ESTILO

Oportunidade: festival de cinema traz as melhores produções nacionais e internacionais de 2020

Gratuita e online, programação acontece de 14/4 a 5/5

O mais longevo festival de cinema de São Paulo repete a experiência de sucesso do ano passado e apresenta sua 47ª edição em formato online, por conta da pandemia causada pelo coronavírus. Realizado pelo Sesc São Paulo, o Festival Sesc Melhores Filmes começa na próxima quarta-feira, 14 de abril, e segue até dia 5 de maio, oferecendo gratuitamente ao público de todo o país, na plataforma Sesc Digital, uma programação com filmes nacionais e estrangeiros que foram destaque em 2020, além de encontros e atividades com realizadores e pensadores do cinema. Na abertura do festival, serão conhecidos os trabalhos de artistas eleitos pelo voto popular e júri especializado como os melhores do ano. A premiação será apresentada ao vivo pelo ator Silvero Pereira, no dia 14/4, a partir de 19h30, no canal do CineSesc no YouTube.

Diretamente de sua casa, em Fortaleza, no Ceará, Silvero – eleito pelo público como Melhor Ator Nacional, em 2020, por sua atuação em Bacurau – vai anunciar os vencedores deste ano e ainda conversar ao vivo com alguns premiados, a partir das 20h. Antes da cerimônia, às 19h30, os jornalistas e críticos de cinema Cunha Júnior, Duda Leite e a cineasta Renata Martins aquecem a premiação comentando sobre os filmes mais votados de 2020. Os vencedores serão conhecidos apenas na transmissão. Após a live, a lista completa dos prêmios é disponibilizada no site do Festival, além de uma versão digital do catálogo com informações dos filmes mais votados pelo público e pela crítica.

Ao final da cerimônia, e abrindo a 47ª edição do Melhores Filmes, o público poderá assistir gratuitamente ao filme Valentina, de Cássio Pereira dos Santos. O longa, inédito nos cinemas, traz a história de uma menina trans e sua mãe que se mudam para uma pequena cidade, mas rapidamente enfrentam dilemas quando a escola local exige a assinatura da mãe e do pai para se matricular.

Criado em 1974, o Festival Sesc Melhores Filmes é o primeiro festival de cinema de São Paulo. Ele oferece ao público a oportunidade de ver ou rever o que passou de mais significativo pelas telas da cidade. Sua programação é escolhida democraticamente pelo público e pela crítica. Os filmes que participaram da votação deste ano foram aqueles lançados comercialmente nas salas de cinema de São Paulo em 2020. Em 47 anos de realização, o festival já exibiu centenas de longas-metragens brasileiros e estrangeiros. Em 2010, inovou ao ser o primeiro evento do gênero a disponibilizar sua programação com recursos de acessibilidade, como audiodescrição e legendagem open caption, para assegurar a amplitude da ação do Sesc São Paulo na atenção aos diversos públicos.

“A ação cultural do Sesc procura conciliar qualidade artística e sua popularização, através de estratégias mediativas voltadas à acessibilidade – em diferentes acepções – dos conteúdos. Nas circunstâncias presentes, a gratuidade das exibições on-line, as ferramentas tecnológicas voltadas a pessoas com deficiências visuais e auditivas e a constituição de uma programação que incorpora o voto popular por meios remotos demonstram que é possível criar canais mais amplos e abrangentes para a recepção da produção cinematográfica contemporânea”, explica Danilo Santos de Miranda, diretor regional do Sesc São Paulo.

Para esta edição online, a equipe do CineSesc preparou um recorte com alguns dos filmes mais votados. O público poderá ver e rever títulos como o documentário da Macedônia do Norte Honeyland, de Tamara Kotevska e Ljubomir Stefanov, o drama francês Retrato De Uma Jovem Em Chamas, de Céline Sciamma, o britânico Você Não Estava Aqui, de Ken Loach, e o franco-belga O Jovem Ahmed, de Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne, além dos nacionais Três Verões, de Sandra Kogut, Sertânia, de Geraldo Sarno, Fim de Festa, de Hilton Lacerda, Pacarrete, de Allan Deberton, e o documentário Babenco – Alguém Tem Que Ouvir O Coração E Dizer: Parou, de Bárbara Paz. Eles estarão disponíveis on demand por 24h, uma semana ou até o término do festival, na plataforma Sesc Digital. Parte dos filmes exibidos possui recursos de acessibilidade, com legendas open/close caption, libras e audiodescrição, disponíveis via app MovieReading.

Além dos filmes mais votados de 2020, o festival presenteia o público com sessões especiais de clássicos premiados em edições passadas, como o alemão A Vida dos Outros (2006), de Florian Henckel von Donnersmarck, o inglês Segredos e Mentiras (1996), de Mike Leigh, e o francês Meu Tio da América (1980), de Alain Resnais. Apresenta também uma homenagem à atriz brasileira Marcélia Cartaxo, com a exibição dos filmes A História da Eternidade (2015), de Camilo Cavalcante, e A Hora da Estrela (1985), de Suzana Amaral, vencedor do Festival de Cinema de Berlim, com os prêmios da Confederação Internacional de Cinemas de Arte e o Urso de Prata de Melhor Atriz para Marcélia. Na Faixa Especial Abril Indígena, são exibidos os filmes brasileiros Serras da Desordem (2006), de Andrea Tonacci, e Martírio, (2017), de Vincent Carelli, Tatiana Almeida e Ernesto de Carvalho – também premiados nos Melhores. O projeto Abril Indígena integra o Programa Diversidade Cultural do Sesc São Paulo, que aborda questões relativas aos povos originários, com objetivo de valorizar e difundir a diversidade cultural no Brasil.

Completa a programação do festival, uma série de atividades paralelas com pensadores e profissionais do cinema que se reúnem para debater temas importantes e atuais na sociedade e no audiovisual, nos encontros on-line: Cinema Negro em Várias Telas; Histórias Indígenas e o Brasil em Ruínas; Cinema Nordestino Contemporâneo: Uma Só Identidade?; e A Fotografia no Cinema: Sertânia e Pacarrete. O CineSesc ainda oferece um curso prático gratuito sobre Podcasts de Cinema. Confira a programação completa.

Deixe um comentário