ESTILO

Masp terá anexo de 14 andares na Av. Paulista

Após passar décadas inativo, o edifício abrigará alas expositivas, café, restaurante e laboratório de restauração de obras

O Masp expandirá sua instituição e contará com um anexo vizinho ao icônico projeto assinado por Lina Bo Bardi. O edifício Dumont-Adams, após passar décadas inativo, abrigará alas expositivas, café, restaurante e laboratório de restauração de obras após uma reforma em seus 7800 metros quadrados e 14 pisos. 

O projeto do novo edifício – que passará a chamar Pietro Maria Bardi, em homenagem ao diretor da instituição por 45 anos -, tem dupla assinatura: da Metro Arquitetos – responsável por adequações e expografias do Masp durante os últimos anos, incluindo a revisão dos cavaletes de cristal, concebidos por Lina Bo Bardi – e de Júlio Neves, antigo diretor do museu.

Segundo Martin Corullon, da Metro, “uma membrana de alumínio perfurado envolverá toda a fachada e fará com que o prédio não esquente tanto”. 

(Foto: divulgação)

Ao todo, serão sete andares destinados à exposições temporárias (os seis primeiros e o nono), estes possuirão pé-direito duplo e planta livre, o que facilita distintas formas de montagem no espaço. Os ambientes receberão um sistema de climatização de última geração que permitirá exposições com obras que exigem preceitos mais rígidos de conservação. Sendo assim, a programação promete ser inaugurada em 2024 com pinturas a óleo de Francis Bacon e, em 2025, promete ainda uma mostra de Claude Monet, um dos mais célebres entre os pintores impressionistas. 

(Foto: divulgação)

Ainda incluso no programa está um laboratório de restauração, um mezanino e um espaço dedicado a cursos. No último subsolo ficará a reserva técnica ampliada, com cerca de 500 metros quadrados. O café e o restaurante ficarão no térreo, liberando o espaço no subsolo do atual museu para acervo permanente. E a bilheteria, que hoje ocupa o famoso vão, será relocada no 1º subsolo do novo edifício.

(Foto: divulgação)

A sede atual receberá o nome de Lina Bo Bardi e os edifícios serão conectados por um túnel subterrâneo, que além da união física, traz um reencontro simbólico do casal que marcou a cultura brasileira.  

(Foto: divulgação)

Deixe um comentário