RESTAURANTES: saiba o que fazer para que o seu delivery de alimentos seja um sucesso - TOPVIEW

RESTAURANTES: saiba o que fazer para que o seu delivery de alimentos seja um sucesso

Serviço tem sido essencial para manter os estabelecimentos que vendem comidas funcionando neste período de isolamento social

79 0
Compartilhe

A crise causada pela pandemia da Covid-19 fez com que diversos estabelecimentos alimentícios como restaurantes, lanchonetes e bares encontrassem no delivery uma possibilidade de seguir com os negócios e minimizar os impactos desta instabilidade.

Segundo dados do aplicativo de delivery Rappi, no mês de março foi registrado um aumento de 30% no número de pedidos para restaurantes, seguidos de supermercados e farmácias. E, por conta do crescimento, ingressar neste mercado tem se mostrado uma alternativa para continuar funcionando.

O delivery também representa, atualmente, segurança para os consumidores. De acordo com as diretrizes da European Food Safety Authority (EFSA), não há nenhuma evidência de que alimentos podem ser fontes ou rotas de transmissão do vírus. A entrega de pedidos também tem contribuído para que os compradores encontrem praticidade e economizem tempo.

Diante disso, a Engefood, empresa responsável pela introdução do high tech para cozinhas industriais no mercado de food service brasileiro, tem cinco dicas para quem tem interesse de ingressar neste mercado ou aperfeiçoar seu sistema de entregas:

  1. Experiência do cliente: segundo Odair Coimbra, gerente comercial para redes e varejo da companhia, o empreendedor deve pensar primeiro na experiência do cliente antes de qualquer ação. “O delivery já é uma experiência diferenciada de consumo. Mas é importante lembrar que esse período vai passar e você precisa fidelizar o cliente”.
  2. Qualidade no atendimento: neste momento, saber escolher os canais que serão utilizados para se comunicar com os clientes e formas de entrega dos produtos é essencial. O bom atendimento ao consumidor é fundamental para gerar confiança e garantir a qualidade na entrega dos produtos. Por isso, é muito importante escolher as ferramentas de comunicação mais eficientes (WhatsApp, Chat ou telefone), os meios (entregadores próprios ou aplicativos), as estratégias de entrega e até os tipos de embalagens. 
  3. Definição do cardápio: durante uma crise, os consumidores não costumam arriscar tanto. Por isso, os negócios devem apostar em produtos que vendam bem, com boa margem de lucro e que tenham durabilidade em viagens. Caso seja necessário, os estabelecimentos podem realizar adaptações nas receitas, “O consumo em casa é diferente do consumo no restaurante e essa experiência deve ser boa da mesma forma”, ressalta Coimbra.
  4. Reforço na higiene: os funcionários dos restaurantes, lanchonetes e bares devem seguir as normas da Organização Mundial da Saúde (OMS), como lavar as mãos com frequência, usar máscaras de proteção e manipular corretamente os alimentos. Neste momento de pandemia é importante reforçar estes cuidados.
  5. Entrega segura: os empreendedores devem contribuir com a segurança na entrega de seus produtos, informando as regras a serem seguidas pelos entregadores. “Oriente-os a realizar a higienização correta do veículo – carro, moto ou bicicleta – e do box de acomodação dos alimentos. E ainda aconselhe os clientes a realizarem os pagamentos de forma eletrônica, em vez de utilizarem cartões e maquininhas”, diz o Gerente Comercial para Redes e Varejo da Engefood.
  6. Empatia em destaque:  durante a pandemia é importante que o empreendedor mostre que se preocupa com os clientes e entregadores. Para tal, Odair Coimbra indica que os empresários presenteiem os colaboradores responsáveis pelas entregas e enviem junto aos pedidos pequenos itens para os consumidores, como álcool em gel em sachê, lenços umedecidos para higienizar o local de consumo, balas, mini chocolates, cápsulas de cafés, e mensagens escritas a mão nas embalagens com um agradecimento ou encorajamento. “Tais atitudes podem contribuir para uma ótima impressão do estabelecimento”, explica ele.
In this article

Join the Conversation