ESTILO

Mercado imobiliário em Curitiba seguirá aquecido em 2022, com destaque para o alto padrão

É o que aponta projeção de estudo da Ademi-PR, em parceria com a Brain Inteligência Estratégica. Expansão no Bigorrilho e Batel também chama a atenção

Um ano com intenso ritmo de lançamentos. Imóveis de alto padrão em destaque. Foco especial nas regiões do Bigorrilho e do Batel. Preços ajustados. Novos nichos de públicos. Essas são as cinco perspectivas para o mercado imobiliário em Curitiba, em 2022, segundo estudo da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi-PR), realizado em parceria com a Brain Inteligência Estratégica, empresa de pesquisa e consultoria em negócios.

De acordo com o levantamento, o aquecimento verificado em 2021 se manterá. O volume de licenciamento de alvarás – que só nos primeiros meses do ano passado registrava salto de 150% em relação a 2020 – tende a continuar acelerado, o que indica ambiente de confiança entre construtores e incorporadores.

Da mesma forma, o segmento de imóveis de alto padrão seguirá se sobressaindo. O estudo cita Curitiba como “celeiro de produtos inovadores” em unidades de luxo e superluxo. “A cidade está em um patamar invejável em termos de qualidade arquitetônica”, sublinha o presidente da Ademi-PR, Luiz Gustavo Salvático. Em 2021, o segmento se destacou pela velocidade nas vendas.

Ainda conforme o estudo, Curitiba vivencia o movimento “Fly To Quality”. Trata-se de uma expressão do mercado imobiliário para definir o processo de busca, pelos consumidores, por novos espaços, com maior qualidade. “Vê-se na cidade esse processo, alçando Curitiba à vanguarda de algumas tipologias de produtos”, comenta o sócio consultora da Brain, Guilherme Braga Werner.

Entre as regiões da capital paranaense, Bigorrilho e Batel despontam entre os principais focos das construtoras e incorporadores. Na avaliação da Ademi-PR, a alteração recente na legislação de uso e ocupação de solo da cidade (sancionada em 2019) fomenta o desenvolvimento de “novos eixos” de empreendimentos imobiliários nesses bairros.

Uma tendência para essas regiões é a de apartamentos de alto padrão, porém em edifícios baixos – entre seis e oito pavimentos, em média. Logo, construções de menor impacto sobre os característicos casarões existentes, sobretudo no Batel. Ruas como Carmelo Rangel e Hermes Fontes despontam como endereços para esses novos empreendimentos.

Sobre os nichos de públicos, em 2022 as construtoras e incorporadoras darão atenção especial a alguns segmentos. “Novas tipologias de produtos imobiliários começam a sair da prancheta de vários empreendedores, como produtos comerciais destinados a médicos ou produtos residenciais só para locação”, comenta Salvático.

Sobre preços, o aumento dos custos de produção deverá impactar na definição dos valores das novas unidades. Dessa forma, a perspectiva é a de que as construtoras e incorporadoras se foquem em empreendimentos destinados a um público com maior poder aquisitivo. Resulta daí, também, a tendência de maior concentração dos lançamentos nos segmentos de luxo e superluxo, ou seja, apartamentos com preço a partir de R$ 1 milhão.

Deixe um comentário