O poder da casa: tendências do morar no pós Covid-19 - TOPVIEW
Compartilhe

Em maior ou menor escala, até hoje, nenhuma calamidade alterou de maneira tão significativa os aspectos sociais, econômicos e ambientais quanto o coronavírus. A Covid-19 transformou o modo como as pessoas se relacionam, vivem e percebem seu entorno. Nesse contexto, entender que mundo novo é esse e como ele funciona se torna muito importante para que possamos estar preparados para o que vem pela frente.

Com a casa transformando-se em uma grande aliada, a pergunta que vai guiar a maneira de viver nesse novo momento será: o que o realmente precisamos? Afinal, as pessoas vão querer ajustar alguns ambientes, priorizando o bem-estar e tudo o que descobriram durante esse período.

A arquiteta Alessandra Gandolfi identificou alguns comportamentos e necessidades que devem surgir a partir de agora. Destacam-se tendências de comportamentos e valores, como:

  • Humildade – as pessoas estão mais humildes, pois perceberam que a natureza é muito maior do que o ser humano;
  • Solidariedade – percebe-se a união de várias pessoas em prol de um único objetivo: ajudar aqueles que estão sofrendo mais nesse momento;
  • Busca pelo Conhecimento – cursos online, busca pelos hobbies, desenvolvimento de novas habilidades;
  • DIY (Do it yourself) – essa é a tendência do faça você mesmo! As pessoas vão fazer mais coisas sozinhas: receitas, cuidados estéticos, costuras, pequenos reparos…
  • Tecnologia – Compras online, uso das mídias sociais, lives e trabalhos remotos ganham cada vez mais espaço;
  • Simplicidade – as pessoas vão valorizar muito mais os pequenos gestos: um oi, um abraço, um bom dia, um jantar com os amigos;
  • Consumo consciente – comprar com mais responsabilidade, ver o que é realmente essencial, prioridades, valor agregado são alguns itens que devem se destacar.

E na arquitetura?

Como em muitas outras áreas, a tendência é que a arquitetura continue a evoluir, acompanhando as revoluções tecnológicas e mudanças que ocorrem no estilo de vida das pessoas. Se sobressaem:

Home Office – mesmo que todos voltem a trabalhar em seus escritórios ou empresas, ter um espaço de home office adequado deve ser uma nova prioridade;

Projeto Alessandra Gandolfi. (Foto: Marcelo Stammer).

Espaços lúdicos para crianças – repensar espaços para darmos mais atenção às crianças e proporcionar diversas brincadeiras para momentos em casa;

Projeto Alessandra Gandolfi. (Foto: Marcelo Stammer).

Plantas – temperos e hortas em casa;

Projeto Alessandra Gandolfi. (Foto: Marcelo Stammer).

Quadros de família – itens que tenham valor afetivo e ressignifiquem a casa;
Academia em casa – locais para fazer atividades físicas, ioga, meditação ou alongamentos;

Projeto Alessandra Gandolfi. (Foto: Diuvulgação).

Hall/Lavanderia – ambientes mais funcionais com bancos, espaços para sapatos, casacos, álcool gel;

Projeto Alessandra Gandolfi. (Foto: Divulgação).

Tecnologia – impacto que a tecnologia tem no novo morar: conectividade, inteligência artificial, automação, facilidades;
Minimalismo – as pessoas vão querer móveis mais práticos e multifuncionais para facilitar a limpeza e organização;
Sustentabilidade – busca por materiais mais naturais, mais sustentáveis, artesanato, handmade;
Design sensorial – cores, cheiros, sons, memórias afetivas, foco no bem-estar, no comportamento e no humor.

Projeto Alessandra Gandolfi. (Foto: Eduardo Macarios).
In this article

Join the Conversation