Papo Final com Maristela Mendes, da Bala de Banana Bananina - TOPVIEW

Papo Final com Maristela Mendes, da Bala de Banana Bananina

Sócia-proprietária da Bala de Banana Bananina, Maristela compartilha suas inspirações, descobertas gastronômicas e perspectivas de mundo

544 0
Compartilhe

Uma lembrança de infância?
Quando minha mãe levava eu e minhas irmãs no Passeio Público, aos domingos, enquanto meu pai trabalhava.

Quem a inspira atualmente?
Meu pai sempre foi a minha maior inspiração. Era um homem honesto, lutador, trabalhador e que não media esforços para ajudar o próximo. Mesmo sem estudo, conseguiu conquistar um patrimônio ao qual tenho muito orgulho em dar continuidade.

Uma habilidade sua pouco conhecida?
Entendo de mecânica para consertar equipamentos e carros, e um pouco de veterinária para cuidar dos meus sete cachorros e três cavalos.

E outra curiosidade sobre você?
Gosto de mexer com jardinagem nas horas vagas (as poucas que tenho). Sou apaixonada por ver as pequenas mudas se transformarem em lindas folhagens.

Melhor festa a que foi recentemente?
Foi um Encontro de Mulheres em uma Chácara em Antonina, com tema Japão. Todas estavam vestidas com trajes japoneses.

Atitude mais admirável que testemunhou recentemente?
O resgate das crianças na caverna da Tailândia.

Restaurante favorito?
Cantina Casa Verde, em Antonina.

Destino de viagem: o último e o próximo?
A última viagem foi para a Serra Gaúcha, conhecendo o Vale dos Vinhedos em Bento Gonçalves. A próxima será para a Serra da Canastra (MG).

Filme que mais a empolgou recentemente e série que não consegue parar de ver?
Gravidade, com Sandra Bullock e George Clooney. E O Mecanismo, da Netflix.

Último mimo que se concedeu?
Uma obra de arte feita com muito carinho pela Luara Escobar.

Se o dia tivesse 27 horas, como usaria essas três horas extras?
Dedicaria mais tempo ao meu bem-estar.

Uma lei que mudaria?
Que todos os políticos que tenham ficha suja não possam ser candidatos a nada, nem a síndico de prédio.

Algo inusitado que recomenda que todos façam uma vez na vida?
Trabalho voluntário, sem dúvidas.

Uma mudança importante na sua personalidade no último ano?
Mais paciência.

E, se não fosse você, quem gostaria de ser?
Gostaria de ser uma missionária, levando mensagens de paz e esperança aos que mais necessitam.

Um item de moda que diferencia ou define seu estilo?
Adoro usar lenços.

Última descoberta gastronômica?
A Sequência Caiçara servida pelos chefs André e Gleisi Furlaneto, da Cantina Casa Verde. Recomendo a todos que vierem a Antonina!

Um hábito que gostaria de mudar?
Gostaria de ler mais.

Consome como ar?
Chocolate, rs.

Sonho de consumo?
Transformar uma de nossas propriedades em um local para turismo rural e ecológico.

O que mais a marcou em 2017?
Poder contar com a minha filha [Bárbara Krenk] na administração da nossa empresa e ver a empresária em que ela se transformou.

E o que espera de 2018?
Desejo um mundo em que as pessoas possam olhar pelos que mais precisam, que saibam dividir e descobrir que não precisamos de muito para viver.

*Matéria postada originalmente na edição 214 da revista TOPVIEW. 

In this article

Join the Conversation