ESTILO

Le Tour Du Monde desembarca no Egito e lança série de episódios sobre o destino

Entre mesquitas, pirâmides e uma cultura milenar, o casal Iris Fuzaro e Lucas Mayer contam sobre sua jornada no Cairo

Le Tour Du Monde está na estrada há cinco anos e, depois de percorrer o Brasil e viajar os 6 continentes, acabam de lançar a série de três episódios que narra a viagem inédita realizada no continente africano em 2018. Na cidade do Cairo, a filmmaker Iris Fuzaro e o produtor musical Lucas Mayer – casal conhecido por viajar o mundo gravando músicas nas ruas, captando ambientes e a atmosfera de cada lugar – encontraram inspiração para compor um novo som e registrar alguns vídeos contando sobre o processo criativo, a busca por ritmos, instrumentos, o encontro com cantores locais e a rica experiência cultural.

No youtube do LTDM, que já fez parte da programação do canal Discovery Channel, a diversidade é um dos pontos que mais chamam a atenção entre os conteúdos. E, nessa estreia, nada poderia ser diferente. 

Para o duo, Cairo é bem caótica e assustadora no primeiro momento: trânsito, poeira, barulho e assédio turístico intenso.

“Mas não foi só isso que pegou, a questão é que produzir conteúdo lá era quase impossível. Fomos abordados diversas vezes por policiais na rua, tivemos microfones confiscados, fomos revistados centenas de vezes – sempre nos perguntando se éramos jornalistas e o que estávamos fazendo com equipamento de filmagens”.

Logo descobriram que muitas dessas dificuldades estavam conectadas com a revolução egípcia na primavera árabe ocorrida em 2010. Vários estrangeiros entraram no país como turista, documentavam tudo o que estava acontecendo e enviavam para fora essas informações. Então, artistas fazendo registros com tantos equipamentos pareciam, ali, sinônimos de espiões.

Passadas as primeiras impressões, Cairo foi revelando seus encantos.

“Produzir o Le Tour Du Monde exige aprofundamento, sair só dos pontos turísticos e se conectar com as pessoas. Conhecemos as organizadoras do Sofar Sounds Cairo e tudo mudou. Fomos apresentados ao Hany Must, um baita cantor local, fomos em festas com a mesma pluralidade de pessoas que em qualquer outra festa. E a partir daí começamos a ver um retrato de quem vive lá – ou, pelo menos, da bolha dos artistas que vivem lá”.

Hany Must, inclusive, gravou vozes para a faixa inspirada pelo destino. 

“Vale ressaltar que a busca pelo instrumento que caracterizava a atmosfera dessa viagem foi o grande desafio. Não conseguimos gravar em nenhuma loja e os lugares que permitiam gravar tinham instrumentos que pareciam mais souvenirs do que realmente instrumentos”.

Para saber mais, assista “Gravando uma música no Cairo” e “Caçando instrumentos típicos do Egito” no canal do Youtube. O terceiro material da série sairá, em música/videoclipe, no dia 12 de março. 

No mesmo mês, episódios sobre a viagem pela Escócia serão divulgados. 

Deixe um comentário