Fabrício de Macedo: conheça a trajetória do empresário - TOPVIEW

O futuro é viver o presente: conheça o empresário Fabrício de Macedo

O empresário e ex-presidente do LIDE Paraná relembra momentos marcantes

761 0
Compartilhe
fabricio de macedo

Às 12h de um dia ensolarado, Fabrício de Macedo nos recebia em seu escritório — uma sala com móveis clássicos com vista para as árvores do bairro Alto da Glória — com seu paletó perfeitamente alinhado.

Sua fala, simpática e gentil, desmonta a possível imagem que muitos têm do empresário e ex-presidente do Lide — Grupo de Líderes Empresariais Paraná. A simplicidade é seu mote. “Sou muito simples nos meus hábitos. Às vezes as pessoas imaginam que não sou assim, porque, ao mesmo tempo que tenho meus amigos de rua, estou conversando com grandes empresários, presidente da república, governadores…”.

A história com o Lide começou em 2014, quando Fabrício foi a Foz do Iguaçu para participar de um evento do grupo sobre o meio ambiente. Por lá, encontrou o empresário e político João Dória Junior, o então presidente nacional da organização, que reúne cerca de 1.800 filiados que representam metade do PIB privado do país. O atual governador de São Paulo convidou Fabrício para assumir a presidência da unidade Paraná — o curitibano, de pronto, negou. “É engraçado, porque o João Dória tem um perfil tão fantástico que não tem como negar um pedido. Depois do evento, fui a São Paulo para conhecer a estrutura de lá — aí foi impossível: não tem como sentar na frente do João Dória e dizer não para ele”, relembra.

“Não faço mais planos. O futuro às vezes te espera com algumas arapucas… Meu plano pro futuro é viver o meu presente” 

Ele topou o desafio e assumiu a filial paranaense por cinco anos. “Foi um desafio muito grande, porque já tivemos uma unidade ativa aqui e resgatar algo é muito mais difícil do que criá-lo do zero”, conta. Ao longo de sua gestão, realizou eventos com grandes nomes, como Joaquim Barbosa, Sérgio Moro, Carlos Alberto Sardenberg, Luiza Helena Trajano, Marcos Prado Troyjo e William Waack. Mas não há chances de conseguir elencar os melhores — “todos estão no primeiro lugar, os conteúdos foram sempre muito bons”, reforça. 

Joaquim Barbosa foi um dos nomes recebidos por Fabrício durante sua trajetória no LIDE.

Entre tantas personalidades, encantou-se com a simplicidade de Luiza, empresária que comanda a rede de lojas Magazine Luiza. “Ela é uma pessoa tão humana, dominando um império”, afirma. “Às vezes a gente tem um pré-conceito, mas conhece a pessoa, tem uma conversa informal e vê que a pessoa é muito simples. Esse sempre foi um aprendizado”.

Leonardo Petrelli, William Waack, Margarita e Rafael Greca e Fabrício de Macedo.

As memórias de sua época no LIDE são muitas e variadas. Mas os eventos de fim de ano, sempre beneficentes, ainda se sobressaltam nas lembranças: “esses foram os momentos mais emocionantes. Remetem à emoção, à necessidade, ao poder auxiliar”. O que percebeu por lá, também, foram as características essenciais a um bom empresário: honestidade, foco e o entendimento do negócio, desde a portaria até a mesa da presidência. 

 “O mais importante de qualquer sucesso é nunca esquecer de onde a gente veio, da nossa essência”

Simplicidade é a regra

Em seu caminho à frente da filial paranaense, Fabrício aprendeu, no cotidiano, a essência do relacionamento com pessoas: respeitar e tratar de igual para igual todas as pessoas. Ou melhor: “ser uma pessoa que é muito gente”, como diria sua mãe. “Conheci pessoas surpreendentes. O grande prêmio foi ter agregado a mim e aos filiados muito conhecimento e conteúdo positivo”, avalia.

O empresário também leva essa lógica para a vida fora do trabalho. Fabrício cultiva boas amizades, até com quem conheceu, casualmente, nas ruas da capital, e adora reuni-las em sua casa para um bom momento ao redor da mesa — seu lugar mais sagrado. “Tenho meus amigos de rua, como o Carlão, um cadeirante que fica na Praça 29 de Março, outros que estão no comércio informal na Rua XV”.

Carlos Massa Ratinho Junior, Sandra Comodaro e Fabrício de Macedo.

Cozinhar é, aliás, uma curiosidade sua. “Falei que sou simples, mas em relação à gastronomia, sou metido (risos). Sou autodidata, erro mais do que acerto, mas gosto muito de brincar na cozinha. É algo que me relaxa”, compartilha.

Mas nunca come o que cozinha, gosta é de chamar os amigos e observar a expressão deles com suas criações — sempre feitas sem receitas. “Gosto de arroz e feijão, ovo frito, farofa e bife acebolado.” Isso o fez até montar um bar e restaurante, em 2002, chamado Bar Curitiba, em que servia o prato feito típico brasileiro. “É simples e de todo mundo. É impossível não gostar”.

A rotina de Fabrício de Macedo

Por mais que as atribuições sejam muitas, Fabrício tenta fugir da rotina como muitos a entendem: fixa, inflexível e, em alguns casos, chata. “Procuro ter um dia a dia diferente. Não tenho o mesmo horário para sair de casa, às vezes almoço na rua, às vezes não”, diz.

Durante seus dias comuns, não pratica esportes, mas é só chegar o verão que Fabrício corre para a areia para jogar frescobol — “até me arrisco a dizer que não sou ruim (risos)”. Mas o melhor investimento de tempo e dinheiro, para o empresário, são as viagens. Orlando domina as páginas de seu passaporte, pelo “cheiro de alegria e por ser um lugar mágico”. Adora o Mickey, as maçãs do amor, as montanhas-russa da Universal Studios Florida. A última descoberta foi Tulum, no México. “Cada viagem é uma experiência diferente. Não consigo eleger a melhor — são peculiaridades, sabores, cheiros, culturas. Qual é melhor? Puts… eu adoro até Caiobá (risos)”.

Para o futuro, não deseja nada além de aproveitar seu dia a dia. “Não faço mais planos. O futuro às vezes te espera com algumas arapucas… Meu plano pro futuro é viver o meu presente”, conta Fabrício de Macedo, com os olhos marejados. E assim segue, dando um passo por vez sempre ciente de sua essência.

In this article


Join the Conversation