ESTILO

Museu de Arte Moderna de São Paulo apresenta obra inédita de Marcius Galan em nova edição do Projeto Parede

A partir do dia 22 de janeiro, O Museu de Arte Moderna de São Paulo inaugura nova edição do Projeto Parede, que conta com obra exclusiva do artista visual Marcius Galan. Nesta edição, o recorte curatorial é dado a partir da histórica destruição do patrimônio cultural e natural no Brasil por consequência de altas temperaturas, mudanças climáticas e direcionamentos políticos. 

A obra Pintura de Emergência, 2022, de Marcius Galan, pode ser compreendida a partir deste panorama catastrófico ou por um sentido mais indireto, e ajuda o público a compreender o momento atual, partindo da sinalização de emergência que tem como objetivo reduzir riscos e destruição. Como estratégia de composição, Marcius Galan utiliza da repetição de um módulo básico de vermelho e amarelo. A justaposição na vertical e horizontal da sinalização enfatiza a ideia de urgência e cria um ritmo, uma espécie de expectativa do próximo módulo.

O espaço entre o saguão da entrada do MAM e a Sala Milú Villela – onde são exibidas as obras do Projeto Parede – será transformado em uma tela com formas retangulares fazendo referência à tradição da pintura construtiva geométrica, que teve entre os seus protagonistas os artistas concretistas e neoconcretistas dos anos de 1950 e início dos anos de 1960.

Para o curador-chefe do MAM, Cauê Alves, se nos anos de 1950 o Brasil viveu um surto desenvolvimentista industrial, embalado no slogan de Juscelino Kubitschek “50 anos em cinco”, hoje estamos diante de uma distopia de incêndios e emergências. “No momento em que o MAM São Paulo apresenta em sua programação a segunda geração da arte moderna que enfatizou a abstração, Marcius Galan atualiza uma reflexão sobre esse período do ponto de vista contemporâneo.”  

Na última década, aconteceu a destruição de um vasto patrimônio cultural e natural. Em 2013, o Memorial da América Latina pegou fogo. Dois anos depois, em 2015, foi a vez do Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo. Em 2018, o Museu Nacional, no Rio de Janeiro, com cerca de 20 milhões de itens foi totalmente destruído pelo fogo. Em 2021, ocorreu o mais recente desta série de incêndios no acervo da Cinemateca Brasileira. Além dos vários quilômetros quadrados que foram queimados como instrumento de desmatamento na Amazônia e no Pantanal.


Serviço:
Projeto Parede – Pintura de emergência (2021-2022), de Marcius Galan
Onde: Museu de Arte Moderna de São Paulo – Parque Ibirapuera (Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Portões 1 e 3)
Quando: a partir de 22 de janeiro; terça a domingo, das 10h às 18h (com a última entrada às 17h30)
Telefone: (11) 5085-1300

Ingresso: R$25,00. Gratuidade aos domingos. Agendamento prévio necessário
Ingressos Online: compre aqui
Meia-entrada para estudantes, com identificação; jovens de baixa renda e idosos (+60). Gratuidade para crianças menores de 10 anos; pessoas com deficiência e acompanhante; professores e diretores da rede pública estadual e municipal de SP, com identificação; sócios e alunos do MAM; funcionários das empresas parceiras e museus; membros do ICOM, AICA e ABCA, com identificação; funcionários da SPTuris e funcionários da Secretaria Municipal de Cultura

Deixe um comentário