ESTILO

Veja como o conceito wabi-sabi pode se aplicar na decoração

Quem adora ficar por dentro das tendências da decoração, veja por que o wabi-sabi pode te ajudar a inovar no estilo da sua casa!

A decoração influencia muito a forma como as pessoas vão se sentir em um ambiente. Um espaço com cores mais vibrantes confere mais energia e animação enquanto um com cores frias e iluminação pontual transmite maior sensação de calma e tranquilidade.

Existem inúmeros estilos de decoração e cada um cai melhor com um tipo de personalidade. Enquanto algumas pessoas preferem uma decoração mais minimalista e possuem poucos objetos em casa, outras adoram sobrepor texturas e cores, criando um ambiente com bastante informação.

Nos últimos anos, o wabi-sabi tem ganhado cada vez mais espaço na área da decoração. Originária do Japão, essa abordagem estética valoriza profundamente a aceitação da imperfeição. Antes de comprar alguns itens de decoração para a sua casa, confira mais sobre esse estilo e como ele pode criar um ambiente acolhedor!

O que é

Documentos históricos apontam que esse estilo foi originado no Japão no século XV, a partir de ideais budistas como a aceitação da impermanência e da imperfeição da vida. A essência do wabi-sabi está presente em artes japonesas como o bonsai, a cerâmica, o  jardim zen e o ikebana (um tipo de arranjo floral).

Outra arte japonesa famosa por reconhecer a imperfeição é o kintsugi, que consiste em reparar objetos quebrados com laca de ouro ou prata. Esse reparo serve para fazer com que a imperfeição entre na história de um objeto, devendo ser não só reconhecido, mas também enaltecido. Uma peça de cerâmica reparada tem uma história única e ganha força em comparação à original.

Para que os reparos em ouro ou prata sejam vistos, é importante inserir esses objetos em ambientes rústicos e minimalistas. Isso ajuda a nos lembrar da importância de focar a nossa atenção no que realmente importa.

Características

Essa ideia da imperfeição como um traço a ser valorizado já era encontrado em artes de outros povos, como os tapetes persas — que possuem sempre um pequeno defeito que garante sua autenticidade.

Entre as características do estilo wabi-sabi podem-se citar a simplicidade, rusticidade, aspereza, assimetria e irregularidade. A ideia é usar esse estilo para fazer a conexão entre a natureza e o autêntico. 

Alguns dos materiais mais usados nessa decoração são a madeira envelhecida, galhos, folhagens e pedras sem polimento. Os tons terrosos também ganham destaque, como o marrom, o bege e o verde-escuro. Uma tática simples é montar composições com números ímpares de objetos e buscar a assimetria.

Além disso, vale deixar os objetos arranhados, trincados ou desgastados à mostra, pois eles acabam sendo um convite para apreciar essa imperfeição e a passagem do tempo, agregando história e valor sentimental a eles. Alguns materiais bastante utilizados são a palha, o sisal, a cerâmica artesanal e a madeira.

Vantagens

A ideia é transmitir tranquilidade para lidar com os imprevistos da vida. Uma vantagem desse estilo é que ele aposta em tons neutros e mais fáceis de serem combinados com os outros elementos da decoração.

Nesse estilo, não existe aquela casa milimetricamente arrumada. Algum nível de desorganização é possível, pois reflete a movimentação das pessoas e a correria do dia-a-dia: livros desalinhados na estante, alguns copos na pia da cozinha, uma toalha mal pendurada, entre outros exemplos. 

Diferentemente de desleixo, aceitar essas pequenas desorganizações é se permitir viver em uma casa não perfeita. O desafio está em enxergar a beleza não tão óbvia ou chamativa.

Quem gosta de estilos inovadores vai adorar essa proposta, já que o wabi-sabi vai contra os estilos a que estamos acostumados, defendendo o relaxamento e o desapego. A ideia de que “menos é mais” traduz bem o espírito desse estilo.

Deixe um comentário