Coluna Elis Cabanilhas Glaser, março de 2018 - TOPVIEW

Coluna Elis Cabanilhas Glaser, março de 2018

O vinho do futuro é o vinho do passado

420 0
Compartilhe

Estamos mais saudáveis, mais preocupados com o meio ambiente, mais conscientes dos malefícios que os pesticidas químicos podem causar no nosso corpo e no nosso planeta. Apesar de parecer algo recente, a prática do cultivo orgânico e biodinâmico na produção de vinhos já é quase centenária. Produtores de vinhos há algum tempo já se preocupam com a sanidade de seus vinhedos e seus consumidores.

Apesar de ser muito comum ouvir por aí sobre vinhos orgânicos e biodinâmicos, é importante esclarecer que esses vinhos, propriamente ditos, não existem. O que existe, de fato, são vinhos produzidos a partir dessas técnicas de cultivo.

Mas, afinal, o que eles têm de tão diferente, que vem atraindo tanto a atenção dos apreciadores e dos especialistas no assunto? É proibido utilizar produtos industriais nos vinhos certificados como orgânicos ou biodinâmicos, como agrotóxicos, conservantes e fertilizantes, tanto no cuidado no vinhedo, ou seja, na hora de plantar a uva, quanto na sua produção, no momento que o vinho está sendo elaborado. Nada mais do que um resgate das técnicas ancestrais de produção do vinho.

E o que faz um vinhedo ser biodinâmico? A viticultura biodinâmica aplica os princípios da agricultura orgânica aliada a astrologia. A crença em que a força do cosmo, dos ciclos da lua e do sol, em sinergia com o solo, os animais e uma interferência mínima do homem, são mais do que suficientes para produzir um ótimo vinho. A conexão entre o homem e a terra, saber ouvir a natureza, respeitar as fases lunares, as estações do ano e o ritmo de crescimento dos vinhedos para escolher o momento ideal para plantar, podar e colher, é a base dessa cultura. Nesse cultivo, a busca natural por uma terra saudável é essencial. É comum ver nos vinhedos biodinâmicos, vegetais plantados entre as uvas e animais passeando pelas vinhas, fertilizando o solo e podando naturalmente as plantas. Flores, principalmente rosas que são mais sensíveis, são plantadas junto às parreiras para avisar de um possível ataque de pragas, já que as flores são atacadas pelos insetos antes das uvas. Com esse “aviso” é possível se antecipar e utilizar de preparações e compostos naturais que atuam no controle de pragas. Outra curiosidade é a parte mística do cultivo biodinâmico. Os produtores contam com o auxílio dos ciclos lunares e da natureza para terem um melhor desempenho na sua produção. Superstições e práticas consideradas pouco convencionais também são comuns nessa cultura. Muitas práticas vêm de agriculturas primitivas, algumas, antigamente, foram censuradas pela igreja por sua semelhança com atos de bruxarias.

Apesar das diferenças não serem tão perceptíveis na taça, é inegável os benefícios dos vinhos orgânicos e biodinâmicos para a saúde. Boa parte dos vinhos produzidos com esse cuidado já exibe a informação com destaque no rótulo. Alguns dizem que esse tipo de vinho é mais um modismo. Eu não creio, certamente é mais um estilo que veio para ficar.

*Coluna publicada originalmente por Elis Cabanilhas Glaser na edição 209 da revista TOPVIEW.

Neste Artigo

Converse com a Gente