ESTILO INOVAçãO & TECNOLOGIA

Copel investe R$ 1,9 bilhões em 2021

O principal foco dos investimentos da empresa é o Paraná

A Copel está realizando o maior programa de investimentos de sua história. Somente em 2021 a Companhia vai aplicar R$ 1,9 bilhão em usinas, linhas de transmissão e obras de modernização da rede elétrica do Paraná. Considerando o triênio 2019-2021, a Copel está injetando R$ 5,6 bilhões em obras de melhoria e ampliação do sistema. Entre os destaques estão iniciativas importantes na área de distribuição de energia, como os Programas Paraná Trifásico e o Rede Elétrica Inteligente, e a finalização da construção da Pequena Central Hidrelétrica (PCH) Bela Vista.

O principal foco dos investimentos da empresa é o Paraná. A Companhia trabalha para que o Estado tenha a melhor rede elétrica do Brasil.

“Isso significa qualidade de vida para os paranaenses e infraestrutura para o desenvolvimento econômico, especialmente do moderno setor agropecuário paranaense”, destaca o presidente da Companhia, Daniel Slaviero.

REDE DE DISTRIBUIÇÃO – Em distribuição de energia, os investimentos previstos somente para 2021 totalizam R$ 1,2 bilhão. Um dos destaques é o programa Paraná Trifásico, que está substituindo a rede rural existente por uma rede mais moderna, trifaseada, com cabos protegidos e capacidade de comunicação remota. Com a iniciativa, a Copel melhora a qualidade no fornecimento de energia para o campo, renova seus ativos e contribui para o desenvolvimento do setor agrário paranaense, um dos mais competitivos do país. Ao todo, serão R$ 2,1 bilhões em obras no programa.

Lançado em 2019, o Paraná Trifásico implantou até o final do ano passado 2.807 quilômetros de novas redes de energia elétrica, 12% a mais do que o planejado para o período. Do total, 668 km foram construídos na região Centro-Sul, 646 km na região Leste, 573 km nas regiões Oeste e Sudoeste, 501 km na região Noroeste e 419 km na região Norte do Paraná. A nova rede trifásica está pulverizada por todo o Estado, e as obras garantem cerca de mil empregos diretos e indiretos no Paraná.

“É o maior programa do gênero no país, que vai construir 25 mil quilômetros de linhas trifásicas. Além de melhorar a rede e gerar empregos, a iniciativa vai ajudar a promover o desenvolvimento de nossas cooperativas e produtores rurais”, complementa Slaviero. Para 2021, está prevista a construção de mais 3 mil quilômetros de redes no programa. Em 2022 serão 4,5 mil quilômetros e, depois disso, 5 mil km de rede por ano, entre 2023 e 2025.

REDES INTELIGENTES – Outra iniciativa de destaque nos investimentos da Copel é o programa Rede Elétrica Inteligente, que foi lançado em 2020 e está promovendo uma automatização sem precedentes na rede do Estado. “Trata-se do maior programa de smart grid no país”, ressalta o presidente da Copel. “Somente na primeira fase, 151 municípios das regiões Leste, Centro-Sul, Sudoeste e Oeste vão receber a rede de distribuição de energia automatizada”, explica.

O investimento nesta primeira etapa, de R$ 820 milhões, levará a nova tecnologia para 4,5 milhões de paranaenses, em unidades residenciais e empresas urbanas e rurais. A rede inteligente da Copel será a maior do Brasil, em um modelo que já existe em países como os Estados Unidos e o Japão.

Com o novo sistema, as unidades consumidoras estão recebendo medidores digitais, que se comunicam diretamente com a central de operação da Copel. Estão sendo instalados sensores e dispositivos de controle à distância que permitem que, em caso de desligamento acidental, a rede se religue sozinha na maioria dos casos. A troca de medidores já começou em cidades das regiões Oeste e Sudoeste, como Foz do Iguaçu e Pato Branco.

A tecnologia reduz o tempo de desligamento provocado por intempéries e outros fatores externos ao sistema. Além disso, torna possível a leitura de consumo à distância e permite que o cliente tenha autonomia para monitorar seu consumo de energia em tempo real, entre outros benefícios. Com a Rede Elétrica Inteligente, a leitura do consumo será online, e os clientes poderão acompanhá-la no telefone celular, em tempo real, por meio do aplicativo da Copel. 

OBRAS NA REDE – Além desses programas, a Copel está investindo em obras de modernização e expansão da rede em todo o Paraná. São novas subestações, redes, que foram agregadas ao sistema, conferindo ainda mais qualidade ao fornecimento de energia no estado.

OBRAS EM TODO O ESTADO – Além dos programas Paraná Trifásico e Rede Elétrica Inteligente, a Companhia está investindo R$ 470,9 milhões em obras de expansão da rede de energia. A previsão é que, até o final do ano, a Copel conclua a construção de 32 linhas de distribuição de energia em alta tensão, duas estações de chaves, 12 subestações e centenas de chaves religadoras automatizadas. Cada nova subestação garante mais uma fonte de energia para atender aos consumidores, beneficiando toda a região do entorno onde é construída.

Esses recursos estão sendo investidos em todo o Paraná. Maringá, por exemplo, está recebendo R$ 88 milhões em investimentos para a melhoria da rede, em obras que incluem a ampliação de duas subestações e a construção de uma nova. Em Paranavaí e região, são R$ 40 milhões em recursos para a automação do sistema elétrico, a ampliação de uma subestação e a construção de linhas. Já em União da Vitória, no Sul do estado, a Companhia está investindo R$ 47 milhões em obras de ampliação e reforço do sistema. Na prática, esses valores se traduzem em energia de qualidade para que os setores produtivos possam crescer e em qualidade de vida e conforto para a população.

GERAÇÃO E TRANSMISSÃO – A construção de novas usinas e de linhas de transmissão que transportam a energia produzida representa outra porcentagem importante dos investimentos da Copel. No último biênio, a geração e transmissão de energia absorveram R$ 1,3 bilhão em investimentos. O valor foi aplicado em obras importantes, como a modernização da Usina Hidrelétrica Governador Bento Munhoz da Rocha Netto (Foz do Areia), a maior da Copel, com 1676 megawatts de potência instalada. As quatro unidades geradoras da usina passaram por um processo completo de revisão e revitalização. Juntas, elas produzem energia suficiente para atender às necessidades de até 4,7 milhões de pessoas – mais do que a população de um estado como o Amazonas.

Em 2021, a Copel está entregando obras importantes para o sistema elétrico. Um dos destaques é a construção da Pequena Central Hidrelétrica Bela Vista no rio Chopim, no Sudoeste do Paraná. Com 95% das obras do empreendimento concluídas, a Copel iniciou o enchimento do reservatório no início de abril, uma das etapas finais para que a usina possa começar a produzir energia. Com R$ 217 milhões em investimentos, a PCH Bela Vista terá 29,8 MW de capacidade instalada, o suficiente para atender cerca de 100 mil pessoas. A energia a ser gerada na hidrelétrica será levada até a subestação existente em Dois Vizinhos através de uma linha de distribuição em alta tensão (138 mil volts) com 18 km que passa por Verê, São Jorge d’Oeste e Dois Vizinhos. 

ENERGIA DO FUTURO – Nos últimos anos a Copel também acelerou a pesquisa e o desenvolvimento de projetos de produção de energia de fontes renováveis. Em 2019, a Companhia inaugurou a primeira usina do Brasil de produção de biogás a partir do tratamento dos dejetos de suínos. Localizada em Entre Rios do Oeste, na região Oeste do Estado. a usina é composta por um grupo de produtores de suínos, que produzem biogás a partir do tratamento dos dejetos de aproximadamente 40 mil porcos em sistemas de biodigestão. Com capacidade total é de 480 kW, a unidade transforma por dia 215 toneladas de um agente poluidor em energia limpa. O investimento da Copel, financiadora do projeto, foi de R$ 17 milhões.

Em 2021 foi a vez da energia solar. No início de março, a Companhia colocou em operação as três primeiras unidades geradoras da Usina Solar Fotovoltaica Bandeirantes, construída no Norte do Paraná. A usina está funcionando atualmente com 3 MWp (megawatt-pico, unidade de potência de energia fotovoltaica). Outras três unidades geradoras serão energizadas ainda esse ano, totalizando 5,36 MWp de potência instalada, o suficiente para atender o consumo de energia de aproximadamente 10 mil pessoas. Além da fonte limpa, o projeto faz parte de um novo modelo de negócios da Companhia. A Copel implanta e opera as unidades de geração distribuída de energia, e o cliente assina um contrato de aluguel da usina. A energia gerada é usada para compensar o consumo, resultando em desconto na conta de luz.

Deixe um comentário