FASHION

Transplante capilar está entre as três cirurgias mais procuradas pelos homens

Técnicas avançadas, com cicatrizes quase imperceptíveis, devolvem a autoestima aos pacientes

O transplante capilar está entre as três cirurgias mais procuradas pelos homens no Brasil, seguida pela lipoaspiração e a rinoplastia. Só em 2021, o procedimento experimentou uma procura 50% maior (dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica). Com a evolução das técnicas que oferecem resultados satisfatórios com cicatrizes praticamente imperceptíveis, o procedimento tem ganhado cada vez mais adeptos.

A calvície é considerada a forma mais comum de perda de cabelos entre os homens e ocorre de forma progressiva, afetando mais de 50% da população masculina acima dos 50 anos, no entanto, devido a fatores genéticos, ela pode se manifestar muito antes dessa faixa etária.

“A calvície é um processo determinado por diversos fatores, inclusive genéticos, e os tratamentos visam evitar o aumento das áreas calvas e diminuir a progressão da doença”, afirma a médica dermatologista Paola Zakszewski, da Clínica 40K, localizada em Curitiba (PR), especializada em atender exclusivamente ao público masculino.

De acordo com o médico tricologista Leandro Ribeiro Mauro, cirurgião especialista da Clínica 40K, o maior causador da calvície é a alopecia androgenética. “Mas a queda pode ocorrer devido a outros fatores, como doenças endócrinas, hábitos alimentares, alterações na estrutura capilar, carência de ferro no organismo, entre outros”, revela o especialista.

Além disso, de acordo com a Dra. Paola, o eflúvio telógeno também é um dos fatores responsáveis pela perda dos cabelos, porém, neste caso, os cabelos voltam a crescer novamente depois de alguns meses. “Essa queda pode ser desencadeada por estresse emocional, cirurgias e o próprio COVID-19. Nesse processo ocorre uma queda acentuada de fios, que costuma assustar muito os pacientes, mas tem um caráter autolimitado, com duração entre dois a três meses no geral”, diz a profissional.

Vale lembrar que a queda de cabelo é diferente da calvície. Na calvície há um afinamento progressivo do fio, sem queda.

Tipos de tratamento e indicações

Pessoas que possuem histórico de calvície na família, independente do grau de parentesco e do lado familiar (pai ou mãe), precisam buscar ajuda no final da puberdade, pois, de acordo com a literatura médica, na faixa entre 15 e 18 anos já é possível identificar o início do processo.

O transplante capilar é recomendado para pacientes acima dos 30 anos de idade e com a calvície estabilizada, seja a área afetada grande ou pequena.

De acordo com Dr. Leandro, é possível voltar a ter cabelos de forma natural, com o crescimento uniforme dos fios por meio da técnica de transplante capilar, que utiliza o próprio paciente como doador.

“No transplante capilar, os fios de cabelo são retirados da própria pessoa, de uma região onde há fios em abundancia – geralmente na região atrás da cabeça, e então transplantados para a região onde ocorre a calvície. Diferente do Implante Capilar, no Transplante Capilar os cabelos continuam crescendo”, explica o especialista da Clínica 40K.

Além disso, o tratamento dermatológico pode servir de apoio à indicação cirúrgica, inclusive, antes mesmo da realização do procedimento. “Atualmente, dispomos de diversos tratamentos, tanto para impedir a progressão da calvície quanto para recuperar os fios que foram perdidos. Lançamos mão de medicações por via oral, tópica e também injetáveis para impedir o aumento da área calva e melhorar a qualidade dos fios presentes. Na via injetável, destaco o tratamento chamado MMP (microinfusão de medicamentos na pele), que consiste em levar ativos até o folículo capilar para estimular o crescimento”, explica a Dra. Paola.

Com a união do transplante capilar e o tratamento dermatológico adequado, o paciente poderá obter ótimos resultados. “A cirurgia de transplante capilar vem para cobrir áreas já calvas ou com densidade baixa de fios. A decisão em relação a cirurgia vai partir da indicação médica e do paciente, alinhando as expectativas de cada lado. Os tratamentos dermatológicos serão indicados conforme a necessidade de cada paciente, mas é preciso estar ciente de que o acompanhamento após a cirurgia ainda se faz necessário para evitar progressão da calvície”, destaca Dra. Paola.

Mas, para manter a longevidade do tratamento e dos fios, é necessário que o paciente realize o acompanhamento necessário.

“Após a cirurgia de transplante capilar, o foco é melhorar a qualidade do fio transplantado e evitar a progressão da calvície nas outras áreas. Para isso, trabalhamos em equipe para fazer esse acompanhamento e manter os fios saudáveis”, conclui a médica.

Tratamentos para grandes áreas

Independentemente do tamanho da área a receber o transplante capilar, a técnica utilizada para a extração das unidades foliculares é a FUE (Follicular Unit Extraction), uma metodologia que obtém os fios da área doadora para o transplante capilar removendo-os um a um, sem a necessidade de incisão, o que não deixa a cicatriz linear característica de outros procedimentos. 

Para transplantes com mais de 8 mil fios na contagem final, são realizadas as gigassessões. “Elas são indicadas para pacientes que apresentam tamanho grande e densidade alta de fios na área doadora. Dessa forma, pode ser retirada uma quantidade maior de folículos, obtendo assim até mais de 10 mil fios numa sessão só”, explica Dr. Leandro Mauro.

O foco da gigassessão é consertar o problema da calvície do paciente se possível numa sessão só (o número de fios transplantados pode ser 50% maior do que em uma megassessão), evitando assim desconforto, custos e mais tempo de recuperação, sendo a melhor opção no caso de calvícies avançadas.

Outro procedimento, realizado para áreas menores que não necessitam da gigassessão é chamado de megassessão. “A megassessão consiste na restauração capilar, utilizando entre 2.500 a 3 mil unidades foliculares, o que se traduz a aproximadamente de 6 a 7.500 fios. Dependendo do grau de calvície, o paciente precisará de duas sessões é até três sessões. Diferentes fatores influenciam o resultado final como, textura, espessura, cor, tipo de cabelo e contraste com a pele”, detalha o especialista.

O resultado final aparece em 12 meses, mas já nos primeiros meses os pacientes percebem melhora significativa na aparência. Os fios implantados não vão cair, mas é importante continuar com os tratamentos contra a calvície para preservar os demais cabelos.⠀

Deixe um comentário