PODER

Autora curitibana Giovana Madalosso participa da Festa Literária do Ceará

Com o tema "Ler para Resistir", evento terá o cenário político e os lançamentos da pandemia como destaque; encontros serão transmitidos às terças e quintas, a partir de 4 de novembro, sempre às 19h30
Após um breve hiato, a Festa Literária do Ceará (FLAC) volta a ser realizada em 2021, e terá uma autora paranaense em destaque na programação.

Com curadoria do jornalista Jáder Santana e o tema Ler para Resistir, o evento retoma a fórmula de trazer os destaques nacionais e também os autores cearenses, dessa vez com foco na política, envolvendo questões de diversidade e desigualdade.

Com o tema “Ler para Resistir“, a iniciativa terá ainda os lançamentos da pandemia como destaque. Os encontros serão às terças e quintas, de 4 de novembro a 9 de dezembro, sempre às 19h30, com transmissão aberta na internet.

As terças serão reservadas para o ciclo Ceará Protagonista, com entrevistas de autores locais. Já às quintas, acontecerão as mesas literárias, trazendo sempre dois autores e um mediador.

Para as mesas, foram convidados escritores que lançaram obras no período da pandemia, entre 2020 e 2021. Entre eles está a curitibana Giovana Madalosso, autora de Suíte Tóquio, que participa da mesa Com o Suor do Trabalho, sob a mediação do paulistano Nelson Lourenço, no primeiro dia de evento (4/11).
 
Suíte Tóquio | Giovana Madalosso (Foto: divulgação)

O festival ainda conta com o programa A Voz do Texto, leituras dramáticas de trechos dos livros contemplados, e inserções musicais. Duas oficinas serão dirigidas a professores da rede municipal de ensino.

“A escolha do tema da FLAC em sua retomada foi algo natural, uma vez o país vive um ambiente marcado pela política, com discussões em todas as rodas de conversa, em meio a uma crise que é também econômica e sanitária. A ideia é que o evento trace um panorama dessa crise e seus simbolismos, tendo como ponto de partida a literatura. Tentamos focar na diversidade para tentar entender esse contexto complexo em que o Brasil está mergulhado”, explica Jáder Santana.

“Resistir, no fundo, é tema recorrente de projetos culturais, e nesse sentido a Festa Literária do Ceará, em sua sexta edição, é uma sobrevivente”, afirma Aurea Figueira, idealizadora do projeto, ao lado de Cristina Saboia.
 

Edição virtual e gratuita

Todas as mesas literárias serão ao vivo e terão tempo reservado para perguntas dos leitores, sempre às quintas feiras às 19h30. Os livros que serão discutidos estão indicados no site. Da mesa A Pele que Habito, que trata de raça e abandono, até O Fabuloso Brasil, as abordagens do festival passam por temas presentes não apenas na realidade brasileira, mas também no cenário global: a pandemia, o desprezo à vida e à morte, a história de um homem analfabeto que ainda não conseguiu ler a carta de seu grande amor de 50 anos atrás, burn out, homofobia, misoginia.

No Ciclo Ceará Protagonista, escritores cearenses terão entrevistas abertas para falar sobre sua produção, sua trajetória e sobre os destinos pessoais e coletivos de suas escritas. Os encontros serão às terças-feiras, às 19h30, a partir do dia 9 de novembro.

Voz do Texto é uma programação de leituras dramáticas feitas por atores a partir de trechos escolhidos de livros pelos seus próprios autores. As atividades da FLAC incluem ainda duas oficinas professores: Livro em Jogo, ministrada pela mestre em teatro e educadora paulistana Tejas, em que o teatro é dispositivo para a interpretação de textos dedicados à infância; e A História Que Só Você Pode Contar, ministrada pela escritora Socorro Acioli. Haverá também atividades dirigidas ao público infanto-juvenil e intervenções musicais.

“Realizar a FLAC em um período tão conturbado, e ao mesmo tempo tão especial pelas reflexões que trouxe para a humanidade, é uma referência à palavra como a grande facilitadora das relações entre os seres humanos”, relata Priscila Lima, realizadora da FLAC.

A Festa Literária do Ceará é um projeto aprovado pela Lei Estadual de Cultura – VIII Edital Mecenas, e tem o apoio da empresa ENEL, com realização da Lumiar Comunicação e Consultoria e da Em Foco Comunicação Estratégica.
O evento será transmitido pelo Youtube: clique aqui para assistir.

Confira a prévia da programação 

SEMANA 1
Quando: Quinta-feira, 04.11
Mesa: “Com o suor do trabalho” com Giovana Madalosso (Suíte Tóquio) e José Falero (Os supridores)
Mediação: Nelson Lourenço

SEMANA 2
Quando: Terça-feira, 09.11
Entrevista aberta: “Ciclo Ceará Protagonista” com Socorro Acioli

Quando: Quinta-feira, 11.11
Mesa: “A pele que habito” com Jeferson Tenório (O avesso da pele) e Emicida ou Lázaro Ramos (a confirmar)
Mediação: Regina Ribeiro (a confirmar)

SEMANA 3
Quando: Terça-feira, 16.11
Entrevista aberta: “Ciclo Ceará Protagonista” com Talles Azigon

Quando: Quinta-feira, 18.11
Mesa: “Arde sem se ver” com Stênio Gardel (A palavra que resta) e Flavio Cafiero (Diga que não me conhece)
Mediação: Marina Solon

SEMANA 4
Quando: Terça-feira, 23.11
Entrevista aberta: “Ciclo Ceará Protagonista” com Tércia Montenegro

Quando: Quinta-feira, 25.11
Mesa: “Animalidade moral” com Antônio Xerxenesky (Uma tristeza infinita) e Ana Paula Maia (De cada quinhentos uma alma)
Mediação: Humberto Pinheiro

SEMANA 5
Quando: Terça-feira, 30.11
Entrevista aberta: “Ciclo Ceará Protagonista” com Marco Severo

Quando: Quinta-feira, 02.12
Mesa: “O fabuloso Brasil” com Marcelo Vicintin (As sobras de ontem) e Angélica Freitas (Canções de atormentar)
Mediação: Juliana Diniz

SEMANA 6
Quando: Terça-feira, 07.12
Entrevista aberta: “Ciclo Ceará Protagonista” com Lorena Portela e Natércia Pontes

Quando: Quinta-feira, 09.12
A definir

Deixe um comentário