FASHION

Índice de Transparência da Moda Brasil 2021 apresenta resultados melhores que em 2020

Vale ressaltar que as porcentagens ainda são consideradas baixas

O Fashion Revolution Brasil acaba de lançar a quarta edição do Índice de Transparência da Moda Brasil (ITMB) e, apesar dos números estarem longe do ideal, podemos afirmar que são, em sua maioria, melhores que dos anos anteriores.

Das 50 marcas analisadas pelo índice (10 a mais que no ano anterior), 22% têm metas com base científica relacionada ao clima, contra 13% de 2020, e 30% incluem na lista a distribuição por gênero de cada local, contra 23% do relatório anterior. Entretanto, caiu de 15% para 12% as empresas que publicam diferenças salariais entre mulheres e homens.

As diferenças dos percentuais entre os dois anos se tornam menores em outros temas: elevação de 2% sobre marcas que possuem uma estratégia mensurável para a gestão de materiais sustentáveis e 1% sobre marcas que divulgam progresso na eliminação de químicos perigosos.

Veja o relatório na íntegra clicando aqui. Vale ressaltar que o ITMB considera somente os dados divulgados pelas empresas, não sendo eles auditados, portanto é considerado incorreto afirmar que as pontuações recebidas por cada marca são atestados de boas práticas, nem se deve confundir transparência com sustentabilidade. O Índice também não deve ser visto como um guia de compras nem ranking, visto que não é o intuito do Fashion Revolution endossar alguma competição entre as marcas mencionadas, mas deve ser analisado pelo público em geral, especialmente no mês de dezembro -mês de maior consumo do ano-, para conhecer, fiscalizar, questionar e buscar mudanças que a indústria da moda tanto carece.

Deixe um comentário