conteúdo digital com 36 mil seguidores no instagram, nossas emoções e reações estão amplificados pelo isolamento social, então algo que poderia passar despercebido em situações normais, agora ganham destaque. “Auto estima e a autoconfiança estão muito ligadas ao olhar para fora e o olhar para dentro. Infelizmente, vejo que as pessoas olham muito mais para fora do que para dentro, porque precisam validar com o outro se o que fazem é bom ou correto”, aponta Cobra.

Rafael destaca que, dentro das 12 camadas da personalidade descritas pelo filósofo Olavo de Carvalho, o brasileiro está parado na quarta. “A característica mais marcante dessa camada é justamente esperar a validação do outro, o que é um sinal forte de imaturidade da personalidade”, observa ele. Essa tendência aliada ao hábito de se comparar o tempo inteiro, são grandes vilões da autoestima e autoconfiança, especialmente com a exposição das redes sociais, mas o primeiro passo é mergulhar para dentro de si. 

“Carl Jung dizia que é mais fácil sair do zero e levar o homem à lua do que sair do zero e levar o homem para dentro de si mesmo. É difícil, mas é necessário esse olhar para dentro porque autoestima e autoconfiança estão diretamente ligadas ao autoconhecimento e inteligência emocional”, ensina Cobra. 

Apesar disso, a maioria das pessoas acaba fazendo o movimento contrário, de fora para dentro. “Ou seja, sou o que acontece comigo a minha volta, e não como eu reajo a isso”, explica o ex-atleta e produtor de conteúdo digital, que dá a dica para mudança de hábitos: exercitar autoconhecimento e controle, fazer um esforço para conhecer a si mesmo e para seguir quaisquer que sejam os planos e metas que fez, colocando a razão na frente das decisões (incluindo as desconfortáveis) que podem levar a um lugar melhor. 

“Tudo aquilo que nos comprometemos a fazer e conseguimos rega muito a autoestima e a autoconfiança. Poucas pessoas tem essa determinação de se melhorar porque é um caminho dolorido, mas faz bem” , reforça o ex-atleta. Identificar suas qualidades, olhar no espelho e repeti-las para si mesmo é uma forma de fazer as pazes com elas sem precisar da validação do outro.“Olhar para dentro, diminuindo o volume externo e aumentando o interno, te ajuda a confiar em você mesmo para seguir adiante”, finaliza Cobra.

In this article

Join the Conversation