A febre dos cosméticos com filtro solar - vale a pena investir?

Vale a pena investir em cosméticos com filtro solar? Especialistas respondem

Com filtro solar, os cosméticos do dia a dia potencializam a proteção contra os efeitos danosos do sol. Saiba como usá-los

Compartilhe

Verão é sinônimo de férias para muitas pessoas e férias é sinônimo de despreocupação para muitas delas. Antes de entrar de cabeça nesse período preguiçoso é importante saber que existe à nossa disposição uma infinidade de cosméticos que podem ser grandes aliados no combate aos efeitos negativos do sol. Hidratantes, batons, cremes para cabelo, bases e pós-compactos surgem com fórmulas atuais e específicas para a pele da brasileira, com o aditivo que protege dos raios solares.

Quando corretamente usado, o cosmético com filtro solar se torna uma opção prática e fácil de encaixar na rotina e pode, em alguns casos, substituir a loção protetora comum, que encontramos em drogarias e farmácias. Para a dermatologista Christine Graf Guimarães, da Clínica Graf Guimarães, os cosméticos com pigmentos – como as bases e pós-compactos para o rosto – podem se revelar até mais eficientes, pois possuem partículas físicas que refletem os raios UVA e UVB. Além disso, ela informa que esse tipo de produto tende a permanecer por mais tempo na pele se comparado às loções comuns.

De acordo com a dermatologista Annia Cordeiro Lourenço, o efeito depende de fatores como o tipo de pele e, principalmente, a quantidade e a frequência com que o produto é aplicado. Annia, que faz parte da Sociedade Brasileira de Dermatologia e de Cirurgia Dermatológica, e da Academia Americana de Dermatologia, diz que o problema é que muitas pessoas não passam a quantidade necessária de protetor para que este cause o efeito esperado. E quando se trata de base, então, o volume aplicado no rosto com a pontinha do pincel é ainda menor e, portanto, insuficiente para proteger efetivamente a pele. “Eu comprei um produto com FPS 30, mas estou realmente com um fator 30 na minha pele? Passei a quantidade necessária para o fator 30 efetivamente fazer efeito? Dificilmente a resposta é sim”, acrescenta.

É importante lembrar que a função de proteção solar nos cosméticos é secundária. Ou seja, eles ajudam, mas não possuem fator de proteção tão alto quanto às loções específicas. O ideal, segundo Christine, seria combinar o protetor solar comum com o cosmético que contém filtro solar, afinal, não há problema algum em usá-los juntos, desde que os produtos sejam específicos para cada tipo de pele. Neste caso, recomenda-se a ajuda de um profissional na hora de escolher o melhor produto.

Bronzeado perigoso

Dez minutos ao sol, três vezes por semana já é tempo suficiente para que haja a síntese da vitamina D – principal vantagem da exposição solar. Ou seja, além desse tempo, a exposição é desnecessária. Segundo Annia, é preciso mudar a cultura do bronzeado perfeito, pois ele não traz benefício algum. “Com o filtro solar adequado e uma proteção auxiliar, temos alguma segurança. Ainda assim, a exposição exagerada ao sol só causa risco.” Um deles é o melanoma (câncer de pele) que, de acordo com a dermatologista, é causado principalmente pelo exagero durante a infância e adolescência.

É importante também entender que o FPS indica a quantidade de tempo que a pessoa pode se expor ao sol com o protetor solar antes de se queimar. Um produto com FPS 8, por exemplo, oferece oito vezes mais proteção, um FPS 15, 15 vezes mais e assim por diante. A equação é simples: uma pessoa que ficaria vermelha após 12 minutos no sol pode ficar exposta até duas horas (120 minutos) sem se queimar, se estiver protegida com um filtro solar de FPS 10.

Nem sempre essas e outras informações necessárias para a escolha do protetor ideal estão descritas nas embalagens. Por isso, as dermatologistas recomendam ouvir a opinião de um profissional capacitado, que vai identificar uma possível restrição e indicar o melhor produto para cada tipo de pele: seca, oleosa, sensível, com manchas, acne ou olheiras.

É sempre bom lembrar

As dermatologistas Annia Cordeiro Lourenço e Christine Graf Guimarães indicam alguns cuidados essenciais durante a exposição ao sol:

• Mesmo em dias nublados é preciso passar o protetor solar, pois o raio UVA – o mais prejudicial à saúde – atravessa as nuvens e pode queimar tanto quanto uma exposição direta.

• Para a região do rosto e pescoço, recomenda-se no mínimo uma colher de chá do produto (cerca de dois gramas).

• Vale a pena investir em um produto de qualidade. Desconfie de produtos baratos e que prometem milagres.

• Quanto mais grosso e escuro for o tecido do guarda-sol, chapéu e boné, maior a proteção.

• Protetor em spray, só se for aerosol. Com fixação maior
e jato grande de abrangência, ele gruda na pele e só pode ser retirado com a ajuda de uma esponja.

• Em caso de queimaduras leves, as dermatologistas recomendam compressas frias e o uso de anti-inflamatório. Hidratar-se (por dentro, tomando água, e por fora, com um bom hidratante) também é importante. Nesse caso, produtos próprios para pele sensível (como a de bebê) e que contenham aloe vera são os mais recomendados, como a própria babosa – um potente anti-inflamatório e calmante natural.

In this article

Join the Conversation