ESTILO MOBILIDADE

BMW Group confirma dois novos modelos em produção no Brasil

Acelerando forte e confiando cada vez mais na operação nacional, O BMW Group confirma a produção da totalmente Nova Geração do BMW X1, recém-apresentada globalmente, assim como o Novo BMW Série 3 na Planta de Araquari, em Santa Catarina. Ambos os modelos também contaram com desenvolvimentos globais de engenharia apoiados pelo time localizado no Brasil.

“Seguiremos com foco nos clientes a nacionalizar o desenvolvimento mundial e a produção local dos modelos líderes de mercado premium nacional. Com 50% de participação do mercado premium em junho, antecipamos este anúncio de forma a agradecer a preferência dos clientes e a valorizar os cerca de 1.000 colaboradores que temos no país”, afirma Aksel Krieger, CEO e Presidente do BMW Group Brasil. “Os modelos BMW Série 3 e X1 possuem mais de 25% do mercado total de automóveis premium do país”, reforça o executivo.

“Confirmar a produção de novos modelos, apenas dois meses após as respectivas apresentações na Europa, reforça a confiança que a matriz tem em nosso time para produzir com tecnologia, qualidade e paixão no Brasil”, afirma Otávio Rodacoswiski, Diretor Geral da Planta do BMW Group em Araquari. “A produção do Novo BMW Série 3 começa em setembro e a Nova Geração do BMW X1 será anunciada em breve”, enfatiza Otávio.

A planta do BMW Group em Araquari (SC) tem área total de 1,5 milhão de metros quadrados, sendo 112.893 metros quadrados de área construída. A infraestrutura local abriga processos completos de produção automotiva com áreas de carroceria, soldagem, pintura, montagem e logística, como também laboratórios, prédios administrativos e auxiliares. Além disso, a unidade nacional, que é a maior fábrica de veículos premium do continente, é co-sede, juntamente com o escritório da empresa em São Paulo, do único Centro de Engenharia Global do BMW Group na América do Sul.

A produção dos modelos mais vendidos pela BMW no Brasil e líderes em seus segmentos, que conta com o apoio substancial de fornecedores locais, sendo alguns deles, inclusive, operando dentro da planta de Araquari (SC), faz parte do aporte de R$ 500 milhões divulgado pelo BMW Group em novembro passado.

Cada vez mais ativo nos projetos mundiais, o time de Engenharia do BMW Group Brasil foi o responsável por apoiar o desenvolvimento global e validar os testes locais de qualidade e desenvolvimento dos modelos para o Brasil. Os testes de resistência de motores e seus componentes são feitos em todo o Brasil para apoiar o trabalho da Engenharia Mundial. Nacionalmente, uma das principais mudanças feitas, tanto no Novo BMW X1, quanto no Novo BMW Série 3, é a adaptação e validação do sistema de powertrain, especialmente o sistema de gases de escape e o sistema de tanque de combustível, visando atender às novas exigências brasileiras do PROCONVE L7.

“O brasileiro é criativo, tecnicamente bem-preparado e nossa equipe local tem cada vez conquistado mais espaço no apoio ao desenvolvimento de novas tecnologias mundiais. Além dos modelos BMW iX, Série 3 e X1, seguiremos com novos trabalhos a serem oportunamente anunciados”, afirma Herbert Negele, Diretor de Engenharia do BMW Group Brasil.

Equipe local de engenharia aprimora sistema de infotainment global

O desenvolvimento da equipe de engenharia brasileira do BMW Group não se restringe aos componentes mecânicos. Assim como aconteceu com o BMW iX, uma parte dos engenheiros ficou responsável por testar e validar todo o sistema de entretenimento, tanto do Novo BMW X1 quanto do Novo BMW Série 3. Dois protótipos de veículos foram construídos para testar os sistemas. O sistema do novo BMW X1 foi aplicado em um BMW X5, enquanto o Novo BMW Série 3 usou uma carroceria do modelo atual como veículo de teste.

Os esforços dos testes e validação realizados pelo time brasileiro contribuíram substancialmente para o funcionamento correto e a qualidade dos sistemas de infoentretenimento e conectividade localmente e para a aplicação global. Ao todo, foram percorridos quase 45 mil quilômetros de testes, passando por Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo, além dos testes de laboratório.

Com direção central na Alemanha, o Brasil é um dos cinco centros de desenvolvimento da Engenharia da BMW (os outros estão nos EUA, China, Japão e Coreia do Sul). A qualidade das observações reportadas pela equipe brasileira é importante para fazer uma análise mais eficiente e rápida da situação e, consequentemente, conceber um processo de resolução destes problemas. Isso contribui com o sucesso desses novos produtos BMW não só para o mercado brasileiro, mas para o mundo todo.

Sustentabilidade e meio ambiente 

Pioneira na fabricação de veículos Premium que utilizam etanol (tecnologia ActiveFlex), a planta do BMW Group em Araquari já conta com eletricidade proveniente de fontes renováveis, promovendo a redução das emissões de CO₂ em suas atividades – por meio da certificação I-REC, um instrumento de compensação do consumo de energia elétrica proveniente de fontes que emitem CO₂ na atmosfera.

Além disso, desde o fim de 2020, a planta Araquari instalou e vem ampliando anualmente uma área com placas fotovoltaicas no telhado do prédio da Montagem. Os atuais 2.543 metros quadrados geram 600MWh de energia por ano. Com isso, a fábrica deixa de emitir anualmente cerca de 157,2 toneladas de CO₂, ocupando 5,0% do telhado do prédio da Montagem — área que deve passar por novas ampliações.

A planta também conta com projetos de sustentabilidade e foco no meio ambiente, cuidando da segurança de seus colaboradores. Outro destaque no reaproveitamento e descarte de resíduos são os projetos Seal the Deal — que tem como objetivo reaproveitar resíduos de selante PVC e inseri-los novamente na cadeia de criação de valor — e o Upcycle Element, em que sucatas de material de produção são doados a mulheres de baixa renda para que as transformem em produtos de artesanato e a renda obtida ajude suas famílias.

Com essas e outras ações, a planta segue também os objetivos do BMW Group no mundo de reduzir a emissão de CO₂. Uma das metas a ser alcançada até 2030 é reduzir em 80% a emissão de CO₂ na produção, por veículo. Outras metas que estão na lista é reduzir em 20% a emissão de CO₂ na cadeia produtiva e em 50% na fase de uso, também por veículo.

Deixe um comentário