ESTILO

Novos patrimônios da humanidade na República Tcheca

O verão traz ventos de celebração para a República Tcheca, já que a UNESCO reconheceu 4 novos locais como patrimônios mundiais. São as cidades termais de Františkovy Lázně, Karlovy Vary e Mariánské Lázně e a área montanhosa de Jizera, no norte da Boêmia, que fica dentro do bloco de florestas primitivas de faias dos Cárpatos.

Balneários de Europa

Os chamados “grandes balneários da Europa” são 11 cidades em 7 países europeus. A República Tcheca tem 3 na lista.

Os balneários são definidos como os banhos públicos, principalmente os medicinais e curativos, ou relacionados a esses locais ou estabelecimentos. Desde a antiguidade, estes locais têm oferecido espaços de cura e recreação a várias personalidades, desenvolvendo uma arquitetura emblemática e um conjunto de características que conseguiram conferir-lhes a distinção da UNESCO.

Segundo esta organização: “O desenvolvimento de todas estas localidades deveu-se à existência de nascentes de água mineral nos seus territórios, bem como ao boom que as curas termais provocaram na Europa desde o início do século XVIII até a terceira década do século XX. Daí a criação de grandes centros termais para um público internacional abastado, o que influenciou a sua estrutura urbana porque a vida da cidade se organizava em torno dos edifícios e quartos dedicados às terapias termais. “

(Foto: divulgação)

Acrescentam ainda que “as estâncias termais criaram também numerosos jardins, salas de congressos, cassinos, teatros, hotéis, palacetes e infraestruturas especificamente destinadas à condução de águas termais”.

As razões para o reconhecimento destes locais são variadas, mas destacam que todas estas construções foram integradas em complexos urbanos de grande beleza paisagística, zelosamente organizados para a administração de terapias e a realização de atividades recreativas. O conjunto desses balneários é representativo da importância da troca de valores humanos, bem como da evolução da ciência, da medicina e da terapia termal, segundo a UNESCO.

Na República Tcheca, os três locais reconhecidos estão entre os mais visitados há anos, devido à sua beleza e longa tradição termal. De antigos reis, passando por personalidades como Mozart, chegando a estrelas de cinema – todos desfilaram pelas ruas e spas deste triângulo do bem-estar.

Františkovy Lázně

(Foto: divulgação)

Quando Johann Wolfgang von Goethe estava em Františkovy Lázně, ele chamou a cidade de “paraíso terrestre“. A menor cidade no mundialmente conhecido triângulo termal da Boêmia do Oeste ainda possui calçadões elegantes com galerias clássicas, parques bem cuidados e uma atmosfera agradável de calma, relaxamento e descanso. As palavras do famoso poeta alemão ainda são válidas para essa cidade fundada como o primeiro spa de turfa do mundo.

Os efeitos medicinais das nascentes locais começaram a ser usados há cinco séculos. A cidade termal em si não foi fundada antes do final do século 18 pelo imperador austríaco Francisco I, a quem deve seu nome. Nos dias de seu apogeu, personalidades como Johann Strauss, Prince Metternich, Franz Kafka e o compositor de renome mundial Ludwing van Beethoven foram convidados deste spa.

Karlovy Vary

(Foto: divulgação)

Uma personificação perfeita da elegância das termas, colunatas ostentosas, sanatórios exclusivos e uma esplêndida situação geográfica no meio de um vale coberto de florestas. Este é o balneário de Karlovy Vary. A cidade mais importante do famoso triângulo termal, onde foram tratadas as personalidades mais famosas da vida artística e social da Europa, é hoje o segundo lugar mais visitado da República Tcheca. Pela sua arquitetura original, é um dos balneários mais bonitos do velho continente.

Mariánské Lázně

(Foto: divulgação)

Passeando pelo coração de Mariánské Lázně, você tem a sensação de estar retrocedendo magicamente cem anos. Estabelecimentos de spa pomposos se alternam com parques prósperos nos quais os hóspedes do spa se sentam e bebem água de uma das lendárias fontes locais com seus copos. Conheça também a história desta cidade que acolheu os mais importantes estadistas e artistas na época do seu apogeu e que, até hoje, é considerada uma das mais belas estâncias termais da Europa.

É difícil imaginar que há dois séculos a região ainda era um vale simples com florestas impenetráveis e pântanos borbulhantes. No entanto, quando Johann Josef Nehr, um médico do vizinho mosteiro de Teplá, descobriu os benefícios exclusivos das fontes locais para a saúde humana, um desenvolvimento vigoroso do spa não demorou a acontecer. Alguns anos se passaram e personalidades como Chopin, Strauss, Goethe, Kafka, Freud, Kipling, Edison, Twain e o rei britânico Edward VII já se reuniam ali.

Conheça um pouco mais sobre esses destinos renomados:

Florestas primitivas de faias dos Cárpatos

Acaba de ser feito um alargamento do conjunto anteriormente reconhecido pela UNESCO como Patrimônio Mundial das Florestas Antiga e Primária de faias dos Cárpatos e outras regiões da Europa. Áreas em dez países foram adicionadas a este importante bloco. Na República Tcheca, uma área das montanhas Jizera, no norte da Boêmia, conhecida como Jizerskohorské bučiny foi incluída.

Jizera uma reserva natural conhecida principalmente por ser uma rota para caminhadas. Existem muitos maciços rochosos incomuns, torres e mirantes naturais na rota. Oferece belas paisagens e um excelente nível de conservação que cativa a todos os visitantes.

Algumas de suas principais atrações são:

Oldřichovské sedlo (passagem na montanha de Oldřichov)

(Foto: divulgação)

Hausmanka, a casa do ex-guarda florestal, Franz Hausman, que amava muito as montanhas de Jizera. Hoje, também é conhecido como “U Kozy”. É um pub único com excelente comida e ambiente original. Aqui, os viajantes cansados podem saborear a comida tradicional e descansar para admirar a vista da floresta e continuar sua rota.

Rochas Lysé

(Foto: divulgação)

As rochas de Lysé (Lysé skály), populares entre os escaladores, apresentam várias formações rochosas com seus próprios nomes: Torres de chaminé (Komínové věže), Torre do pinheiro (Borová věž), Rocha de Lysá superior (Horní Lysá skála), Rocha de Lysá inferior (Dolní Lysá skála), a torre Frýdlantská (Frýdlantská věž), a pequena torre Frýdlatská (Malá Frýdlantská věž), o maciço Lysý (Lysý masiv) e estão localizados entre o pico Kopřivník, a uma altura de 598 m acima do nível do mar, e o pico Stržový vrch a 704 m. Uma formação rochosa chamada Gorila está entre as mais conhecidas.

Castelo de Rocha

(Foto: divulgação)

O Castelo de Rocha (Skalní hrad), com sua parede de granito, cai trinta metros para o lado do vale e dez metros para o lado do altiplano. O Castelo de Rocha, segundo os achados arqueológicos, foi construído na primeira metade do século XIII. Naquela época, existia um pequeno castelo de guarda para guardar uma rota comercial que levava à região de Frýdlant, que mais tarde também foi ocupada por invasores. Degraus esculpidos na rocha levam ao topo desses blocos de rocha de cerca de 30 m de altura. No topo está um porão raso, o resto de uma sala de pedra e um pequeno número de orifícios para estacas e rodapés usados para as vigas de uma construção de madeira. Há vistas da região de Frýdlant, Alta Lusácia, Polônia e para os picos da cordilheira Ještědský.

Jizerskohorské bučiny é o primeiro sítio natural tcheco a ser reconhecido pela UNESCO.

Clique aqui para mais histórias, dicas, recomendações e surpresas.

Deixe um comentário