ESTILO

Praia da Grama: projeto destaca a vista da piscina de ondas, única privativa do mundo

Projeto arquitetônico traz espécie de anfiteatro com amenities voltados para a praia e paisagismo integrado, com a presença do design biofílico, vista para a exclusiva piscina de ondas e muita transparência. A Praia da Grama é a primeira praia de ondas privativa do mundo com tecnologia Wavegarden

Uma piscina de ondas com direito a vista do pôr do sol e o clima exclusivo das praias brasileiras. A Praia da Grama, a primeira praia de ondas privativa do mundo com tecnologia Wavegarden, de autoria da KSM Realty recebeu a arquitetura contemporânea do premiado Gui Mattos e projeto do paisagista Benedito Abbud, com participação de Helena de Azevedo Freitas, do Jardim Paulistano Paisagismo. O complexo praiano está localizado na Fazenda da Grama, em Itupeva (SP), a uma hora de distância da capital.

(Foto: Rafael Renzo)

“Quando eu pensei na primeira praia do interior de São Paulo, nada melhor do que Gui Mattos. Um exímio arquiteto e que gosta de esporte e de surf”, comentou o CEO da KSM Realty, Oscar Segall, à frente do projeto. Com 91.600 m² de área total, o projeto arquitetônico se dispõe em quase 700 m² de uma orla completa que conta com espaços que vão de restaurante, bar, a SPA e academia.

(Foto: Rafael Renzo)

O terreno é um formato de “leque” e tinha como propósito trazer a natureza e a vista da praia e da piscina para todos os espaços. Segundo o arquiteto Gui Mattos, tudo começou com a forma do local. “Criamos uma espécie de anfiteatro para as ondas, um local onde todos pudessem desfrutar do visual e ver a grande estrela da praia, que é a piscina de ondas”, explica. “Todos os espaços são abertos, com muita transparência e integração com o jardim. Se torna um local até mesmo ambíguo, de se estar ‘dentro e fora’ ao mesmo tempo”, destaca.

(Foto: Rafael Renzo)

Para o projeto, o restaurante foi colocado no eixo do anfiteatro, onde o maior número de pessoas deve circular e ao lado, os demais amenities: escola de surfe, academia, piscina, bar, beach tennis, espaço para eventos e um SPA exclusivo. “Sem chamar a atenção demasiadamente, são espaços funcionais, de sombra e aconchegantes”, ressalta o arquiteto. Todos as áreas seguem a arquitetura contemporânea e simples com mobiliário pensado para ser prático e resistente. Na varanda, destaca-se o mobiliário para uso molhado e em todos os locais, cores calmas e acolhedoras que se envolvem com a natureza.

O paisagismo, assinado por Benedito Abbud, se mistura ao projeto de arquitetura com espaços que não tem a intenção de se destacar, mas sim integrar. “Nossa preocupação foi que essas edificações estivessem na praia, mas que fossem da melhor maneira possível camuflada pela natureza”, comentou Oscar Segall. O projeto foi implantado em 63.000,00 m² com o propósito de recriar um ambiente perfeito de uma praia de verdade. “Esse é um projeto pioneiro. Eu tive condições de estar na Wavegarden, em San Sebastian, vendo a piscina antes de fazer o projeto. Todas elas até então acabam num piso, não tinham essa sensação de praia, pois mais do que uma réplica de praia, é você trazer a sensação para o ambiente.” Segundo o paisagista, além do projeto ser um desafio o terreno em declive também foi. “Precisávamos deixar a piscina totalmente plana e para isso, criamos um plano para ela. Isso fez com que surgisse um talude no acesso para a piscina.”

(Foto: Rafael Renzo)

Para criar tudo isso, Abbud conta que teve como inspiração a Serra do Mar. “As praias do estado de São Paulo, em especial, estão junto à Serra do Mar. Quando você olha da água para a terra, você vê uma montanha, uma Serra do Mar vegetada. Nos inspiramos nesse contraste, no mar que é plano e na Serra que é íngreme, para fazermos um talude totalmente vegetado”. Na área plana, foram colocados cerca de 1.300 palmeiras e 50 mil mudas de arbustos, um bioma característico para a região. “A nossa imagem de praia é assim, repleta de coqueiros e com areia fofa, algo que não acontece em outros lugares, que tem pedras ou conchas, por exemplo. Replicamos a imagética de uma verdadeira praia brasileira.”

Outro destaque é o chamado “design biofílico”, que, segundo o paisagista é uma tendência no cenário internacional. “Biofilia significa estar abraçado pelo verde. Esse grande desnível da Praia da Grama proporciona esse abraço. Quando você está na piscina, você não vê construções e casas.” Para completar a intenção do projeto, o posicionamento da piscina foi primordial. A ideia foi replicar o “mar” com direito a pôr do sol na água. “Trouxemos uma inovação para dentro da Praia da Grama: a presença do poente na água. No Brasil, praticamente na costa toda, o sol nasce no mar e raramente temos o poente na água.”

(Foto: Rafael Renzo)

E para fechar o complexo, Abbud explica que a escolha da areia foi importante. “Foram feitas muitas pesquisas para ver o melhor tipo do material e como ela se comportaria próximo a piscina. Criamos um grande “lava pés” para que a onda pudesse ir e voltar e mesmo assim, a areia permanecesse em um único local, sem sujar a água”. A areia é fabricada e conta ainda com tecnologia que não esquenta.

Deixe um comentário