O turismo do vinho e a conexão com a natureza - TOPVIEW
Compartilhe

Viajar é uma oportunidade única para viver experiências inesquecíveis, desbravar novos lugares e conhecer novas culturas. E para os amantes do vinho, a prática do enoturismo, de poder se perder entre vinhedos coloridos, trabalhar na colheita da uva, ter um contato direto com os produtores, degustando na origem alguns de seus vinhos favoritos, moldam novas maneiras de viajar e se aventurar pela natureza. Seja próximo a grandes centros ou no meio do interior de países longínquos, em grandes vínicolas ou bodegas boutiques, a dois ou com amigos, essa imersão no universo do vinho vem se revelando como um programa imperdível para os amantes da natureza.

VEJA TAMBÉM: Entenda sobre os diferentes tipos de embalagens e rolhas de vinhos

Confira algumas dicas imperdíveis e prepare-se para se deleitar com destinos de enoturismo encantadores mundo afora.

Destinos tradicionais e obrigatórios

Alguns destinos já são considerados paradas obrigatórias para os fãs de vinhos. Entre castelos, vinhedos e chateaux, estão as clássicas regiões de Bordeaux, Borgonha e Vale do Loire, na França, sem esquecer-se da única e elegantíssima Champagne.

Na Itália, o Piemonte e a inebriante Toscana, com suas paisagens de tirar o fôlego. As antigas bodegas da Rioja, na Espanha e as grandiosas vinícolas do Napa Valley, nos Estados Unidos, podem facilmente serem incorporadas a qualquer roteiro. Aqui no Novo Mundo, uma passada em Mendoza, na Argentina, ou pelos vales do Chile, também deixam boas recordações e lindas experiências. Ou ainda uma passagem pelos vinhedos da Austrália e Nova Zelândia, que também rendem lindos passeios e histórias pelas suas paisagens pitorescas.

Paradas exóticas e inimagináveis

Mas nos últimos anos, novas ou regiões produtoras menos conheci-das, vêm redesenhando o mapa do vinho e colocando cenários exóticos no vasto universo do enoturismo. Se você já se apaixonou pelos destinos clássicos, imagina conhecer vinhedos nesses lugares, no mínimo, inusitados.

Geórgia
Quando falo de Geórgia não é o Estado dos EUA, me refiro ao país entre a Europa e a Ásia, uma das regiões vinícolas mais antigas do mundo. Os arqueólogos encontraram evidências de produção de vinho a partir de 6.000 a.C., o que lhe rendeu uma posição na lista de Patrimônio Cultural Imaterial da Unesco. Kakheti é a mais famosa região vinícola do país, com destaque para a cidade de Sighnaghi. Lá os vinhos são fermentados em jarras de barro, resultando em um vinho um tanto diferente do habitual vinho ocidental.

Índia
Já pensou em fazer enoturismo na Índia? Dificilmente pensamos na Ásia como um destino vinícola, mas a Índia está começando a contar a sua história para os amantes do vinho, especialmente na região de Nashik, não muito distante de Mumbai. É lá, entre os templos esculpidos nas montanhas e planícies exóticas, que as variedades de Zinfandel e Sauvignon Blanc vêm se destacando.

Mianmar
Com apenas duas propriedades vinícolas, ambas localizadas perto do Lago Inle, próximas das montanhas Shan, que Mianmar está escrevendo sua história para o mundo do vinho.

Canadá
Próxima da cosmopolita Vancouver está a região dos vinhos de Okanagan, lugar perfeito para fazer um passeio de bicicleta pelos vinhedos. Na cidade de Gold Rush é possível conhecer uma vinícola degustando vinhos com uma vista incrível das colinas.

*Coluna originalmente publicada na edição 234 da revista TOPVIEW.

In this article

Join the Conversation