ESTILO

6 passos para aplicar o design biofílico em casa

O design biofílico pode ser aplicado em diversas escalas, em uma residência já construída, uma edificação a ser construída, um ambiente da paisagem ou urbano

Indo muito além da beleza na arquitetura, o design biofílico estimula a criatividade, favorece a motivação e reduz o estresse. Por isso, as escolhas feitas num projeto de arquitetura e paisagismo precisam ser bem pensadas, afinal são fundamentais para a saúde.

O termo Biofilia significa “amor à vida”. “Muito mais do que tendência, é uma necessidade de reconexão com a natureza”, ressalta João Manuel Feijó, engenheiro agrônomo da Ecotelhado e especialista em sistemas biofílicos.

LEIA TAMBÉM: St. Patrick’s Day em Curitiba: veja onde aproveitar no fim de semana

“Você sabia que olhar para uma vista da natureza por 40 segundos restaura o seu poder de atenção e remedia os sintomas de cansaço, por exemplo? A teoria da restauração da atenção comprovou que porções do córtex pré-frontal se acalmam enquanto experimentamos a natureza. Após essa pausa mental, temos uma melhor capacidade cognitiva. Nosso poder de concentração e foco aumenta e, consequentemente, o nosso desempenho é melhor”, acrescenta a arquiteta Bia Rafaelli Casaccia, pioneira em Design Biofílico no Brasil.

Ela explica que o design biofílico pode ser aplicado em diversas escalas, em uma residência já construída, uma edificação a ser construída, um ambiente da paisagem ou urbano. O que muda é como serão aplicadas as estratégias.

“É buscar uma experiência completa com foco na saúde e no bem-estar, valorizando a luz natural, o ar, a água, as plantas, os animais e é fazer boas escolhas dos materiais que serão usados”, ressalta.

Jardim vertical Ecotelhado no projeto de Fernando Thunm. (Foto: Divulgação)

Os especialistas listam 6 passos para aplicar o design biofílico de uma forma prática e acessível. Confira!

1 – Promova o envolvimento das pessoas com a experiência da natureza no local

Segundo o engenheiro João Manuel Feijó, uma ideia é propor o cuidado com as plantas e engajá-las no processo de plantio e rega. Hortas e jardins verticais ocupam pouco espaço e estimulam o cultivo e a conexão com a natureza.

2 – Utilize soluções de projeto de saúde e bem-estar

A arquiteta Bia Rafaelli diz que são mais 24 estratégias do design biofílico que podemos aplicar de diferentes formas. É possível começar trazendo a luz natural para sincronizar o ritmo circadiano e garantir a entrada de ar puro através de janelas manejáveis para aumentar a concentração, a criatividade e o bem-estar.

3 – Estimule o senso de pertencimento das pessoas ao local

Isto significa criar uma ligação emocional das pessoas ao ambiente, pensando em para “quem é” e “onde é” o espaço. A sugestão é escolher elementos da cultura local, de memória afetiva do usuário, materiais naturais locais, plantas nativas, entre outras opções.

4 – Proporcione a conexão das pessoas com outros seres vivos

“Pensar em design biofílico é entender que todos os seres importam e estão conectados de alguma forma”, acrescenta Feijó, da Ecotelhado. Por isso, a arquitetura pode estimular o senso de união. Espaços de convivência, que promovem a interação social, exemplificam isso. A arquiteta propõe incluir o paisagismo e outros elementos biofílicos em salas de descompressão e reuniões nas empresas.

5 – Aplique soluções ecológicas integradas

O objetivo aqui é utilizar as soluções da natureza na integração do ambiente construído, preservando a mesma: aproveite a luz natural do local, a ventilação, resgate plantas nativas, use a permeabilidade do solo captando água da chuva.

6 – Garanta o desenvolvimento dos cinco sentidos através do ambiente

A arquiteta Bia diz que o ambiente deve, ainda, estimular a visão, a audição, o olfato, o tato e o paladar de maneira natural preferencialmente. Uma vista para a natureza estimulará a visão e a horta o paladar. A chegada de pássaros cantando no jardim ou em um telhado verde aguçará a audição.

Telhado verde Ecotelhado com plantas aromáticas e horta. (Foto: Divulgação)

Deixe um comentário