Don't touch it's art - 15 museus que você têm que conhecer em Portugal

Don’t touch it’s art! 15 museus que você TEM que conhecer em Portugal

Eles surpreendem pela beleza, história e originalidade

840 0
Compartilhe

Os museus sempre agregam cultura, repertório e senso crítico em qualquer viagem. Muitos deles conseguem fazer toda a diferença em um destino, aproximando o turista da cultura local. Para te ajudar no roteiro de viagens quando for visitar Portugal, a TOPVIEW listou 15 museus no país que, com certeza, vão surpreender pela beleza, história ou originalidade. Confira:

Museu Nacional dos Coches – Lisboa

Museu Nacional dos Coches – Lisboa. (Foto: Divulgação).

Fundado em 1905, no antigo Picadeiro do Palácio Real de Belém, em Lisboa, é hoje constituído por dois edifícios: o antigo Picadeiro do Palácio de Belém e o novo edifício, em frente, inaugurado em 2015. Localizado em uma das regiões mais bonitas da cidade, o Museu Nacional dos Coches oferece uma coleção que foge do comum, nela você conhece o acervo de carruagens reais e oficias da coroa, nobreza e burguesia de Portugal. Verdadeiras obras de arte com rodas. Aconheça e inspire-se nessa coleção única!

Museu da Marinha – Lisboa

Museu da Marinha – Lisboa. (Foto: Divulgação).

Portugal tem uma das marinhas mais tradicionais e antigas do planeta, fundada no Século XII e foi graças a ela que muitos territórios foram descobertos. O Museus da Marinha conta com acervos fixos e exposições temporárias, nesse museu a cultura marítima é valorizada. Algumas das peças de destaque são o Bergatim Real com 25 metros de comprimento e um Hidroavião Fairey IIID original. Os amantes da cultura marítima vão adorar essa experiência! O Museu fica na Praça do Império, Belém.

Museu Nacional de Machado de Castro – Coimbra

Museu Nacional da Machado de Castro – Coimbra. (Foto: Divulgação).

O Museu Nacional de Machado de Castro é um dos mais importantes museus de Belas-Artes de Portugal e um marco na história de Coimbra, fundado a mais de 100 anos, carrega o nome é em homenagem ao escultor conimbricense Machado de Castro. O museu conta com um acervo de importantes obras de escultura, pintura e Artes decorativas.

Museu do Azulejo – Lisboa

Museu do Azulejo – Lisboa. (Foto: Divulgação).

O Museu Nacional do Azulejo tem por missão recolher, conservar, estudar e divulgar exemplares representativos da evolução da Cerâmica e do Azulejo em Portugal. Esse museu conta a história de Portugal através de peças de porcelana e todo o seu processo de produção – arte essa que foi trazida para o Brasil e continua sendo tradição em Portugal.

Museu de Alberto Sampaio – Guimarães

Museu de Alberto Sampaio – Guimarães. (Foto: Divulgação).

O Museu de Alberto Sampaio fica localizado em um antigo mosteiro medieval, o passeio por si só já é um conjunto que emociona, os salões medievais e salas que são o lar das obras de arte mostram a arquitetura e a exuberância de toda uma época. Este é o único museu nacional que abre as suas portas no período noturno, nos meses de julho e agosto. Visitar este museu à noite é uma experiência que jamais esquecerá. Ele merece, sem dúvida, uma visita bem demorada para aproveitar cada momento!

Museu Arqueológico do Carmo – Lisboa

Museu Arqueológico do Carmo – Lisboa. (Foto: Divulgação).

Construída sobre a colina fronteira ao castelo de S. Jorge, a Igreja do Carmo é um dos mais exuberantes monumentos góticos de Portugal. Em 1755, o terremoto, que abalou com violência a cidade, provocou graves danos no edifício, agravados pelo subsequente incêndio que destruiu quase totalmente o seu recheio. Em meados do século XIX, optou-se por não continuar a reconstrução do edifício, deixando o corpo das naves da igreja a céu aberto. É assim criado um cenário de ruína, o Museu Arqueológico do Carmo, foi fundado em 1864 e é o primeiro museu de Arte e Arqueologia do país. As ruínas do Carmo formam um verdadeiro oásis de pedra dentro de Lisboa.

Museu de Aveiro – Aveiro

Museu de Aveiro – Aveiro. (Foto: Divulgação).

O antigo mosteiro do séc XV era lar de uma princesa Joana de Portugal, que beatificada pela Igreja Católica. Atualmente é um dos principais museus de Aveiro, fundado em 1911, o Museu de Aveiro apresenta um circuito de visita com duas partes distintas mas complementares: o percurso monumental e a exposição permanente. Conhecer o lar e o tumulo de uma santa é um experiência para guardar na memória e no coração!

Museu de Évora – Évora

Museu de Évora – Évora. (Foto: Divulgação).

As coleções do Museu de Évora são constituídas por cerca de 20 mil peças, onde se destacam as coleções de Pintura, Escultura e Arqueologia. Além do valor estético e a importância histórica de muitas obras, seu núcleo foi organizado por Frei Manuel do Cenáculo, arcebispo de Évora. Desse núcleo inicial e dessa condição universalista fazem parte também as coleções de Numismática, as coleções de desenhos e gravuras, e o núcleo da Naturália, onde se reúnem diversos espécies das Ciências Naturais. A realização de inúmeras escavações arqueológicas durante o século XX, principalmente sobre a Pré-História e o período Romano, veio enriquecer o acervo do Museu, aprofundando a relação com a história da cidade e da região.

Museu FC Porto – Cidade do Porto

Museu FC Porto – Cidade do Porto. (Foto: Divulgação).

Com sete mil metros quadrados o Museu FC Porto é um parque de diversões para os amantes de futebol. Com um acervo que conta 120 anos de história, que acolhem 27 áreas temáticas, exibindo 200 troféus e 280 vídeos, 80% dos quais em ambiente interativo. O local proporciona ao visitante uma experiência sensitiva, além do Museu Caffé e da FC Porto Store.

Museu Calouste Gulbenkian – Lisboa

Museu Calouste Gulbenkian – Lisboa. (Foto: Divulgação).

Através das suas duas coleções, o Museu Calouste Gulbenkian leva seus visitantes desde o Antigo Egito até aos dias atuais. A Coleção do Fundador, reunida em vida por Calouste Sarkis Gulbenkian, é considerada uma das melhores coleções particulares de arte do mundo, acolhendo mais de seis mil obras, da Antiguidade ao início do século XX. A Coleção Moderna, uma das mais completas coleções de arte moderna e contemporânea portuguesa, integra mais de dez mil obras, desde o final do século XIX até hoje.

Museu Nacional de Arte Antiga – Lisboa

Museu Nacional de Arte Antiga – Lisboa. (Foto: Lisbon Lux).

O Museu Nacional de Arte Antiga é o museu com a maior quantidade de obras do acervo do tesouro nacional de Portugal, com mais de 130 anos de história é um museu de grande importância para país e para a história da arte mundial.

Museu do Oriente – Lisboa

Museu do Oriente – Lisboa. (Foto: Divulgação).

Uma ponte entre culturas remotas é a frase perfeita para explicar o que é o Museu do Oriente. As suas coleções de arte portuguesa e asiática são a demonstração mais elevada dos encontros históricos entre o Ocidente e o Oriente. Conheça um pouco da Ásia pela historia portuguesa.

Museu do Dinheiro – Lisboa

Museu do Dinheiro- Lisboa. (Foto: Divulgação).

O Museu do Dinheiro oferece uma experiência marcadamente interativa, usando a tecnologia para mostrar o seu acervo. A museografia não convencional aposta na criação de ambientes surpreendentes, capazes de convocar a participação do visitante e de promover a construção de conhecimento. Com o apoio do Banco de Portugal, os visitantes podem conhecer a história ao longo dos séculos, a fabricação da nota e da moeda, e ainda testemunhos pessoais sobre o papel do dinheiro na vida do cidadão.

Museu de Cera de Fátima – Fátima

Museu de Cera de Fátima – Fátima. (Foto: Divulgação).

Famoso em todo mundo, esse tipo de museu também esta presente em Portugal. Mas com um acervo um pouco diferente do resto do mundo, no lugar de grandes personalidades como artistas, modelos e políticos, no Museu de Cera de Fátima os visitantes encontram cenas da história de Nossa Senhora de Fátima, totalmente em cera. No total são 32 cenas com 120 figuras.

Museu da Farmácia – Cidade do Porto

Museu da Farmácia – Cidade do Porto. (Foto: Divulgação).

O Museu da Farmácia possui uma coleção que conta mais de 500 milhões de anos de história universal da saúde e da doença. O acervo reúne objetos de raro valor histórico, artístico, antropológico e científico oriundo de civilizações e culturas tão distantes no tempo e no espaço como, por exemplo. Mesopotâmia, Egito, Grécia, Roma, Islã, África, Tibete, China, Japão entre outras.

Neste Artigo


Converse com a Gente