Conheça três enólogas mulheres que estão conquistando o mundo

Conheça três jovens enólogas que estão conquistando o mundo

Com estilos diferentes, mas um mesmo objetivo – produzir o melhor vinho no seu terroir –, elas hoje estão à frente de vinícolas renomadas

737 0
Compartilhe

Elas são referência internacional quando o assunto é vinho. Com estilos diferentes, mas um mesmo objetivo – produzir o melhor vinho no seu terroir –, elas se especializaram, venceram obstáculos e hoje estão à frente de vinícolas renomadas mundo afora.

Elmarie Botes é a mais nova integrante da equipe de vinificação da Nederburg. Responsável pela elaboração dos vinhos brancos da gigante sul-africana, Elmarie comemorou em 2018 sua primeira colheita junto à renomada vinícola de Paarl. Com apenas 31 anos, sua jornada pela produção de vinho já passou pelas vinícolas Lanzerac Wine Estate, Groot Constantia, Steenberg, Kanonkop e Fleur du Cap, como assistente de produção de vinhos brancos. No final do ano passado, esteve em Curitiba conduzindo uma degustação comentada sobre o seu último lançamento, The Winemasters Chenin Blanc 2017.

Sandra Tavares da Silva.

A enóloga portuguesa Sandra Tavares da Silva, mãe de três filhos, chama a atenção por onde passa por sua simpatia e beleza, que, na adolescência, renderam-lhe destaque na carreira de modelo em Paris, Milão, Londres e Nova York. Hoje reconhecida como uma das melhores enólogas de seu país, é responsável pela criação de ícones portugueses premiados internacionalmente. Os vinhos que levam sua assinatura, como o CV, o Quinta do Vale D. Maria e os famosos Pintas e Guru, são alguns dos portugueses mais pontuados por críticos nos últimos anos. Depois de passar por diversas vinícolas de renome no Douro, hoje se divide entre a Quinta de Chocapalha, propriedade da família, e o Wine & Soul, projeto boutique que divide com o marido, o enólogo Jorge Serôdio Borges. Sandra também se aliou a outra mulher notável no universo do vinho, a enóloga Susana Esteban, e juntas criaram os elogiados vinhos Crochet e Tricot, uma homenagem a uma amizade de anos.

Mônica Rossetti.

A enóloga Mônica Rossetti, de 36 anos, fez carreira na Lidio Carraro, vinícola familiar gaúcha que elaborou os brancos e tintos da Copa do Mundo e das Olimpíadas sediadas no Brasil. Ela também teve um papel fundamental no posicionamento da vinícola para a produção de vinhos premium. Depois de mais de 10 anos se revezando entre a Itália e o Brasil, a enóloga, que conseguiu a façanha de estar à frente de mais de 30 vindimas, por trabalhar em colheitas no Brasil e no hemisfério norte no mesmo ano, fixou residência no Vêneto, no Norte da Itália, onde segue trabalhando com consultoria em vinhedos e ministrando cursos de formação do consumidor.

Vinhos do mês

The Winemasters Chenin Blanc 2017 África do Sul/Paarl Uva: Chenin Blanc Importadora: Porto a Porto e Casa Flora. R$ 86,90

Guru 2016 Portugal/Douro Uvas: Gouveio, Viosinho, Rabigato e Códega do Larinho Importadora: Adega Alentejana. R$ 380

Lidio Carraro Grande Vindima Tannat 2010 Brasil/Vale dos Vinhedos Uva: Tannat. R$ 459 Distribuidora: wine.com.br

Matéria originalmente publicada na edição 221 da revista TOPVIEW.

In this article


Join the Conversation