ESTILO

Descubra as melhores maneiras de transportar vinhos durante viagens

O sommelier Leandro D’Kessadjikian dá dicas de como carregar suas viagens em voos nacionais e internacionais

Quando viajamos para qualquer lugar, o desejo de comprar itens no lugar de destino para trazer como recordação é inevitável, e não é diferente com os vinhos. Além de um elemento de lembrança, sempre temos o interesse de degustar rótulos diretamente do local de origem. Mas, é necessário tomar cuidados no transporte, para que sua maior recordação da viagem não seja cacos de vidro. 

Por isso, o sommelier Leandro D’kessadjikian dá algumas dicas de como transportar vinhos durante a viagem, sejam estas nacionais ou internacionais.

“Em voos nacionais, é permitido na bagagem de mão, levar até duas garrafas de vinho. Já no caso de despacho, não há limite, embora haja o perigo de excesso de peso e custo adicional (o peso varia de acordo com o voo, então é importante consultar a companhia aérea). Já nos voos internacionais não é permitido levar qualquer tipo de embalagem com mais de 100ml na bagagem de mão. Porém, no caso de malas despachadas, até 12 litros de vinho ou 16 garrafas de 750ml são permitidas, por pessoa”, explica.

Leandro também aponta a necessidade de tomar cuidado em relação a quantidade, muitas garrafas podem gerar alguma taxa de imposto.

“Caso queira comprar várias garrafas do mesmo vinho, fique preparado para uma possível parada na alfândega, já que isso pode ser considerado como uma compra para comércio, o que pode trazer mais taxas e uma possível apreensão”, comenta.

Dentro da mala, o sommelier enfatiza o cuidado na disposição dos vinhos, para evitar que as garrafas quebrem.

“Ao colocar as garrafas no meio das roupas, para protegê-las do impacto, é importante lembrar de embalá-las para que não vazem ou quebrem, e de usar bem as roupas para amortecer os impactos. Se optar por trazer dentro da mala comum, uma boa medida é embalar bem cada garrafa com plástico bolha, o que também amortece qualquer impacto.”, relata.

Leandro D’Kessadjikian conta ainda que há lojas que possuem embalagens especiais para despache, e na hora da compra é importante verificar essa disponibilidade. Ele ressalta também que existem malas próprias para esse tipo de transporte, garantindo maior segurança.

Por fim, o sommelier deixa uma dica para apreciar bem o vinho após a viagem.

“Após qualquer voo, é sempre bom deixar o vinho descansar pelo menos 15 dias, por conta da excessiva manipulação da garrafa e variações de temperatura”, finaliza.

Deixe um comentário