ESTILO

Pinot Noir Day: Conheça a uva originária da Borgonha e os melhores rótulos para degustar

Paula Daidone, Sommèliere da Wine, maior clube de vinhos do mundo, indica vinhos para comemorar a data e traz algumas curiosidades sobre a casta

Dia 18 de agosto é comemorado o Pinot Noir Day, em homenagem a uma das uvas mais elegantes e saborosas do mundo. Para os amantes de vinhos é impossível não apreciar um rótulo desta casta. Mas, existem alguns pontos importantes que você precisa saber:

1. A Pinot Noir é uma uva originária da Borgonha, na França, e, além de ser muito delicada, é bem exigente com seu lugar de cultivo, pois precisa estar em regiões com clima moderadamente fresco para amadurecer por completo. Mas, se engana quem pensa que ela se dá apenas em solo francês. A sofisticada uva se desenvolve com maestria em países como os Estados Unidos, Nova Zelândia, Alemanha, Chile e até no Brasil, sofrendo uma alteração mínima em sua coloração.

2. As uvas da Pinot Noir são pequenas e com casca fina. Por isso, é possível elaborar vinhos tintos, brancos e espumantes. Além disso, é uma das variedades autorizadas para a produção na AOC Champagne, junto com a Chardonnay e Meunier.

3. Os vinhos Pinot Noir são fáceis de beber, pouco tânicos e de cor clara. Mesmo com corpo médio, são rótulos complexos e que apresentam aromas de frutas vermelhas frescas e especiarias. Mas, com o passar dos anos, ganham nuances vegetais e animais (cogumelos, folhas molhadas e caça).

4. Geralmente essa uva é utilizada sozinha nos vinhos tintos, tanto por sua complexidade, quanto pela sua sutileza – que a deixaria escondida entre outras uvas do corte. 

5. Nos climas mais frios, a Pinot Noir não amadurece por completo, por isso, ela tem notas de vegetais verdes. Já nas regiões mais quentes, as uvas se tornam super maduras e os vinhos perdem a delicadeza, transformando os aromas de frutas frescas em compota e geleia. 

6. Por ser uma casta que origina vinhos tintos leves, a Pinot Noir é versátil e combina com uma gama grande de pratos. O ideal é harmonizar com receitas de textura delicada e pouco aromáticas para não mascarar o vinho. 

Segundo Paula Daidone, Sommelière da Wine, maior clube de vinhos do mundo, pratos principais à base carne de porco, carne vermelha e aves, preferencialmente grelhadas ou assadas, vão bem com a uva. “A Pinot Noir harmoniza com carne vermelha, mas é preciso escolher um vinho com estrutura parecida à da carne”, ressalta Paula. “As safras mais jovens, que tenham taninos mais marcantes, combinam com carne cozida ou na brasa. Já os exemplares envelhecidos ou mais robustos, aceitam um corte mais pesado, assim como os embutidos”, complementa. Ainda de acordo com Paula, essa é uma uva que harmoniza com legumes e cogumelos, por ter estrutura delicada.

Para a Sommelière, os melhores rótulos que representam bem essa uva e podem ser usamos para comemorar a data são:

Ernst Loosen Pfalz Edition Pinot Noir Rosé 2019:

(Foto: divulgação)

Dark Horse Pinot Noir 2018:

(Foto: divulgação)

A renomada enóloga Beth Liston selecionou as uvas Pinot Noir de vinhas de alta qualidade em toda a Califórnia. As uvas para o exemplar 2018 foram colhidos no pico da maturação, permitindo a fácil extração de ricos taninos e aveludados e concentração de cor. Antes de ser lançado ao mercado, o vinho envelheceu para ganhar complexidade e equilíbrio.

Adquira clicando aqui.

Ropiteau Pinot Noir 2019:

(Foto: divulgação)

Pinot Noir da Borgonha com aromas de frutas como cereja, framboesa e morango, associadas a leve nota mentolada, nuance defumada e de especiarias. No paladar, é aveludado, possui notas frutadas, toque da madeira, acidez equilibrada e boa persistência. No verão, o sol demorou a aparecer, mas em setembro as uvas amadureceram com maestria e conseguiram conquistar bom potencial aromático com manutenção da acidez.

Adquira clicando aqui.

Deixe um comentário